POESIA AO AMANHECER – 42 – por Manuel Simões

Luís Quintais – Portugal

                                                                           ( 1968  –   )

ÉTICA

Vou falhando as pequenas coisas

que me são solicitadas.

Sentindo que as ciladas

se acumulam cada vez que falo.

Preferi hoje o silêncio.

A ausência de equívocos

não é partilhável.

No inegociável deste dia,

destituo-me de palavras.

O silêncio não se recomenda.

Deixa-nos demasiado sós,

visitados pelo pensamento.

(de “Lamento”)

Publicou o seu primeiro livro, “A Imprecisa Melancolia” em 1995.  E da sua obra poética destacam-se ainda: “Lamento” (1999), “Umbria” (1999), “Verso Antigo” (2001), “Duelo” (2004), “Canto Onde” (2006) e “Mais Espesso que a Água” (2008).

Leave a Reply