Crise Financeira no Horizonte. Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise: 2. Os mercados financeiros e os seus operadores – 2.7. Pare-se com o terrível massacre de análises à volta de GameStop. Por George Pearkes

Logo tipo de WallStreetBets, um sítio subreddit, área de interesse criada pelos utilizadores onde são organizadas discussões na Reddit, um site de agregação de notícias sociais, classificação de conteúdos web e de discussão.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise

 

2. Os mercados financeiros e os seus operadores

2.7. Pare-se com o terrível massacre de análises à volta de GameStop

 Por George Pearkes

Publicado por  em 28/01/2021 (original aqui)

 

Clientes à espera na fila para entrar no retalhista de jogos de vídeo GameStop a 27 de Janeiro de 2021 em Hollywood, Califórnia. AaronP/Bauer-Griffin/GC Imagens
      • O aumento das ações da Reddit GameStop é uma história técnica interessante do mercado.
      • Mas os especialistas estão a tentar fazer muito mais do que isso.
      • As transações sobre GameStop não significam uma guerra de classes, um romance de Orwell, ou um evento com implicações sociais mais amplas.
      • George Pearkes é o macro estratega global do Bespoke Investment Group.
      • Esta é uma coluna de opinião. As ideias aqui expressas são as do autor.

O leitor sabe que os mercados financeiros ficaram verdadeiramente fora de controlo quando as pessoas começam a citar a Bíblia. Infelizmente, vou ter de fazer isso para iniciar esta coluna.

Provérbios 17:28 observa que “Mesmo os tolos são considerados sábios se se mantiverem em silêncio, e perspicazes se mantiverem calados”. E no entanto, uma ladainha absoluta de especialistas, comentadores de mercado e personalidades dos meios de comunicação social não seguiram esse conselho esta semana.

 

A explicação sobre a liquidação forçada das vendas a descoberto do título GameStop

O título GameStop tem sido a causa célebre da nossa loucura coletiva ao longo dos últimos dias, e é compreensível que tenha merecido muita atenção.

A história de base é a seguinte: uma empresa em dificuldades, mas bem conhecida, foi alvo de grandes apostas feitas contra ela no mercado de ações por especuladores a descoberto. Os investidores (especuladores) pediram ações emprestadas e venderam-nas, esperando poder comprá-las depois a um preço mais baixo e ganhando a diferença. Infelizmente para eles, o preço não caiu, porque muitos pequenos investidores de retalho entusiastas com elevada tolerância ao risco se amontoaram no mercado de ações a comprar títulos GameStop.

Esta multidão de operadores de retalho em bolsa soube da oportunidade e livremente coordenou as suas atividades através da comunidade r/wallstreetbets da Reddit, e foram capacitados por plataformas de negociação de baixo custo e fáceis de utilizar como Robinhood. Alguns acrescentaram opções de compra, esperando que as pessoas a quem compraram as opções comprassem, por seu lado, as ações subjacentes para se cobrirem e continuasse assim a subida da cotação do título GameStop.

Com os especuladores a descoberto a ficaram abaixo da linha de água, esses tinham de fechar as suas apostas contra o título de GameStop. Mas, claro, isso cria um problema: eles precisam de comprar ações para liquidar a sua posição e saírem do mercado. A ação parabólica de preços daí resultante – uma vez que os especuladores a descoberto  compraram ações para fechar a sua posição a descoberto enquanto as massas alimentadas pelo Reddit continuavam a acumular-se – é conhecida como uma “liquidação forçada das vendas a descoberto” e o ganho de 1744% até à data para a GameStop é uma versão especialmente severa.

As perdas foram tão grandes para um fundo específico que foi forçado a vender parte do seu negócio a um par de investidores privados: Citadel (que opera um mercado separado que faz negócios de títulos, Citadel Securities, que ajuda a facilitar a negociação livre de comissões na Robinhood, a qual ajudou a iniciar toda esta situação) e Point72, o fundo de cobertura gerido pelo proprietário da Mets, Steve Cohen.

Tudo isto teria sido muito interessante para os totós do mercado bolsista. Mas é claro, não podemos deixar que uma história como esta seja interessante e mecanicamente única. Em vez disso, tem de se tornar um jogo de moralidade.

 

Cui bono sponsionibus? Quem beneficia com as apostas?

A ideia de que um grupo de operadores de retalho em bolsa ligados por uma plataforma de diálogos poderia derrubar um fundo de cobertura de risco de vários milhares de milhões levou a uma proliferação instantânea de aplausos para os pequenos “Vamos a eles”. Mas, claro, há um problema com essa lógica.

O usuário da WallStreetBets que inicialmente identificou a GameStop e suscitou o interesse nas ações investiu 50.000 dólares do seu dinheiro em ações e opções de compra, e a posição vale agora mais de 50 milhões de dólares. Embora esse usuário deva ser elogiado por um retorno tão impressionante, qualquer pessoa com $50.000 para atirar para um mercado de ações de risco extremamente elevado não se enquadra numa definição razoável de “o rapazito”

Enquanto WallStreetBets gosta de se posicionar como um bando de inadaptados e marginais, as identidades reais das pessoas que povoam a plataforma (para não falar de quem beneficiou do impulso do GameStop) são desconhecidas. O que podemos dizer é que o maior detentor individual da GME é Donald Foss, um bilionário pioneiro do financiamento de risco (subprime) em automóveis. Ele é proprietário de 5% da empresa. Este não é o rapazito que se procura.

Quanto à Melvin Capital, o fundo de cobertura que supostamente perdeu até 30% na sexta-feira e potencialmente muito mais esta semana no seu esforço ruinoso para cobrir a sua posição contra GameStop, não deve haver lágrimas derramadas. Os apresentadores da televisão de negócios a gritar que o fundo poderia ser esmagado ou o Diretor Executivo do NASDAQ a pedir que os reguladores interviessem estão a fazer figura de parvos ao tentarem defender uma empresa cujos investidores profissionais fizeram a cama em que estão deitados hoje.

 

Os derivados são onde está o verdadeiro problema

Por muito mau que alguns dos comentários da primeira ordem sobre GameStop fossem, as coisas pioraram muito à medida que os preços continuaram a rugir e a espiral de “cenas” saiu dos mercados bolsistas e entrou na narrativa cultural coletiva.

Um professor de marketing tentou alegar que tudo isto era culpa das mulheres, porque os “jovens adultos, numa cave, não no trabalho, sem fazerem sexo, não criando ligações, com uma conta de Robinhood, um telefone e estímulo…[são] a tempestade perfeita da volatilidade”. Depois de  Discord ter suspendido o canal WallStreetBets no seu serviço por violações de conteúdo, um colunista declarou uma crise de liberdade de expressão. Um ex-presidente de uma empresa de comunicação social exigiu que os corretores, que gerem o risco restringindo os títulos que os seus clientes poderiam negociar, fossem para a prisão.

Esta explosão de posições meio cosidas e estapafúrdias é incrivelmente cansativa e é, em última análise, um reflexo do que aconteceu com as ações da GameStop. O que começou como uma interessante bizarria na bolsa de valores transformou-se num melodrama que sugou todo o tipo de pessoas que não têm nenhum negócio envolvido, e esses novos participantes imediatamente conduziram mal a situação em seu prejuízo ou em prejuízo de outros.

 

Narrativas que simplificam e obscurecem

Há lições reais a serem aprendidas com GameStop. Os recém-chegados à festa aprenderão inevitavelmente de forma difícil que os ganhos passados não são indicação de retornos futuros, e que as apostas grandes e agressivas funcionam nos dois sentidos. Aos investidores sofisticados tem sido recordado que a posição a descoberto de ações cria alguns desafios únicos de gestão de risco.

Mas isto é uma mecânica liquidação forçada de vendas a descoberto na bolsa de valores. Não se trata de uma guerra de classes, não é um romance de Orwell, ou um evento com implicações sociais mais amplas. Para os não-investidores, e especialmente para os investidores que não têm conhecimentos profundos, os provérbios 17:28 é o caminho a seguir.

 

______________

O autor: George Pearkes é o Macro Estratega Global para o Grupo de Investimento Bespoke (desde dezembro de 2013). Ele cobre mercados e economias em todo o mundo e activos, apoiando-se em dados e modelos económicos, análise política e factores comportamentais para orientar a alocação de activos, geração de ideias, e antecedentes analíticos para clientes que vão desde investidores individuais a grandes instituições. Iniciou a sua carreira no Bank of America (2012/13). Licenciou-se na Duke University com uma especialização em Política Pública (2012), uma especialização em economia, e um certificado em Mercados e Estudos de Gestão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply