RUY BELO – “O PROBLEMA DA HABITAÇÃO” OU COMO HABITAR ESTE MUNDO – por Clara Castilho

Imagem1

Inserido nas actividades do DIA DA POESIA, realizadas no Centro Cultural de Belém, dia 24 de Março passado, Fernando Pinto do Amaral fez a apresentação do livro de Ruy Belo  O problema da habitação, agora de novo editado pela “Assírio e Alvim.i

 Do site da editora podemos tirar:

 “O Problema da Habitação foi o segundo livro publicado por Ruy Belo, um dos grandes poetas do século XX português. Nas palavras de Gastão Cruz, «Creio que nenhum poeta português interroga de forma tão aguda e permanente como Ruy Belo a estranheza do que nos acontece e do que nos rodeia […], as contradições da nossa fala e as nossas idas e vindas […], a nossa insegurança e a nossa efemeridade.» Ruy Belo nasceu em 1933 em S. João da Ribeira. Licenciou-se em Direito e, mais tarde, em Filologia Românica, pela Universidade de Lisboa, obtendo mais tarde o doutoramento em Direito Canónico pela Universidade de S. Tomás de Aquino, em Roma. Entre outras actividades foi crítico literário, jornalista, leitor na Universidade de Madrid e tradutor para português de nomes como Blaise Cendrars, Saint-Exupéry, Lorca e Jorge Luís Borges, entre muitos outros. Considerado um dos mais importantes poetas portugueses da segunda metade do século XX, faleceu precocemente em 1978.”Imagem1

Já no prefácio Fernando Pinto do Amaral defendera que este livro representa um dos momentos mais coerentes e mais densos da obra de Ruy Belo. E nesta apresentação lembrou o seu percurso, considerando-o um poeta de transição entre o que vem de trás, a herança ainda clássica, mas inovando. Do ponto de vista temático, os seus temas são os de um português, católico, vivendo no ocidente, com sentido de união, fraternidade, que tempera com a consciência do efémero, da transitoriedade. Pela obra perpassa o tema da morte e do tempo que não volta. Consciência que lhe traz uma melancolia, sem perder o sentido de fraternidade, não sendo, no entanto, uma melancolia estéril, mas uma reconciliação com o que é humano, uma clivagem entre o ideal e o real que o rodeia.

Este livro tem dez poemas que terão sido pensados como um todo, em que todos têm a ver uns com os outros, havendo mesmo versos que vão passando de uns poemas para os outros. Foque-mo-nos no título: “O problema da habitação”. Trata-se de saber como habitar este mundo, ou como torna-lo habitável. No fundo, um livro desencantado, melancólico, num mundo sem abrigo – e nesse sentido é como se fossemos uns “sem-abrigo”! E então o que nos poderá fazer respirar? Pois a poesia, o amor, num mundo em que Ruy Belo acha que temos que dar, independentemente da retribuição que tivermos.

 

Leave a Reply