Trickle down ou trickle up eis a questão. E qual tem sido a opção? Parte II – 13. Compreender os VIX ETFs: seja cuidadoso com o que deseja (1ª parte). Por Dave Nadig

Uma nova série sobre as novas tempestades que se vislumbram já no horizonte

Imagem 2 Trickle-Down CADILLAC

 Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Parte II – 13. Compreender os VIX ETFs: seja cuidadoso com o que deseja (1ª parte)

Por Dave Nadig dave nadig

Publicado  Trickle down ETF com em 2 de setembro de 2016

Com a volatilidade perto dos valores mais baixos desde há vários anos, a minha caixa de e-mail teve um volume anormal de pedidos de esclarecimentos para discutir as vantagens e desvantagens de tentar jogar na volatilidade de um dos doze ETF baseados na volatilidade no mercado.

Por um lado, entendo o apelo: se algo parece estar artificialmente baixo, é lógico querer investir nele antes de subir. Por outro lado, os produtos sobre volatilidade negociados em bolsa são alguns dos ETPs [NT. tipo de título cujo preço deriva de outros instrumentos e que é negociado numa base intradiária num mercado nacional de valores mobiliários; o seu preço deriva de instrumentos tais como mercadorias, moedas, cotações de ações ou taxas de juro, ou ainda fundos de gestão ativa. Os ETPs incluem ETFs, ETVs, ETNs e certificados. vd. https://www.investopedia.com/terms/e/exchange-traded-products-etp.asp ] mais complexos.

A gota de água que fez transbordar o copo foi a recente onda de artigos com grandes títulos nos media referindo-se aos fundos de cobertura (hedge funds) e às suas posições curtas sobre a volatilidade no mercado de futuros como algum tipo de evidência de que a volatilidade poderia de alguma forma descer ainda mais. Eu voltarei sobre a razão que leva a que isto seja uma posição sem grandes bases, mas vamos começar por procurar saber que raio de produto é mesmo um investimento num ETF sobre a volatilidade.

O que é o VIX?

Na raiz da maioria dos ETFs de volatilidade está o Índice de Volatilidade CBOE (VIX). É muitas vezes chamado de “índice de medo” e erroneamente de “volatilidade do mercado” na TV. O que ele realmente é, no entanto, é muito mais complexo (e, se é um grande marrão, vale a pena ler o texto The CBOE Volatility Index – VIX, publicado por CBOE disponível em https://www.cboe.com/micro/vix/vixwhite.pdf)

O VIX é calculado usando a volatilidade implícita de um cesto de opções no S&P 500 — tanto aquelas que estão prestes a expirar como aqueles que expiram no próximo mês. A ideia é criar um número que represente o nível de volatilidade que o mercado das opções está a antecipar no S&P 500 sobre os próximos 30 dias. É essencialmente engenharia reversa [NT. processo de descobrir os princípios tecnológicos e o funcionamento de um dispositivo, por exemplo desmontando uma máquina para descobrir como funciona. vd. https://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_reversa] de matemática que os operadores de mercado sobre opções estão a utilizar quando decidem o valor de uma opção de venda ou de compra.

Há algumas coisas muito importantes que devemos aqui sublinhar. A primeira é que não há nenhuma relação matemática direta entre a volatilidade real do S&P 500 e o VIX. A segunda é que o VIX não é nada mais do que um palpite sobre o futuro. A volatilidade real do mercado pode ser teoricamente muito baixa, enquanto os operadores dos mercados estão em pânico sobre o próximo mês, colocando o VIX a disparar.

Da mesma forma, o mercado poderia estar muito nervoso e as opções dos operadores dos mercados poderiam estar otimistas sobre o próximo mês, e terem um VIX muito menos afetado do que se poderia então esperar.

VIX sobe quando os mercados caem

Na prática, o que geralmente acontece é que o VIX sobe substancialmente em resposta a surpresas negativas no mercado. É por isso que muitos investidores têm (para o melhor ou pior) visto um “investimento” em VIX como uma espécie de cobertura contra o risco de mercado. Ele definitivamente tem funcionado dessa forma em crises de curto prazo, como em agosto passado:

Trickle down Parte II Texto 13 1

 

Do ponto de vista prático, pura e simplesmente não se pode “comprar” o VIX, infelizmente. Em vez disso, a CBOE [Chicago Board Options Exchange] tem contratos futuros sobre o valor de VIX que são amplamente negociados. Como qualquer contrato de futuros, os futuros VIX são simplesmente uma aposta sobre que valor é que o VIX vai assumir num determinado dia no futuro.

Assim, quando compra um futuro sobre petróleo hoje pode então dizer: “Eu adquiri o direito de comprar petróleo a $40 daqui a um mês”, e, portanto, ganha $2 se nesse dia o petróleo está a ser negociado a $42, ou seja, no dia de liquidação do contrato de futuros, num contrato de futuros VIX está indexado a um determinado valor para o VIX.

Pondo isto de uma outra forma, um contrato de futuros a um mês é uma aposta sobre o valor que os operadores do mercado de opções estimam para a volatilidade do S&P 500 daí a 30 dias. Não somente não se está a rastrear a real volatilidade do mercado, está-se a comprar um derivado (o contrato de futuros) assente noutro derivado (a volatilidade implícita das opções).

 

Índices de futuros VIX & ETFs

Cada ETF segue, rastreia, uma qualquer forma de um índice de futuros VIX, os ETFs mais populares, como o iPath S&P 500 VIX futuro a curto prazo ETN (VXX), seguem o S&P 500 VIX Short Term Futures Index. Esse índice, mais do que simplesmente estar a comprar o contrato a curto prazo e renová-lo quando expira é, na verdade, renovado diariamente a fim de respeitar a sua exposição nocional sempre a 30 dias.

Assim, no dia em que o contrato de um mês expirar, será de 100% sobre o mês mais próximo. No dia seguinte, ele vende uma pequena parcela para comprar o contrato do segundo mês, repetindo esse processo dia após dia de negociação. A ideia é fornecer algum nível de “suavidade” na renovação diária.

Porque é que isso é importante? Porque desde o início da criação dos mercados modernos de Futuros VIX, os preços dos Futuros VIX de curto prazo têm estado acima do preço à vista esperado. Eis pois o aspeto com o que a curva se parece agora:

Trickle down Parte II Texto 13 2

 

No momento em que escrevo este texto, os Futuros VIX para a data de 21 de setembro estão em $14.70. Os contratos de 19 de outubro estão em $16.92. O valor VIX do dia está em 13,2. Isso significa que se o VIX permanece aos níveis atuais, o contango [NT. situação em que o preço a prazo de um bem excede o seu preço à vista, ou os preços para os prazos mais afastados excedem os preços para os prazos mais próximos, vd http://www.thinkfn.com/wikibolsa/Contango] de hoje até daqui a um mês é de 13% [14.70/13.02], e é de 15% [16.92/14.70] entre setembro e outubro. Anualizadas, isto significa cerca de 330% ou 440% de ventos contrários.

Este contango incapacitante é persistente em Futuros VIX por uma razão muito simples — o futuro é sempre desconhecido; assim, uma estimativa dos potenciais resultados tem uma variância mais ampla do que os determinantes da volatilidade imediata no mercado, que é a informação.

Efeitos colaterais de contango

O efeito colateral deste contango é que qualquer investimento a longo prazo sobre um produto baseado no VIX Futuros acaba por ter enormes dificuldades. No gráfico abaixo, por exemplo, temos o atual valor à vista VIX versus o maior ETP, o VXX de curto prazo e a versão inversa, o VelocityShares Daily Inverse VIX Short-Term ETN (XIV):

Trickle down Parte II Texto 13 3

Ao longo do último ano, a VIX caiu quase 50%, mas o rastreamento da ETF desceu quase 65%. Pode-se ser levado a pensar que a versão inversa seria de um aumento de 65%, mas na verdade é “apenas” de 40% para o mesmo período.

A razão para isso é o modo como o reequilíbrio diário afeta o desempenho de todos os produtos alavancados e os inversos; se a trajetória do produto que está a ser rastreado (neste caso, VIX) é volátil, o reequilíbrio diário adiciona um arrasto adicional no desempenho (num mercado de tendência suave, isso realmente funciona a seu favor, oferecendo um desempenho melhor do que o esperado, mas o VIX raramente está numa tendência suave do mercado).

(continua)

Texto original em http://www.etf.com/sections/blog/understanding-vix-etfs?nopaging=1

 

No momento da feitura deste artigo o autor não detinha posição nos títulos mencionados.

O autor:

Dave Nadig é director executivo de ETF.com. Anteriormente, foi director de ETFs na FactSet Research Systems. Antes disso, enquanto director executive na BGI, Nadig ajudou a desenhar alguns dos primeiros ETFs. Enquanto co-fundador de Cerulli Associates, conduziu algumas das primeiras investigações sobre consultores financeiros remunerados somente por honorários e o crescimento da indexagem. Nadig também chefia o trabalho de conteúdos e de formação na empresa mãe da ETF.com, Cboe Global Markets.

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: