António Aleixo – O Poeta do Povo, de António de Sousa Duarte – por Inês Figueiras

livro&livros1

Imagem1

A propósito do 115.º aniversário do nascimento de António Aleixo, que hoje se assinala, Inês Figueiras recorda-nos a biografia António Aleixo – O Poeta do Povo, da autoria de António de Sousa Duarte, uma edição da Âncora Editora, Novembro de 1999.

Poeta popular algarvio, de origens humildes, só deu os primeiros passos na leitura e na escrita aos 20 anos, altura em que cumpriu o serviço militar. Sem estudos, aprendeu com a cultura da vida, absorvendo o mundo à sua volta e interpretando-o através do seu dom para as quadras. Os temas são variados: «a religião e a riqueza, a guerra e os homens, os ofícios e a política» (p. 12).

Quando Começo a Cantar… foi o primeiro livro que publicou, pelo Círculo Cultural do Algarve, tendo esgotado num mês as 1100 cópias, mas a maior compilação da sua obra, Este Livro Que Vos Deixo…, só chegou à estampa em 1969, 20 anos após a sua morte. Do povo para o povo, a obra poética de António Aleixo ainda hoje é citada por alguns como se tratando de património oral, de autor desconhecido para quem cita. Algumas quadras:

«Uma mosca sem valor

Pousa com a mesma alegria

Na careca de um doutor

Como em qualquer porcaria.» (p. 49)

«Quem veste o que lhe dão,

Vive sempre num inferno,

Traz sobretudo no Verão

E anda em camisa de Inverno.» (p. 113)

«P’rá mentira ser segura

E atingir profundidade

Tem que trazer à mistura

Qualquer coisa de verdade.» (p. 153)

António Aleixo – O Poeta do Povo apresenta o homem e o escritor improvável, analisando a época e o contexto, a influência da família, da vida laboral, da emigração, da doença, a comparação com a vida e obra do trovador beirão Gonçalo Anes Bandarra, a amizade com Miguel Torga. Ponto de partida para a leitura das obras de António Aleixo, ou de chegada, para quem já as conhece e melhor pretende interpretá-las.

 O autor: António de Sousa Duarte nasceu em Vendas Novas (Évora), em Abril de 1964.  Aos 18 anos já era repórter. Abraçou a profissão durante quase duas décadas, facto que o levou a passar por muitas redacções. Ao serviço da Agência Lusa, foi enviado-especial à Guerra da Jugoslávia.  Durante cerca de dez anos foi professor do Ensino Secundário e docente universitário nas áreas do Jornalismo, Assessoria Mediática e Relações Públicas.  Foi director de Comunicação do Sporting Clube de Portugal. É fundador e administrador da agência de comunicação ADBDCommunicare.  Estudou Direito e Ciência Política.  É autor das biografias literárias de Salgueiro Maia, D. Manuel Martins e António Aleixo; e co-autor, ao lado dos cineastas Fernando Lopes e Rogério Ceitil, dos «Retratos Contemporâneos», documentários produzidos pela RTP sobre estas personalidades e Ary dos Santos. Escreveu ainda, entre outras, as obras O Sangue da Honra, com Francisco Moita Flores, e Acerto de Contas.

1 Comment

  1. Agora mesmo vi no canal 7(..mémorial..) alguem falar deste poeta e GRANDE HOMEM que foi Antonio Aleiro e adorei ..um grande obrigado à Pessoa que falou nele ..gostava de comprar primeiro livro ..quando comeco a cantar sera possivel ??encontrar ??

Leave a Reply