Pentacórdio para Sexta 23 de Novembro

por Rui Oliveira

 

 

   Nesta Sexta-feira 23 de Novembro chega finalmente a Lisboa a Berliner Philharmoniker (a Orquestra Filarmónica de Berlim) sob a direcção actual do maestro Sir Simon Rattle para actuar no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian às 21h.

   Este importante símbolo da identidade musical de Berlim e uma das mais prestigiadas instituições da capital da Alemanha, deu o seu primeiro concerto a 17 de outubro de 1882 sob a direção de Ludwig von Brenner, maestro que foi escolhido pelos próprios músicos. Posteriormente sucederam-lhe desde Hans von Bülow, Arthur Nikisch, Wilhelm Furtwängler, Leo Borchard, Sergiu Celibidache até Herbert von Karajan em 1954, que se tornou Maestro Permanente e Director Artístico introduzindo-lhe modificações profundas, e posteriormente (1989) Claudio Abbado.

   É sob a batuta do britânico Sir Simon Rattle, músico de grande vulto e seu líder artístico desde 2002, que ouviremos o concerto cujo programa será :

       György Ligeti  Atmosphères

       Richard Wagner  Abertura do 1º Ato da ópera Lohengrin

       Claude Debussy  Jeux

       Maurice Ravel  Daphnis et Chloé, Suite nº 2

       Robert Schumann  Sinfonia nº 3, op. 97, Renana

 

   Ouçamos pela Berliner Philharmoniker a primeira peça do concerto Atmosphères registada em Fevereiro de 2010 :

 

 

   Ainda ligado a esta Orquestra há na manhã da mesma Sexta 23 de Novembro, às 12h, um concerto para jovens intitulado “Uma viagem à volta do mundo em 50 minutos” que terá lugar no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian.

   Trata-se de um concerto divertido, concebido e apresentado pelo “Education Programme” da Orquestra Filarmónica de Berlim, que tem como objectivo cativar o interesse pela música clássica entre um público infanto-juvenil. Conta com um grupo de solistas da Filarmónica de Berlim e o maestro e compositor húngaro Sándor Balogh e narra, pela voz do cantor Klaus Wallendorf,a história de treze instrumentos em digressão mundial, viagem musical que começa em Portugal, segue por diversos países e termina em Berlim.

   No programa consta : 1. Portugal, 2. Török [Turquia], 3. Orosz [Rússia], 4. Israel [Israel], 5. Kína, Japán [China, Japão], 6. Que Rico Mambo [Brasil], 7. Piazzolla [Argentina],8. Moulin Rouge [França], 9. Spanyol [Espanha], 10. Olasz [Itália] 11. Angol [Grã-Bretanha], 12. Amerika [América], 13. Német [Ar de Berlim]

 

 

 

   A coreógrafa e bailarina Anne Teresa De Keersmaeker, artista na Cidade de Lisboa, volta nesta Sexta-feira 23 de Novembro (bem como no Sábado 24), às 21h30, à Sala Principal do Maria Matos Teatro Municipal para apresentar “The Song”.

   The Song evoca um mundo em aceleração, um mundo que anda tão rápido que se ultrapassa a si próprio. Uma paragem parece inevitável e iminente. No centro desta tempestade, está o corpo, uma caixa de ressonância para uma realidade caótica. Dez bailarinos evoluem num palco despido e reduzido ao essencial: luz, som, movimento. O espaço que Anne Teresa De Keersmaeker (ATDK) criou, em colaboração com os artistas visuais Ann Veronica Janssens e Michel François, é um deserto. Uma terra árida que, apesar de tudo, dá ciclicamente lugar à vida: um solo rejubilante em que o corpo procura a sua própria leveza. Uma coreografia de grupo à imagem de um bando de pássaros em voo, onde as variações infinitas são uma ode à precisão matemática e inventividade humana” – assim o introduz o Teatro.

   E ATDK acrescenta : “… foi um desejo de regressar a um lugar com menos coisas. Há uma certa economia de meios que permitiu voltar a fazer perguntas fundamentais. O que é que se passa com este corpo? Como é que o movimento é gerado num corpo? Qual é a relação entre som e movimento? Qual é a relação entre a música e a dança?”

   A peça é criada e dançada por Pieter Ampe, Bostjan Antoncic, Carlos Garbin, Matej Kejzar, Mark Lorimer, Mikael Marklund, Simon Mayer, Michael Pomero, Sandy Williams e Eleanor Bauer.

   Eis um excerto representativo :

 

 

 

   No Auditório do Museu Fundação Oriente, às 21h30 desta Sexta-feira 23 de Novembro, há um Recital de Música Hindustânica por Nirali Kartik.

   Estudiosa da música clássica indiana desde os nove anos, tem desde então actuado em inúmeros festivais por toda a Índia e, mais tarde, também na Alemanha, Áustria e Bélgica. Galardoada com múltiplos Prémios (Shrestha Sadhaka, do National Youth Festival), colaborou também com artistas de vários géneros musicais e é vocalista da banda Maati Baani.

   Diz o programa que “… o aspecto mais notável da música hindustânica é que, apesar de ser extremamente baseada no improviso, este improviso deve acontecer dentro de uma de muitas escalas bem definidas, ou modos, conhecidos como ‘ragas’. O objectivo desta tradição cultural é dar ao seu seguidor uma experiência transcendente. Quando canta, Nirali entra no ambiente da raga, levando o público numa viagem-aventura musical”.

   Comprovem-no nesta Raga Ahir Bhairav do grande compositor de yore Manarang, onde Nirali canta acompanhada por Sandeep Mishra em sarangi e Amit Mishra em tabla :

 

 

 

 

   Na Sexta-feira 23 de Novembro há no Museu de São Roque mais uma sessão do festival “Música em São Roque 2012” onde alunos da Classe de Música de Câmara da Escola Superior de Música de Lisboa darão, às 18h, um recital onde intervirão não só um quarteto de trompas, como flauta e guitarra num programa que recordará a música de autores portugueses e estrangeiros do nosso tempo (cujo pormenor é ainda desconhecido).

   Não há preço definido para os bilhetes (solicitando-se antes um donativo) e, nos dias de concerto, a visita ao Museu é livre.

 

 

 

   Inicia-se na Sexta-feira 23 de Novembro (durando até Domingo 25) o Lisboa Mistura 2012, um projecto multi-disciplinar e intercultural apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa (iniciado em 2006) voltado para a celebração do cruzamento intercultural existente na cidade.

   No Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal, às 19h, a propósito da instalação multimédia “Domingo” de Kalaf  que será apresentada às 20h realiza-se um debate sobre a interculturalidade (ou esta forma de vivermos a vida em conjunto) e sobre novas formas de comunicação que “ilumine a diversidade de dentro e fora de todos nós”.

   Na Sala Principal, às 21h30, há o concerto de lançamento de “Eterno Retorno”, o sexto álbum de originais da banda Dazkarieh de Joana Negrão e Vasco Ribeiro Casais que se mantém fiel à combinação de tradição, electrónica, rock e folk.

   A sessão continua às 24h no Musicbox (rua Nova do Carvalho, nº 24, ao Cais do Sodré) com uma Noite latina e tropical com o Combo Nuevo Los Malditos, seguido pelo dj set do Trio Pinchadiscos.

   Foi elaborada uma sequência televisiva sobre o tema Lisbos Mistura cujo 1º segmento pode ser visto aqui  http://youtu.be/RfBKqDp9CVM

 

 

 

   Dentro da Cinemateca “Próximo Futuro”  haverá nesta Sexta 23 de Novembro no Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, às 18h30, a apresentação de uma breve mas diversificada selecção de filmes que integraram o ciclo de cinema árabe “Em Transição” (com curadoria do realizador egípcio Mohamed Siam), no decorrer das atividades do Programa Gulbenkian Próximo Futuro no verão de 2012.

   As películas em exibição são :

   −  “Atef”  (Egipto, 2009) de Emad Maher, ficção/curta-metragem, língua original: árabe (legendado em português)

   Chuva e nomes trocados podem, por vezes, ser catalisadores para que dois estranhos conversem.

   −  “Khorma, Filho do Cemitério” (Tunísia, 2002) de Jilani Saadi, ficção/longa metragem, língua original: árabe (legendado em português)

   Khorma é diferente! Com o seu cabelo ruivo e a sua pele estranhamente branca para um tunisino, muita gente pensa que é atrasado. Bou Khaled, seu mestre, resolve protegê-lo e ensina-lhe os segredos do negócio. Khorma aprende a anunciar casamentos, nascimentos e mortes no seu bairro, em Bizerte. Mas, um dia, o velho Bou Khaled comete um erro grave: anuncia a morte de uma mulher local em vez de anunciar o casamento da sua filha. Khorma é escolhido para o substituir…

   A entrada é livre.

   Tentaremos incluir aqui um excerto do primeiro.

 

 

 

   No Ondajazz na Sexta-feira 23 de Novembro, às 22h30, actua o César Cardoso Quintet , composto por César Cardososaxofone tenor, Bruno Santosguitarra, Filipe Melo  –  piano/fender-rhodes, Demian Cabaudcontrabaixo e Bruno Pedrosobateria que irão, certamente, abordar temas do seu álbum de 2010 “Half Step”, no qual se lhes juntou Pedro Moreira no saxofone tenor para a gravação de 2 temas.

   César Cardoso é membro do grupo Desbundixie, director artístico e fundador da Orquestra Jazz de Leiria.

   Este é um dos temas de “Half Step” para lhe conhecerem o som :

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quarta aqui )

 

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply