Pentacórdio para Domingo, 9 de Junho

por Rui Oliveira

 

 

        66e3950c747580fc414a57a82e68337a       546531_342136539177297_333899810000970_967850_14063758_n

FESTAS13_EGEAC_1   Não serão muitos os acontecimentos de vulto uma vez findas as temporadas das principais casas de espectáculo cultural na capital e este Domingo, 9 de Junho não destoa desse panorama. Começarão a prevalecer os mini-eventos integrados em festivais múltiplos, nomeadamente nesta altura as “Festas de Lisboa’13”, promovidas pela EGEAC, e sintetizáveis nesta sua frase : “em Junho a capital enche-se de alegria, de arraiais, de manjericos e de sardinhas”. É o que veremos se se verifica nos próximos dias.

   Entretanto, lembremos algumas dessas iniciativas, enquanto a programação integral pode ser consultada em www.festasdelisboa.com .

 

   Uma, no campo do teatro musicado, é “A Kate e o Skate”, uma co-produção entre o Conservatório de Lisboa e o Teatro Ibérico.

image0032   O libreto é de Risoleta Pinto Pedro, a música de Jorge Salgueiro e conta com a participação da Maestrina Inês Igrejas e a encenação de Laureano Carreira. A estreia teve lugar no dia 1 de Junho, Dia da criança, e prosseguirá todos Domingos, logo este 9 de Junho, às 15h.

   Este musical juvenil conta a história de um grupo de crianças e adolescentes, de aparência absolutamente comum, no qual se destaca a protagonista Kate (a soprano Ângela Silva), cuja personalidade é bastante forte. Ela, a Maria e a Rita, as suas grandes amigas, pertencem a um grupo que é rival de um outro, e com o qual mantêm inicialmente alguns confrontos verbais e quase físicos: o grupo dos rappers/graffitters. Tudo se passa num jardim, em torno do coreto, onde alguns músicos ensaiam. Os miúdos iniciam as férias e o coreto do jardim é o local dos encontros e o sítio onde se conheceram. Kate, que na realidade de chama Cátia, adora andar de skate e exige que lhe chamem Kate. Bruno é o “chefe” do grupo dos rappers, e apresenta uma atitude desafiadora e pouco social, a qual irrita Kate. Kate sofre de uma doença grave e vai viver momentos complicados, tal como todo o grupo que com ela se solidariza. O elemento revelador da tragédia será a sua mãe, que a procura dolorosamente para a conduzir ao hospital. Contudo Kate é rija e, com o auxílio do skate, a solidariedade dos amigos, o apego ao coreto, a música e a descoberta dos primeiros amores na pessoa do irritante Bruno, vai conseguir vencer a doença e até (quase) virar o Hospital de pernas para o ar…

 

   Outra intitula-se “Domingo, Dez da Noite, uma Guitarra” e passa-se no Largo do Chafariz de Dentro, às 22h, todos os Domingos de Junho, logo a 9 de Junho.

   Diz o programa que «Lisboa é a cidade das guitarras. Tem uma música própria que nasceu e cresceu com elas. Tem a noite e as ruas dos bairros velhos onde se desenvolveu uma tradição de convívio fora de horas, e que é hoje uma marca da nossa cultura. sidonio pereiraA tradição musical de Lisboa faz-se de encontros e de trocas, de muitos fados, muitas culturas e muitas guitarras … A proposta de programação para este ano vai ao encontro da tendência expressa em trabalhos recentes de músicos da área do Fado, que têm procurado, no encontro com outras  músicas, os novos caminhos da canção de Lisboa».

   Neste dia é Sidónio Pereira o guitarrista evidenciado (com quatro discos editados em nome próprio), participando no espectáculo o músico e compositor Jorge Fernando e a fadista Yola Dinis.

   O vídeo abaixo mostra a qualidade instrumental de Sidónio Pereira ; um outro (de fraca qualidade de imagem) que, além do som da guitarra, permite ouvir a voz duma fadista que é Yola Dinis, pode o leitor ver aqui :

 

 

   Outro espectáculo ainda deste Domingo, 9 de Junho é o “Festival do Cravo e da Tulipa” 5784016511_5632665220_o-1000x490(já na sua 6ª edição) promovido pela “Associação Luso-Turca” que pretende durante 4 dias (de 6 a 9 de Junho) sensibilizar os visitantes e dar-lhes a conhecer a importância da Turquia, da sua riqueza e diversidade cultural, através da compreensão e da educação.

   No Jardim de Belém (Rua Vieira Portuense), das 10h às 22h, são propostos espectáculos de danças folclóricas, concertos de música tradicional turca e mostras de artes manuais, como caligrafia turca, arte Ebru ou cozinha turca.

 

 

MA-Fest-1000x490

   Também se integra nas “Festas de Lisboa’13” o “XI Festival Internacional de Tango de Lisboa”, organizado na Voz do Operário (Rua da Voz do Operário, nº 13) pela Lusitango – Associação Cultural e Recreativa de Tango Argentino.

   Iniciou-se a 5 de Junho e compreende, além de workshops sobre tango argentino, no  essencial shows diários de milongas, nomeadamente no dia de encerramento, Domingo, 9 de Junho, das 16h às 20h (entrada gratuita) e das 22h30 às 4h (a 20 €).

   Como NOTÍCIA EM ATRASO, lembra-se que HOJE (Sexta 7), às 20h30, lá se pode ouvir o show “Puro Tango’13” onde tocará a Orquestra Ojos de Tango e cantará o convidado especial Walter “El Chino” Laborde. Também haverá pares de bailadores de tango, como Sebastian Achaval e Roxana Suarez, Jonh Erban e Clarissa Sanchez, Mariano Otero e Alejandra Heredia e ainda Alejandro Larenas e Marisol Morales.

   Este vídeo mostra o cantor prestando homenagem às “Mães da Praça de Maio” :

 

 

 

943132_535694246487072_566265956_n

945342_532270666829430_1308201815_n  Por fim, à semelhança de anos anteriores, o  Meo OutJazz facultará concertos de jazz gratuitos. No Domingo, 9 de Junho será às 17h no Anfiteatro Keil do Amaral, em Monsanto, onde se ouvirá uma revelação soul portuense deste ano, Kika Santos cantar o seu recente trabalho “Art beats from the Heart”.

   Eis desse EP a canção “Babies Eyes”  (outra sua boa prestação pode ser ouvida aqui ):

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sexta aqui)

 

 

 

Leave a Reply