L’ADRET, L’UBAC. VALE DE AOSTA.

Adret – diz-nos o Bordas – é um termo proveniente do provençal, com o significado de à droit, a direito, mas com o sentido genérico de certo, bom benéfico. No Maciço Central e nos Alpes usava-se o termo para designar as encostas das montanhas com uma orientação favorável a receber o maior número de horas de sol que possível. Normalmente são encostas viradas ao sul. Existem na zona dos Alpes várias localidades com o nome de Adret.

Ubac – termo também proveniente do provençal, e antes do latim opacus, com o significado oposto a adret. Usa-se portanto para designar encostas de montanha com uma orientação que faz que tenham uma exposição mínima ao sol, normalmente viradas a norte.

Com a devida vénia ao CANALBLOG (http://mjethil.canalblog.com/archives/2010/03/23/17299508.html) e ao Alain Morel apresentamos a seguir um esquema que permite compreender facilmente como a orografia condiciona a vida natural e mesmo a vida humana.

adret%20ubacPermitimos-nos ainda sugerir que sigam o link indicado, muito interessante para se obter uma ideia sobre a vida numa zona com estas características.

Na região autónoma italiana Vale de Aosta, situada no noroeste do país, encontramos exemplos de adret e ubac. Fica nos Alpes, e é rodeada por algumas das montanhas mais altas da Europa, como o Monte Branco e o Cervino. Para um conhecimento maior será de todo o interesse  consultar a página oficial da região, bastante  informativa, com muitos anexos, em http://www.regione.vda.it/territorio/parametrinivometrici/Parametri_nivometrici_standard.pdf.  Obtivemos neste portal um mapa que dá ideia de como esta região é acidentada.

Vale de Aosta

Na região vivem 126 mil pessoas. Praticam-se a agricultura e a mineração desde tempos imemoriais, mas hoje em dia o turismo domina a economia. Há uma produção hidroeléctrica importante. A população fala francês, italiano e o patois valdostano, proveniente do provençal.

O rio Dora Baltea atravessa o Vale de Aosta e vai desaguar no Pó. Contribui para amenizar o clima alpino, bastante rigoroso. A orientação do vale, oeste – leste, conjugada com a inclinação das encostas, é muito importante para a variação no que respeita à exposição solar, que varia de local para local, e no mesmo sítio,  ao longo do ano, com o movimento aparente do sol. Na comuna de Brissogne comemora-se em Agosto a chegada da sombra, a Féta de l’oumbra, em valdostano.  Em http://www.patoisvda.org/it/, pode-se consultar o portal dedicado especialmente a esta língua.

Apresentamos a seguir uma fotografia de uma aldeia tradicional que nos dá uma ideia do que é a geografia humana no Vale de Aosta.

vale-aosta-05  - aldeia tradicional

Obrigado ao site AlmadeViajante. Ver http://www.almadeviajante.com/viagens/italia/aosta.php.

Leave a Reply