Pentacórdio para Domingo 6 de Janeiro

por Rui Oliveira

 

   No Domingo 6 de Janeiro há dois concertos na área da capital a que o lisboeta pode aceder pois se realizam a horas não coincidentes.

 

                         newsletter_800x1388 - Copyteatro são carlos 5

   Um é o “Concerto de Reis” (alusivo à data) que tem lugar na Sala Principal do Teatro Nacional de São Carlos, às 16h, onde a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos sob a direcção do maestro Rui Pinheiro irão interpretar de :

        Antonín Dvořák  Carnaval (Abertura, op. 92)

        Jacques Offenbach  Os Contos de Hoffmann («Barcarolle»)

        Piotr Ilitch Tchaikovski  A Bela Adormecida (Valsa op. 66)

        Bedřich Smetana  A Noiva Vendida, Furiant e Dança dos Comediantes (arr. H.Riesenfeld)

        Charles Gounod  Faust («Vin ou bière»)

        Georg Friedrich Händel  Music for Royal Fireworks (Overture)

        Felix Mendelssohn  Sonho de uma Noite de Verão (Nocturno)

        Giacomo Puccini  Madama Butterfly (Coro a bocca chiusa)

        Aram Khachaturian  Spartacus (Adagio) e Gayane («Dança do Sabre»)

        Franz Lehár  Die Lustige Witwe («Introduktion», «Tanz und Vilja-Lied»)

 

      No mesmo Teatro São Carlos, mas no seu Largo, tocou a Orquestra Sinfónica Portuguesa (mas sob a direcção de Julia Jones) em Julho de 2010 num sarau designado “Um Sonho duma Noite de Verão” (tema incluido neste concerto), conforme este vídeo :

 

   Outros temas menos conhecidos poderão ser os de Khachaturian, também incluídos, de que reproduzimos um, o Adagio de “Spartacus”, como exemplo comparativo , aqui tocado pela Filarmónica de Viena :

 

 

 

ex-logo-40anos 

orquestra metropolitana35bw   Outro, neste Domingo 6 de Janeiro, é o que o jornal respectivo designa por “Grande Concerto Expresso 40 Anos” que ocorrerá no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, às 21h, onde participará a Orquestra Metropolitana da Lisboa, dirigida por Cesário Costa, que interpretará várias peças instrumentais acompanhadas por Live Digital Drawing de António Jorge Gonçalves e ainda músicas do repertório português dos últimos 40 anos, com arranjos de Mário Laginha (foto) para as participações de diversos artistas presentes, escolhidos como “representando” as quatro décadas decorridas.

   Para 1973/1982 ouvir-se-á  “Verdes Anos” (Carlos Paredes) por Pedro Caldeira Cabral (guitarra portuguesa), “Cantigas de Maio” (José Afonso) por Carlos do Carmo (1972), “A Noite Passada” por Sérgio Godinho (1972) e “E Depois do Adeus” por Paulo de Carvalho (1974). 

   Para 1983/1992 é a vez de “Paixão” (Heróis do Mar) por Rui Pregal da Cunha (1983), “Homem do Leme” (Xutos e Pontapés) por Tim (1985), “Porto Sentido” por Rui Veloso (1986) e

“A Vaca de Fogo”por MadreDeus (1987).

   Para 1993/2002 escutar-se-á “Sangue Oculto” (GNR) por Rui Reininho + António César Machado + Jorge Romão (1992) e “Ó Gente da Minha Terra” (Amália Rodrigues) por Mariza (2001).

   Para 2003/2012 será “Quero é Viver” (António Variações/Humanos) por Camané (2004),  “Encosta-te a mim” por Jorge Palma (2007) e“É Sexta-feira” (Emprego Bom Já) por Boss AC (2012).

 

   Não havendo outros eventos de mérito, deixamo-vos − para não ser demasiado nostálgicos – com os três últimos temas deste concerto comemorativo :

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sexta aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply