Pentacórdio para Quinta-feira 21 de Março

por Rui Oliveira

 

 

 

orquestra gulbenkian 2

   Comecemos a agenda desta Quinta-feira, 21 de Março como ontem, chamando a atenção para o Grande Auditório da Fundação Gulbenkian onde, às 21h, a Orquestra Gulbenkian dirigida por Lawrence Foster voltará a actuar, juntamente com o pianista austríaco Rudolf Buchbinder, desta vez na  execução da segunda parte da  Integral dos Concertos para Piano de Beethoven II, a qual compreende :

 

      Ludwig van Beethoven  Abertura op. 124, “Die Weihe des Hauses”(A Consagração da Casa)

                                                 Concerto para Piano e Orquestra nº 1, op. 15

                                                 Concerto para Piano e Orquestra nº 5, op. 73

 

   Já ontem nos referimos à actividade do pianista austríaco repetente neste concerto. Optamos agora por lhe facultar o acesso à única gravação que encontrámos do seu desempenho no Concerto para Piano e Orquestra nº 5 em Mi bemol Maior, op. 73 “O Imperador” do programa. É um longo registo do sarau para a reabertura do Teatro Carlo Felice (Génova) em Novembro de 2010, em que o maestro Zubin Mehta dirigiu o Coro e Orquestra do Teatro e Rudolf Buchbinder foi o solista. Nota: O concerto “L’Imperatore” surge neste espectáculo aos 28 minutos, depois de Meeresstille und Glückliche Fahrt op. 112 e antes da Sinfonia nº.7 em Lá Maior, op. 92, ambos de Ludwig van Beethoven.

 

 

 

 

 

   Também na Quinta-feira, 21 de Março, estreia na Sala Garrett do Teatro Nacional Dª Maria II, às 21h, a peça “À vossa Vontade” de William Shakespeare (em tradução de Fernando Villas-Boas), com encenação de Álvaro Correia (foto) e interpretação de Álvaro Correia, Carlos Paulo, Carlos Vieira de Almeida, Cristina Carvalhal, Cucha Carvalheiro, Eduardo Breda, Elsa Galvão, Fernando Gomes, F. Pedro Oliveira, Hugo Franco, João Lagarto, João Vicente, Manuela Couto, Rogério Vieira, Vítor Norte e os estagiários Gonçalo Botelho e Rogério Vale.a vossa vontade 1

   Esta coprodução TNDM II / Comuna Teatro de Pesquisa tem cenografia de José Capela, figurinos de Juan Soutullo, música de Hugo Franco e permanece em palco até 14 de Abril (com espectáculos de 4.ª a Sáb. 21h, Dom. 16h).

   O TNDM II fornece esta sinopse :

   «Na corte, expulsam-se duques, fazem-se duelos e prevalece a lei do mais forte contra o mais fraco. O pai de Rosalinda é exilado e, posteriormente, esta é expulsa de casa pelo próprio tio. Orlando fica sem um centavo da sua herança e o irmão instiga Carlos a pô-lo na linha, ao soco e pontapé.

a_vossa_vontade   Fogem todos para a floresta. Para Arden. Onde todos se encontram, se escondem, se apaixonam e se desapaixonam, onde elas se fazem passar por eles e onde tudo pode acontecer… Vive-se assim uma espécie de quebra-cabeças amoroso cuja resolução é difícil de prever.    Na floresta, tudo se joga em prole da paixão e da crença de que tudo é possível, como se fosse apenas aí que cada um pode ser livre e realizar-se plenamente. Mesmo que se acentuem os mal-entendidos e que os amores continuem desencontrados, no final surge um deus ex machina para acabar com a confusão e resolver tudo, não ao soco e pontapé mas por via do santo matrimónio. Porque, no final, longe da corte, aqueles que sempre acreditaram na felicidade e lutaram por ela têm direito a uma compensação divina. Pelo menos nesse sítio utópico que se chama Arden…»

 

 

 

   Ainda no teatro, agora no Maria Matos Teatro Municipal, no Palco da Sala Principal, às 21h30 (repetindo Sexta e Sábado), o jornalista e argumentista Rui Catalão apresenta ao público “Av. dos Bons Amigos”, um novo episódio de uma série de “solos acompanhados” em que tem explorado a autobiografia e a memória enquanto matérias ficcionais e que o próprio explica assim :rui catalão

   «Erguida quando eu era ainda uma criança, a Av. dos Bons Amigos tornou-se na principal artéria da vila onde os meus pais vivem desde a infância, e onde eu nasci e cresci. Essa vila tornou-se entretanto num dos dormitórios mais assustadores nos subúrbios de Lisboa e na décima maior cidade do país.

ruicatalao   Em Av. dos Bons Amigos, convido os espectadores dispostos em semi-círculo a experimentarem “uma hora psicológica” sem recorrerem ao relógio – será um tempo ligeiro, nem rápido, nem saturante. Fácil de suportar e difícil de digerir. Através de anedotas, memórias pessoais, e da história recente do país, incorro numa excursão a temas que nos são comuns, mas que nos habituámos a esconder: o isolamento, as inibições a que sujeitamos o corpo, a vergonha daquilo que nos menoriza perante o que identificamos como normalidade, a relação de medo com o desconhecido. Dor, doença e pânico da morte. A dificuldade em assumir a relevância pública dos nossos pavores privados…

   Com Av. dos Bons Amigos pretendo convocar o espectador para um espaço intermédio entre o que é público e o que é privado, e aí trilhar um caminho diferente para o sentido de pertença e de responsabilidade colectiva».

 

 

 

slamdvd   Dentro da Festa da Francofonia, o Institut Français de Portugal organiza nesta Quinta-feira, 21 de Março, às 18h, uma FESTA SLAM composta pela exibição dum filme, seguida de um serão slam, ambos de entrada livre.

   O filme “SLAM, ce qui nous brûle” (França, 2008, documentário, 52’), de Pascal Tessaud, será projectado com a presença do slamer Hocine Bem.

   Foi já apresentado em mais de 35 países e é um documentário que traça um retrato de três slamers – Nëggus Luciole, Hocine Ben e Julien Delmaire –, mostrando-nos a diversidade do movimento slam em França, através do questionamento das raízes da oralidade. Passado entre serões em público e entrevistas, mostra uma reapropriação da língua francesa para lá de todas as barreiras, quer geográfica, quer sociais, e um renascimento da poesia e da escrita.

slam cartaz 

   Segue-se o Serão Slam ou seja uma sessão de leitura de poemas com o princípio de cena aberta, ou «open mic», isto é, quem quiser poderá recitar um texto se assim o desejar. Para os organizadores, o Slam é um movimento artístico portador de valores tais como a abertura de espírito, a escuta, a partilha, a liberdade de expressão e o ultrapassar de barreiras sociais.

                     ______IICManager_Upload_IMG_Lisbona_dal%2021%20al%2028%20marzoromanzo di una strage

romanzo-di-una-strage-il-regista-marco-tullio-giordana-sul-set-del-film-233083   E quanto a cinema, relembramos que na Quinta-feira, 21 de Março, começa efectivamente a exibição de películas da “8 ½ Festa do Cinema Italiano” com a projecção na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, às 21h30, do filme “Romanzo di una Strage” (Itália, 2012) de Marco Tullio Giordana (foto), com Valerio Mastandrea, Pierfrancesco Favino, Michela Cescon, Laura Chiatti, Fabrizio Gifuni nos papéis principais, além de fotografia de Roberto Forza, montagem de Francesca Calvelli e música de Franco Piersanti.Romanzodiunastrage

   Prevê-se um filme empolgante sobre o massacre de Piazza Fontana a 12 de Dezembro de 1969 em Milão, o episódio que abre “os anos de chumbo” italianos.

   Sinopse : Na Piazza Fontana, a polícia segue uma pista dita “anarquista” e para obter informações interroga Pinelli, um anarquista não violento, ao longo de 3 dias de jejum e insónia, ao fim dos quais este se lança misteriosamente da janela do gabinete do Comandante Calabresi. Ausente no momento do acontecimento, será ele a ser considerado o responsável directo. Continuando as indagações, Calabresi descobre pistas neonazis e de tráfico ilícito de armas, encobertas pelos Serviços Secretos italianos e pelo próprio Estado. Mas no dia 17 de Maio de 1972, Calabresi é assassinado…

   É este o seu filme-anúncio :

 

 

 

 

alexandre kassin   Ainda na música, no Espaço Brasil (Lx Factory – Rua Rodrigues de Faria, nº 103) começa nova iniciativa, a Semana Novas Tendências da MPB em que, no primeiro dia, Quinta-feira, 21 de Março, às 22h30, sobe ao palco o DJ, produtor, compositor e multi-instrumentista Alexandre Kassin, que esteve envolvido em projectos como +2 ou Orquestra Imperial, e aqui vem apresentar o seu primeiro disco a solo, “Sonhando Devagar”.

   Ajuize o leitor, escutando p.ex. o tema “Fora de Área” desse CD recente aqui : http://youtu.be/psiQx2rIkPM

 

 

 

   Nesta Quinta-feira onde sedeveria celebrar o 21 de Março – Dia Mundial da Poesia, quase só a Casa Fernando Pessoa tem programa comemorativo (optando p.ex. o CCB por o festejar no Sábado 24 de Março).90367ab2d8

   Então, a partir da 10h, haverá  no auditório da Casa Fernando Pessoa, leituras abertas ao público, sob o tema “Venha Ler o seu Pessoa Favorito”. Contaremos com a participação de vários poetas e escritores ao longo do dia. No final divulgaremos qual o texto de Pessoa mais popular.

   Segue-se, às 16h,  uma inauguração oficial do novo espaço multimédia “O Sonhatório” após o que, às 18h,  haverá Caixa de Pandora com Rui Filipe (piano), Cindy Gonçalves (violino) e Sandra Martins (violoncelo).

   A entrada é livre no limite dos lugares disponíveis, estando o acesso ao auditório por elevador vedado após o início da sessão.

 

 

 

   Por último, no campo das conferências/debate, alerta para um colóquio e uma iniciativa curiosa.

 

 

   No Pequeno Auditório do CCB há, neste dia 21 de Março (Quinta-feira), um colóquio evocativo dos 20 anos do Centro Cultural de Belém intitulado “CCB – Cidade Aberta”, coordenado pelo Arq. Nuno Grande.ccb

   Depois duma sessão inaugural com palavras de abertura do Presidente do Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém, Vasco Graça Moura, seguem-se sessões de debate :

   Das 14h30 às 16h00 “O CCB no contexto urbano e cultural de Lisboa” terá apresentação e moderação de Simonetta Luz Afonso, com intervenções de António Lamas, Walter Rossa, António Guerreiro e Pedro Mexia.

   Das 16h30 às 18h00 “O CCB no contexto da arquitectura portuguesa e europeia” terá apresentação e moderação de Nuno Grande, com intervenções de Manuel Salgado, Gonçalo Byrne, Nuno Portas e Jorge Figueira.

   As sessões são de entrada livre.

  

   Às 19h00 no espaço Garagem Sul / Exposições de Arquitectura verifica-se a inauguração da exposição “ARX arquivo/archive” com curadoria de Luis Santiago Baptista, a que faremos referência oportunamente.

 

 

   Entretanto, começa nesta Quinta-feira, 21 de Março, às 19h, no Auditório do Goethe-Institut (Campo dos Mártires da Pátria, nº 37), um programa de André e. Teodósio e André Godinho, com a participação de Joachim Bernauer (Goethe-Institut) e um convidado variável (que neste dia é Jürgen Bock, curador) intitulado Das Praktische Quartett.10581299-STANDARD

   Explicando (Goethe Inst.) : « Até Maio de 2012 existiu no ZDF, um canal de televisão alemão, um talkshow intitulado “Das Philosophische Quartett” (O Quarteto Filosófico) liderado por dois dos maiores filósofos do pensamento contemporâneo, Peter Sloterdijk e Rüdiger Safranski. No programa, quatro pessoas reuniam-se para conversar e pensar o mundo.

   Com Das Praktische Quartett (O Quarteto Prático) inicia-se no Goethe-Institut em Lisboa o primeiro talkshow prático. Isto é, todos os meses ter-se-á no programa um convidado muito especial, uns quantos anúncios, … e muitos risos e aplausos enlatados. Seja prático e venha ver-nos ao vivo para depois nos rever on-line. Porque Das Praktische Quartett é a melhor caixa de ferramentas!» − anunciam os organizadores.

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Terça aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply