TODAS AS AUSTERIDADES NOS LEVAM A SPEENHAMLAND* – ORGANIZAÇÃO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Selecção de textos, tradução, organização e nota introdutória por Júlio Marques Mota

Parte I

Ainda a propósito da Manifestação contra a Troika, ainda a propósito das mentiras da Troika** (Epílogo)

Quis o acaso que um texto de  Murer desta semana me tenha  chamado à atenção para o facto de que havia quem também se tenha confrontado com os dados globais das políticas de austeridade por países e  num trajecto que poderia ser paralelo ao nosso quando nos debruçámos sobre as mentiras de Bruxelas e sobre as mistificações que a partir dai tem pairado sobre os diversos países a propósito da necessidade de prosseguirem com as políticas de austeridade. Tratava-se pois de  compilações  de dados feitas por diversos autores  sobre a União Europeia e que alinhavam com os dados e gráficos por nós apresentados, com a diferença que queriam apenas  a mostrar a loucura de toda esta política enquanto nós adicionalmente a este objectivo queríamos mostrar igualmente as mentiras da Troika. Diríamos, seria sempre com base num  balanço deste tipo que se faz a demonstração de que não estávamos no fim da recessão técnica, a propósito das mentiras agora propaladas pela Central de intoxicação económica que é Bruxelas e pelos seus comparsas  menores espalhados pelos vários Estados-membros. Um trabalho portanto a aproveitar. Foi o que fizemos, mostrando-se com um dos artigos que esta política em vez de nos levar a sair  da crise nos levava sim ao mundo da miséria de séculos já passados, ao mundo dito de  Speenhamland. E é a esta realidade que nos conduzem as logicas “austeritárias”  em vez de  nos levarem à saída da recessão, como se falou claramente em Portugal pelas palavras do  ministro Paulo Portas,  como foi disso também exemplo o ministro espanhol Guindos,  como foi disso um extraordinário exemplo as declarações de François Hollande proferidas no ano passado sobre o “facto” virtual, claro, de que a crise já tinha passado.

E nada melhor do que começar esta peça por um texto de humor, as declarações de François Hollande, para evidenciar o absurdo das mentiras oficialmente difundidas.

Coimbra, 2 de Novembro de 2013

Júlio Marques Mota

xxxxxx

Hollande: la crise da  zona euro «está já atrás de nós»

10 de Dezembro de 2012

François Hollande - 10 de Dezembro de 2012 François Hollande em  Oslo, no dia  10 de Dezembro  (Photo Daniel Sannum-Lauten. AFP)

O Presidente francês estava a falar de Oslo, onde esteve por  ocasião da atribuição do prémio Nobel para a União Europeia.

O Presidente francês François Hollande disse na segunda-feira em Oslo que a crise na zona euro já está  “atrás de nós”, sublinhando  todos os esforços feitos para “resolver os problemas”.

O prémio Nobel entregue a uma União Europeia afundada na crise

 

A crise na zona euro, já o disse, ela está atrás de nós.

 

À Grécia, finalmente, concedemos-lhe os fundos que ela esperava.

 

À  Espanha, permitimos-lhe  que o sector bancário fosse recapitalizado.

 

A Itália, mesmo que haja incerteza política, tenho certeza que os italianos responderão  como  é necessário  “, disse François Hollande  à imprensa.

“E portanto tudo o que temos a fazer já não é, pura e simplesmente, sair da crise da zona euro: está já  feito”, acrescentou, depois da entrega do prémio Nobel da paz a União Europeia.

” Desde há seis meses que tenho estado  empenhado em resolver os problemas. Mas agora é necessário  sair da crise. Ou seja, fazer com que haja crescimento, empregos com que a juventude ganhe confiança , continuou o Presidente da República.

Questionado  sobre a Itália, em que o  primeiro ministro Mario Monti anunciou a  sua próxima demissão e  em  que  eleições gerais antecipadas estão marcadas para o início 2013, François Hollande expressou o  seu optimismo.

“Estou convencido de que o que se acaba de passar permitirá a Itália encontrar um governo estável depois das eleições no mês de Fevereiro. E eu senti que havia em Mario Monti, não  desilusão, , não, de modo nenhum mas antes pelo contrário  há nele o desejo de se empenhar  pelo  seu país», frisou.

‘ O lugar que ele quer ocupar, disso eu não sei nada, isso  não é a mim que me cabe dizê-lo. Mas eu achei-o mais  mobilizado  que desarmado”, acrescentou a propósito do chefe do governo italiano.

(continua na terça-feira, dia 10 de Dezembro de 2013)

______

Notas de A Viagem dos Argonautas:

* Sobre as leis de Speenhamland, introduzidas em Inglaterra em 1795, veja-se:

http://eoinhiggins.blogspot.pt/2010/02/karl-polanyi-speenhamland-and-future-of.html

http://www.victorianweb.org/history/poorlaw/speen.html

** Esta manifestação realizou-se a 26 de Outubro de 2013.

1 Comment

Leave a Reply