MUSEU DO NEO-REALISMO – O CENTENÁRIO DE CARLOS DE OLIVEIRA

 

10 ago 2021

Centenário de nascimento

Neste dia, há 100 anos (10 de agosto de 1921), nascia em Belém do Pará, Brasil, Carlos de Oliveira, um dos mais importantes escritores portugueses do séc. XX e também um dos grandes impulsionadores do movimento neorrealista português.

Filho de emigrantes portugueses, viveu no Brasil até aos dois anos de idade, mas foi em Febres, Cantanhede, onde a família se fixou a partir de 1923, que passou a sua juventude, o que marcará profundamente a sua escrita.

Estudou em Coimbra onde se licenciou em Ciências Histórico-Filosóficas em 1947 e onde estabeleceu amizade e proximidade ideológica e política com Joaquim Namorado, João Cochofel e Fernando Namora. Em 1948 muda-se para Lisboa, onde mantém colaborações pontuais em vários jornais e revistas, como AltitudeSeara Nova e Vértice.

Em 1942 lança o seu primeiro livro de poemas, Turismo, integrado na coleção Novo Cancioneiro e no ano seguinte o seu primeiro romance, Casa na Duna, volume da coleção dos Novos Prosadores. Entre 1943 e 1953 publicou a maior parte da sua obra de prosa. Para além de Casa na DunaAlcateiaPequenos Burgueses e Uma Abelha na Chuva, considerada uma das mais importantes obras da literatura portuguesa e que se tornará um clássico de leitura obrigatória nos programas escolares até final da década de 90. Em 1971 publica a coletânea de crónicas e artigos O Aprendiz de Feiticeiro. Em 1976 reúne toda a sua poesia em dois volumes intitulados Trabalho Poético. Em 1978 publica o seu último romance, Finisterra, paisagem e povoamento.

Na poesia Carlos de Oliveira é considerado inovador e um dos poetas do neorrealismo que mais marcas deixou na tradição poética portuguesa.

Foi um escritor exigente com ele próprio, que se caracterizou por uma prática de escrita obsessivamente empenhada na revisão e reformulação constantes, em busca da perfeição do texto literário, como evidenciam as centenas de documentos provenientes do seu espólio.

Faleceu em 1981, em Lisboa.

 

Para continuar a ler clique em:

Museu do Neorealismo | Vila Franca de Xira

 

Leave a Reply