UM MUNDO ESTRATOSFÉRICO, O DOS BANKSTERS – por JÚLIO MARQUES MOTA

 

Fala-se   nos media  sobre  os milhões  de euros em prémios que serão distribuídos pela Administração  do  Novo Banco e que, como se sabe, seremos todos nós a pagar. Digam lá o que disserem.  Mas há perguntas a fazer.

A primeira pergunta a fazer é: Prémios de quê ou porquê? A segunda  pergunta,  feita a quem assinou o acordo pela parte do Governo, Mário Centeno,   é saber se isso está no acordo assinado com a venda feita pelo Governo ao fundo americano. Se esta distribuição de prémios com o banco a dar prejuízos  está no acordo, será então Mário Centeno  que deverá explicar  no Parlamento e ao povo português, o contribuinte,  as razões de ser desse mesmo acordo. Se não está no acordo e se somos nós todos que pagamos, o famoso ou triste contribuinte, conforme a conveniência de Centeno, porque é que não se impede que isso seja feito?  Ou será como diz o Financial Times, que  a quem tem dinheiro  tudo é permitido? Relembremos a postura de António Costa e Mário Centeno no caso da Caixa Geral de Depósitos: uma vergonha, com um governo vergado à ganância de um bankster, António Domingues.  Expliquem-me então as remunerações que eram propostas e que são agora auferidas, mais cêntimo menos cêntimo, por Paulo de Macedo. Era bom que Mário Centeno nos esclarecesse porque era o ministro de então. Pode mesmo tomar como referência quanto ganha o atual Presidente do FED, Jerôme “Jay” Powell.

Mas acrescente-se: tenho pena desses senhores banksters , muita pena mesmo. Estão habituados a um nível de vida estratosférico. Um exemplo disso é-nos dado hoje por Matt Levine quando nos fala de um dos bancos globais, o Crédit Suisse, e do seu ex-diretor da gestão de ativos,  Eric Varvel, assim como da sua maravilhosa vivenda em Provence.

Vale a pena ler o seu texto e assim percebemos como não há dinheiro suficiente que satisfaça esses banksters e é isso que explica a necessidade desses milhões que dos bolsos de todos nós poderão sair para aplacar  a  ganância desses atores globais a trabalharem em bancos globais.

__________

A seguir a este post, com o intervalo de meia hora, aqui em A Viagem dos Argonautas, poder-se-á ler a montagem de Júlio Marques Mota sobre o texto de Matt Levine. 

Leave a Reply