A GRANDE POESIA -” Termópilas” – Konstandinos Kavafis

Um Café na Internet

 

Konstandinos Kavafis

 

Termópilas

 

Honra seja àqueles que na sua vida
definiram e guardam uma Termópilas.
Sem mover-se do seu dever constantes;
justos e rectos em todos os seus actos,
contudo com dó e compaixão;
dadivosos quando são ricos, e quando
são pobres, também modicamente dadivosos,
também auxiliando quanto puderem;
sempre da verdade afirmantes,
porém sem ódio para os fementidos.

E ainda mais honra lhes seja devida
quando prevêem (e muitos prevêem)
que Efialtès surdirá no fim,
e os medas finalmente passarão.

[1903, Ποιήματα, Piimata]

In “Os Poemas” – Relógio D´Água – Tradução de Joaquim Manuel Magalhães e de  Nikos Pratsinis

 

E o original está em manuscrito do poeta:

 

Konstandinos Petrou Kavafis, (Κωνσταντίνος Π. Καβάφης),  nasceu em Alexandria em 29 de Abril de 1863 e morreu em 29 de Abril de 1933. É uma das vozes mais puras da poesia europeia do século XX e talvez o maior poeta grego moderno.

Leave a Reply