MARIONETAS DO PORTO – DEZEMBRO 2021

 

Na Floresta

20 de novembro a 8 de dezembro
Quarta a sexta, 10h30 (público escolar)
Sábados, domingos e feriados, 16h00
Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57 – Porto
Coprodução Marionetas do Porto e Museu da Marioneta
dur. aprox.: 50 m
M/3 anos
Reservas 222 089 175 ou teatro@marionetasdoporto.pt

“Adormeci de olhos abertos para ter a certeza de que não perdia nada.”
Esta é uma viagem pelas noites de uma menina que volta sempre ao mesmo lugar. Vagueia na floresta sem medo da luz da noite. Ao lado dos seus amigos, tropeça em segredos e estórias que ainda não foram contadas.
Noite após noite, onde o tempo não tem lugar.
“Apetece-me brincar. Vou dormir!”
As Marionetas do Porto constroem um mundo mágico, no qual os mais pequenos vão percorrer sonhos como se fossem tão leves como o sopro do vento.

 

Museu das Marionetas do Porto

1 a 31 de dezembro (exceto 25/dez)
Quarta a sexta 14h às 18h*
Sábado e domingo 11h às 13h* e das 14h às 18h*
Rua de Belomonte, 61 – Porto
*última admissão 30 minutos antes do fecho

A exposição Marionetas Contemporâneas: Criações e discursos foi inaugurada a 15 de julho de 2020, seguindo o conceito base do projeto expositivo: a relação teatro/museu, criação de espetáculos e exposição das peças.
Dela fazem parte obras emblemáticas da companhia (Miséria, Vai no Batalha, Óscar, História da Praia Grande, Teatro Dom Roberto, Os Amigos de Gaspar, IP 5, entre outras), e novos espaços criados a pensar em dinâmicas renovadas com o público, nomeadamente, o espaço de experimentação e o espaço crianças.
A exposição permite uma fruição diversa, capaz de transportar o visitante para outro lugar, através das peças expostas, dos adereços, das histórias e de todas as atividades propostas num programa dirigido a todo o público.
Além do mundo das marionetas contemporâneas de autor, que habitam os dois pisos do museu, no foyer, encontra-se uma obra doada à companhia, pelo artista plástico Ricardo Leite, pintada e inspirada nas marionetas do espetáculo Macbeth, de João Paulo Seara Cardoso e Fios Fiapos Farrapos de Regina Guimarães, amiga e colaboradora de longa data, nossa convidada para esta exposição temporária, inaugurada de 29 de setembro de 2021 que
ficará até 30 de janeiro de 2022.
Numa rua estreita, em pleno centro histórico, atravessar a porta do Museu, tem sido, para muitos visitantes, um encontro com a utopia. Assim desejamos que continue através da exposição patente.

Isabel Barros

 

Fios Fiapos Farrapos

Regina Guimarães
Exposição Temporária
Museu das Marionetas do Porto
Até 30 de janeiro de 2022
“Um farrapo de encontro com pano para mangas a sobrar.\
Porque dos encontros nunca se diz o tu do tudo…”

Regina Guimarães, aka Corbe, nasceu no Porto, em 1957. A par dos seus poemas, geralmente publicados em edições de natureza quase confidencial, tem desenvolvido trabalho nas áreas do Teatro, da Tradução, da Canção, da Dramaturgia, da Educação pela Arte, da Crítica, do Vídeo, do Argumento, da Produção. Foi docente da FLUP, na ESMAE e na ESAD. Foi diretora da revista de cinema A Grande Ilusão, presidente e fundadora da Associação Os Filhos de Lumière, programadora do ciclo permanente O Sabor do Cinema no Museu de Serralves. Integrou o colectivo que, a par de outras actividades reflexão e criação, publicou o jornal PREC e o colectivo que produziu o projecto Nove e Meia, cineclube de rua. É co-fundadora do Centro Mário Dionísio – Casa da Achada. Com Ana Deus, fundou a banda Três Tristes Tigres. Trabalhou para outras bandas, nomeadamente o Osso Vaidoso e os Clã. Realizou inúmeras experiências em torno da palavra dita e cantada. Organiza, de há mais de uma década a esta parte, a LEITURA FURIOSA Porto, encontros entre escritores e pessoas zangadas com a leitura. Tem orientado oficinas de escrita e de iniciação ao cinema. Tem realizado uma extensa obra videográfica sob a forma de «Cadernos», que já foi alvo de algumas retrospectivas. Nos últimos anos, a sua atividade como argumentista e dramaturga tem-se intensificado. Aspira a estar em todo o lugar onde haja uma luta justa a travar. Vive e trabalha com Saguenail desde 1975. Hélastre é o signo da sua obra comum.

 

 

Em digressão
Nunca

12 de dezembro, 18h
Auditório Centro da Juventude de Braga
Rua de Santa Margarida, 6 – Braga

Mais de cem anos passaram depois das muito conhecidas aventuras na Terra do Nunca. Peter Pan vai viver para Londres com Wendy. Casam, têm filhos e os anos passam… Neste possível presente, existe um rapaz adolescente a quem os seus pais deram o nome de “Nunca” e nunca iremos saber o porquê…
Nunca, é descendente de Pan, mais precisamente seu bisneto. O seu destino é resgatar a Terra do Nunca daquela Era de trevas em que mergulhou logo após a partida de Peter. Desta vez o vilão é Capitão-Garfo, neto de Capitão-Gancho, que ocupou o seu lugar anos depois de seu avô ter sido devorado por um enorme crocodilo que raramente se atrasava.
Poderá Nunca com a ajuda de alguns insólitos companheiros, trazer de volta o equilíbrio de toda a magia à Terra do Nunca?

 

Marionetas do Porto
Rua de Belomonte, 57
4050-097 Porto
+351 222 083 341
teatro@marionetasdoporto.pt
marionetasdoporto.pt

Museu das Marionetas do Porto
Rua de Belomonte, 61
4050-097 Porto
+351 220 108 224
museu@marionetasdoporto.pt
marionetasdoporto.pt

 

 

 

Leave a Reply