CARLOS REIS – AI PORTUGAL, PORQUE TE QUIERO TANTO

 

É espantoso como desde quase sempre este tipo de notícias – em vez de ser uma denúncia e uma oportunidade de salvar um país – não passa disso mesmo,de uma noticiazeca a esquecer no dia seguinte, em vez de denúncia com pronta, eficiente e acelerada acção judicial, prisão dos responsáveis colarinhos brancos baços mais ou menos autárquicos ou camarários, seguindo-se-lhes os colarinhos razoavelmente brancos da governação e os colarinhos decididamente brancos da corja dita empreendedora e nos restantes apoiada, sendo de imediato todos eles metidos em celas comuns, devidamente açoitados e rapidamente julgados e condenados no dia seguinte a trabalhos forçados por muitos anos e bons.

(Desculpem estava a delirar – deve ser deste sol de Inverno, quase horizontal e afiado, que nos embota o raciocínio e as ideias).

Que disparate, que devaneio, ó Carlos. Pois se é assim desde o vinte e cinco, numa saudável e saudosa extensão do vinte e quatro, que diabo!

Aliás, quem conhece a Quarteira – uma das mais belas, elegantes e dignas representantes da nossa avançada construção civil – sabe que se trata de um orgulho da maior parte dos quarteirenses, havendo mesmo habitantes de Loulé (a meia dúzia de quilómetros) que têm ali a sua “casa de Verão”.

Carlos

Público, 8 de Fevereiro 2019

1 Comment

Leave a Reply