A SUIÇA PREPARA-SE MILITARMENTE PARA PODER ENFRENTAR OS LEVANTAMENTOS VIOLENTOS NA EUROPA

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota

Mapa Suíça na europa

Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2013

La Suisse se préparerait militairement à des soulèvements violents en Europe

Observatoire de l’Europe

A operação chamada Stabilo  due consistiu em  implantar as suas tropas ao longo das fronteiras com a Itália e com a França para as treinar  a prevenir ou a conter a entrada maciça de migrantes provenientes desses países. Berna abertamente está preocupada com uma desorganização dos exércitos dos países  vizinhos, em ligação  com a crise do euro e as medidas de austeridade impostas por Bruxelas que obriga os Estados a reduzirem  os orçamentos destinados à  segurança (polícia, guarda republicana, exército).

Suíça - X

A combinação de um possível caos social assim como  a incapacidade de o poder controlar  levou os suíços a prepararem-se  porque  para eles é  claro que  o  seu país  estaria  entre os primeiros destinos dos migrantes europeus  se esta perspectiva  se tornasse uma realidade para eles. O ministro da defesa  da Suíça disse: “eu não descarto  a possibilidade de que teremos necessidade  do exército nos próximos anos. Ele também pressionou a Confederação para comprar  aviões de combate Saab Gripen para reforçar os esquadrões de defesa aérea. John R. Schindler, Professor de questões sobre a  segurança nacional declarou  no US Naval War College  e  também no site do Comité XX: “Se um terrorista similar  ao norueguês  Anders Brievik visa  os muçulmanos, as coisas poderia tornar-se incrivelmente perigosas e até  muito rapidamente, o que poderia provocar levantamentos  generalizadas de muçulmanos por  toda a Europa.”

O que o ministro Mauer tenta  explicar  aos  suíços, é que a crise política e orçamental europeia poderiam  assumir uma dimensão  bastante desagradável  que se poderá  transformar  numa fortíssima  instabilidade social. “Os exercícios realizados pelo exército suíço – diz John R.  Schindler – são baseados na possibilidade da instabilidade europeia  se tornar fora de controle.

Esta eventualidade  que é descrita  como perfeitamente lunática ou paranóica pelos  defensores do establishment europeu, não  tem nada de  surpreendente   se considerarmos  os inúmeros motins e revoltas populares que  desde há dois anos   já tiveram a França, Inglaterra, a Itália, a Grécia, Portugal e mais recentemente a Espanha. Neste último país, a taxa de desemprego de juventude ultrapassa agora os 50% e as  ajudas sociais  têm estado a ser fortemente reduzidas. A taxa de desemprego espanhola é de 25,1%.

A Suíça, em comparação, tem uma taxa de desemprego de 2,8%. Esta é a vantagem segura de  um pequeno país livre e soberano para ser capaz de antecipar problemas e não para não  ser com eles confrontado  quando for já  tarde demais. Na União Europeia, por outro lado, a classe política e os media negam os riscos que as políticas irresponsáveis que têm sido seguidas desde há anos fazem correr às pessoas. O contacto com a realidade perdeu-se; a agitação será assim ainda mais violenta.

La Suisse se préparerait militairement à des soulèvements violents en Europe, texto disponível no site Observatoire de l’Europe, cujo endereço é:

http://www.observatoiredeleurope.com/La-Suisse-se-preparerait-militairement-a-des-soulevements-violents-en-Europe_a1844.html

3 Comments

Leave a Reply