VIAGEM COM PASQUALINI- 13– por Sílvio Castro

(Continuação)

 

 

A fundamentação cultural da ação saxônica na América é a mesma dos outros Conquistadores, a consciência de uma irredutível superioridade em relação a outros povos não pertencentes ao sistema europeu. Este senso de superioridade é expresso pelos ingleses Conquistadores em maneira ainda mais radical mesmo em relação aos castelhanos, que não hesitaram em praticar o imediato extermínio físico de inteiras populações no México e no Perú. Esta diferença se revela com evidência se consideramos a Conquista – ainda que sempre ligada à posse de bens materiais – do ponto de vista religioso: desta angulação a Conquista saxone-reformista se distingue efetivamente daquela ibérico-católica.

 

                  

O espírito da Conquista reformista encontra em Octavio Paz uma síntese iluminante: «Para o reformador uma terra desabitada ou populada por pagãos é uma terra selvagem; em tal modo ele equipara mundo natural e paganismo; se alguns cristãos se encontram em uma terra selvagem, o seu dever não consiste em converter os pagãos, mas no elevar as próprias autoridades religiosas. Os índios americanos eram parte da natureza e, como todas as coisas da terra, eram contaminados pelo pecado e pela morte».

                  

 

Para o Conquistador reformista o índio não é um elemento espiritual que deve ser salvado em seio ao cristianismo, mas, em verdade, um adversário que deve ser submetido e governado. Se por acaso esse domínio se revela impossível, então o índio deve ser exterminado. Neste sentido a invasão inglesa dos territórios indígenas é radical, ainda quando comparada às violências de um Cortés ou de um Pizarro.

                  

A virulência da Conquista inglesa na América se encontra principalmente na coerência de como vem atuada em todo o percurso histórico da invasão.

 

                  

Ao contrário dos ibéricos, em coerência com o espírito da Reforma, o Conquistador saxônico não quer salvar a alma do índio, porque segundo a lição protestante o homem pode salvar-se somente pela ação da graça divina. Assim, este Conquistador não prevê a evangelização, ao contrário daqueles ibéricos e católicos. Estes últimos – e particularmente a partir da atividade jesuítica controreformista – têm como meta principal a integração dos índios na religião verdadeira, isto é, o catolicismo. A sutil, mas evidente diferença entre os sistemas éticos reformistas e católico controreformista pode ser considerada como predominante elemento de diferenciação entre a América anglo-saxônica e a latina.

 

 

 

O sol castiga os olhos do viajante e quer tomar para si a paisagem toda cegando os olhos que não param de descobrir a paisagem na corrida do trem de alta velocidade. O sol não muda com a velocidade do trem. Só a paisagem pode mandar embora o sol. Não importa que o viajante abaixe a cortina de sua janela; a paisagem está sempre lá atrás da cortina e pronta a retirar o sol dos olhos do viajante. Entre sol e paisagem cresce a luta para deslumbrar os olhos que contemplam quase cegos por detrás da janela coberta a paisagem amarela de sol.

 

 

 

                  

A chuva bate forte no teto do trem como uma dansa variada que se exalta com a música das rodas nos trilhos e da chuva que esbate e rebate sem cessar.

                  

O trem banhado muda de voz, confundindo a sua com a da chuva. Depois de algum tempo, a voz que se escuta não se sabe se é aquela do trem ou a da chuva.

                  

Vista da janela banhada a paisagem modula novas mudanças: agora é uma paisagem aquática na qual o verde árvores nuvens céus rios todas as coisas se transformam em imagens serenas, como se brotassem novas a cada passagem do trem que corre na chuva. As cidades e suas casas aparecem na corrida como se estivessem á distância, ainda que o viajante possa entrever num momento fugaz da corrida a mulher que prepara a mesa por detrás de sua janela.

                  

O viajante vê coisas que não existem quando o trem corre sem chuvas. Também recorda coisas como o suave rumor da chuva no telhado da casa da infância, essa mesma em que agora ele se encontra ainda que pense de estar dentro do trem que corre na chuva batente.

 

(Continua) 

Leave a Reply