UM CAFÉ NA INTERNET – O Livro de Olotolilisobi, 31 de Dezembro, por Olga Gonçalves

(1929 – 2004)

Um café na Internet

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É do alto, é assim que as estátuas

desabotoam a camisa sob um céu impregnado

de tudo o que deu flor. Depois

encostam guirlandas ao seu busto de seda.

É do alto, é assim

à meia-noite,

rodeando o tempo sucessivo

rodeando a memória

disposta sobre o topo das redes.

Como finda o promontório deste século?

Quem cumpriu as tarefas? Serão redigíveis

na violência do ódio, da droga

na mensagem da guerra nuclear?

 

Escuto. E é único: as raízes

que me chegam daí: caminhadas

em discurso

o discurso nem sempre é imortal,

mas sepultá-lo é o fim

 

e nós

personagens somos

levemente

somos o fluir de todas as imagens

ligadas, legendas sobrepostas,

a luz que sobe dócil

 

Europa,

movo-me descalça, desfaço

a voz nos dedos. Esta hora

aparato sombrio da árvore de Natal

um perfume qualquer.

 

Festa literal, anunciando o Novo Ano

festa para consumir.

 

E, entre os reposteiros, como

em ataúdes

a grandeza da noite decaindo

 

Este hotel, este país, estes olhos, estes brindes, estas luzes, estes braços negros que nos servem, esta nota apressada na brochura do ‘Walt Disney World’, esta voz no Canal 4 da TV à meia-noite:

 

Get Money

Relax                                    

Go to Florida

And stay there

all the rest of your life.

Leave a Reply