“MEMES” SOBRE A CRIAÇÃO DE ADÃO por Clara Castilho

A Criação de Adão (fresco pintado por Michelangelo no teto da Capela Sistina entre os anos de 1508 e 1510, a pedido do papa Júlio II), representa um episódio do Livro do Gênesis no qual Deus cria o primeiro homem a partir do pó da terra: Adão. Análises realçam o sinal de  fraqueza do homem, por oposição à postura de Deus, com o braço estendido e o dedo esticado, sublinhando o gesto do seu poder criador.

No centro, estão os dedos indicadores de ambos, com um pequeno espaço entre si. O braço de Adão está dobrado e o seu dedo caído, sinais de fraqueza do homem, por oposição à postura de Deus, com o braço estendido e o dedo esticado, sublinhando o gesto do seu poder criador. Os membros são simétricos, têm uma constituição muito parecida, fazendo referência à passagem bíblica Deus criou o homem à sua imagem e semelhança(Gênesis, 1:27). Críticos afirmam que,  através desta simetria, Michelangelo estabelece um equilíbrio entre os dois lados do fresco, entre a figura divina e a figura humana.

Tem aparecido muitas colagens que “inserem” a nossa vida quotidiana nesta pintura. No período da pandemia brincar com este assunto talvez tenha levado a que alguns crentes aceitassem melhor os perigos por que todos passavam, sem questionar um ser divino que poderia ser cruel.

Colocar uma chávena de café, um cigarro, um computador, uma ferramenta de obras, um gato, entre o homem criado por Deus e o criador, será colocar o ser humano e Deus num pé de igualdade… 

 

Leave a Reply