Celebrando Luís Pignatelli – 2 – por Álvaro José Ferreira

Imagem1Nota prévia:Para ouvir os poemas de Luís Pignatelli (cantados por Vitorino, José Afonso, Janita Salomé, Adriano Correia de Oliveira e Teresa Silva Carvalho), há que aceder à Página

http://nossaradio.blogspot.pt/2013/12/celebrando-luis-pignatelli.html

e clicar nos respectivos “play áudio/vídeo”.

Sonetilho para uma Adolescente

Poema: Luís Pignatelli (in “Obra Poética”, Lisboa: &etc, 1999 – pág. 84)
Música: Vitorino Salomé
Intérprete: Vitorino* (in LP “Flor de la Mar”, EMI-VC, 1983, reed. EMI-VC, 1992, Valentim de Carvalho/Som Livre, 2008)

Que vento norte
Na manhã do mar
Sopra teus seios
De flores de morte?

Que nuvem arde
Sobre o teu corpo
Teu corpo aberto
À tempestade?

Que vaga lua
Virá de noite
Doce tanagra

Pôr-te mais nua
Que a nua praia
Doce e amarga?

* João Lucas – piano
Pedro Caldeira Cabral – viola da gamba
Sérgio Mestre – flauta
Peter Meier e Carlos Salomé – violas Ovation
Direcção musical e arranjos – Vitorino, Pedro Caldeira Cabral e Janita Salomé
Produção – Vitorino, Manuel Salomé e Francisco Vasconcelos
Gravado nos Estúdios Valentim de Carvalho, Paço d’Arcos
Técnicos de som – António Pinheiro da Silva e Pedro Vasconcelos

Elegia

Poema: Luís Pignatelli (in “Obra Poética”, Lisboa: &etc, 1999 – pág. 79)
Música: José Afonso
Intérprete: José Afonso* (in LP “Baladas e Canções”, Ofir, 1967, reed. EMI-VC, 1996)
O vento desfolha a tarde
O vento desfolha a tarde
Como a dor desfolha o peito
Como a dor desfolha o peito

Na roseira do meu peito
Na roseira do meu peito
Senhora, meu bem, fermosa
Senhora, meu bem, fermosa

Vai-se a tarde, ficam penas
Vai-se a tarde, ficam penas
Na roseira do meu peito
Na roseira do meu peito

Senhora por quem eu mouro
Senhora, meu bem, eu mouro
Senhora, meu bem, fermosa
Senhora, meu bem, fermosa
* Rui Pato – viola
Gravado nos Estúdios da RTP, Monte da Virgem – Vila Nova de Gaia
Remasterização e restauro digital – Paulo Jorge Ferreira

Não É Fácil o Amor

Poema: Luís Pignatelli (in “Obra Poética”, Lisboa: &etc, 1999 – pág. 83)
Música: Janita Salomé
Arranjo: José Peixoto
Intérprete: Janita Salomé* (in (CD “Tão Pouco e Tanto”, Capella/AudioPro, 2003)

Não é fácil o amor, melhor seria
Arrancar um braço, fazê-lo voar…
Dar a volta ao mundo, abraçar
Todo o mundo, fazer da alegria

O pão nosso de cada dia, não copiar
Os males do amor, matar a melancolia
Que há no amor, querer a vontade fria
Ser cego, surdo, mudo, não sujeitar

O amor ao destino de cada um, não ter
Destino nenhum, ser a própria imagem
Do amor: pôr o coração ao largo, não sofrer

Os males do amor, não vacilar, ter a coragem
De enfrentar a razão de ser da própria dor
Porque o amor é triste, não é fácil o amor…

* José Peixoto e Mário Delgado – guitarras acústicas
Produção – Paulo Jorge Ferreira
Consultor de produção – Jorge Mourinha
Produção executiva – Janita Salomé, Bárbara Barros Viseu e Nuno Faria
Gravado nos Estúdios Xangrilá e Masterix, Lisboa, entre Julho de 2002 e Fevereiro de 2003
Captação de som – Paulo Jorge Ferreira, Carlos Jorge Vales, Pedro Rêgo e Jorge Avilez
Misturas e masterização – Paulo Jorge Ferreira

(Continua)

Leave a Reply