POEMA DE SETE FACES, de CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

(1902 – 1987)

 

 

Obrigado a Cultura Genial e a Carolina Marcello. Clique em:

Poema de Sete Faces de Carlos Drummond de Andrade (análise e significado) – Cultura Genial

 

Poderá ouvir este poema declamado por Paulo Autran.

Paulo_Autran – J. Freitas – ABr – Agência Brasil

1 Comment

  1. Olha aqui uma belezurazinha de texto da poetisa brasileira Adélia Prado:

    CORRIDINHO, Adélia Prado (1935- )

    O amor quer abraçar e não pode.
    A multidão em volta,
    com seus olhos cediços,
    põe caco de vidro no muro
    para o amor desistir.
    O amor usa o correio,
    o correio trapaceia,
    a carta não chega,
    o amor fica sem saber se é ou não é.
    O amor pega o cavalo,
    desembarca no trem,
    chega na porta cansado
    de tanto caminhar a pé.
    Fala a palavra açucena,
    pede água, bebe café,
    dorme na sua presença,
    chupa bala de hortelã.
    Tudo manha, truque, engenho:
    é descuidar, o amor te pega,
    te come, te molha todo.
    Mas água o amor não é.

Leave a Reply