POESIA AO AMANHECER – 364 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

ONÉSIMO SILVEIRA

                                               ( 1935 )

            LEMA

            Atrás dos ferros da prisão

            É preciso levantar os braços algemados

            Contra a prepotência!

            Atrás dos ferros da prisão

            É preciso afogar a noite em gritos de luz

            Para a voz de todos os homens!

            Atrás dos ferros da prisão

            É preciso lutar pelo pão das crianças sem pão:

            As crianças de barriga inchada

            De lombriga e de fome!

            (de “Hora Grande”)

Poeta cabo-verdiano. Conheceu o exílio em França, China e Suécia. Colaborou em “Claridade”, “Mensagem” (CEI). Figura em “Modernos poetas cabo-verdianos” (1961), “Poesia africana di rivolta” (1969). Obra poética: “Hora Grande” (1962), “Poemas do tempo das trevas: Saga, poesia inédita e dispersa” (2008).É autor do ensaio “Consciencialização na literatura de Cabo Verde” (CEI, 1963).

Leave a Reply