O QUE PENSA A SOCIEDADE SOBRE AS “NOSSAS” CRIANÇAS ? por Luísa Lobão Moniz

 

olhem para  mim

 

 

Que só sabem exigir coisas aos pais, que fazem chantagem, que não obedecem, que não gostam da escola.

Mas onde foram buscar estas ideias? Certamente não foi numa conversa tranquila com os seus filhos…

“Este só veio para atrapalhar a nossa vida ” mãe de um menino de 10 anos, 2003.

bia-sala de aula

“Já não estava à espera…já não temos idade para isto, é uma canseira porque a professora não lhe liga e os colegas só a gozam” mãe de uma menina de 9 anos, 2013

Ser Criança é como andar num labirinto à procura do afecto de que lhe é devido, mas o labirinto tem muitos corredores enganadores.

O próximo corredor é o Natal e o afecto que recebem são quase todas as prendas que pediram ou nada.

“Eu acho que não há Pai Natal, se houvesse eu já tinha tido uma bola”, menino com 10 anos, 1988.

“ mas ela pediu…”

Este pedir é fácil de se saber, mas o pedir afecto não é fácil de identificar, porque muitas vezes transforma-se em pontapés, gritos, ameaças.

O Natal, que tradicionalmente era festejado em família, como o nascimento do Menino Jesus, tornou-se numa época consumista e de ansiedade para os que quase nada podem oferecer. A tradição já não é o que era… está a nascer outra tradição relacionada com os presentes possíveis para ajudar a economia e para termos como presente, porque fomos bons alunos, a entrada nos mercados.

Onde fica a entrada nos mercados? Fica nos meninos sem Natal.

Já alguém pensou verdadeiramente no que é Ser Criança?

“As Crianças são o melhor do Mundo” escreveu um dia Fernando Pessoa, mas será que o mundo é o melhor para as Crianças?

Durante esta época vamos assistir a programas de televisão mostrando Crianças  sem mundo, sem nada, Crianças maltratadas, Crianças sem comida, sem roupa, sem casa. Crianças soldados, Crianças a trabalhar clandestinamente.

Durante esta época vamos assistir a programas de televisão mostrando Organizações Humanitárias a levarem uma aragem de bem estar às crianças que vagueiam no mundo sem afecto…

Que vergonha para a Humanidade!

1 Comment

  1. Mas a sociedade quer mesmo pensar nas crianças? É que parece ser padrão desta sociedade fazer/levar a que não se pense: pensar levanta questões e questionar implica procurar respostas… e é melhor ficar-se pelas perguntas. É assim que se constroem debates televisivos… e outros programas ainda mais deprimentes, mas com aparente maior audiência. É preciso devolver o reinado à criança, Imperador do Espírito Santo! Já em 2014!

Leave a Reply to Isabel Cancel reply