A ADOLESCÊNCIA E A SUA CULTURA SOCIAL por Luísa Lobão Moniz

olhem para  mim

Falar da adolescência, hoje em dia, não é tarefa fácil.

A adolescência é uma fase da vida cheia de dúvidas, muita necessidade de afirmação, querer andar na moda, não ser vigiado pelos pais, não “levar secas” dos professores, não ver os pais ou as mães como pessoas da mesma idade do que eles.

Ser adolescente é diferente, é contestar o que está instituído e ainda não saber o que fazer para substituir o que contestam, os pais e os professores estão no que é instituído.

O que fazer com a demasiada interferência dos pais? o que fazer com a indiferença dos pais?

Hei, estou aqui, vivo na mesma casa, vou à escola, jantamos juntos.

adolescentes bia

De vez enquanto dizem (ou vezes demais) que não sabe o que quer, que só quer sair com os amigos, que anda com más companhias, que só quer roupas de marca que são as mais caras, que não ajuda em casa, que não estuda senão nas vésperas dos testes e por isso tem as notas que tem (suficiente, ou seja 3), citam exemplos de bons alunos e porque é que não é como eles e admitem que eles se deixam levar pelo filho.

Porque é que a mãe há-de vestir a camisola da filha? para parecer da idade dela?

Porque é que o pai fala com as mesmas expressões que o filho e os amigos falam? para parecer um deles?

Os pais são os pais com os seus direitos e deveres, em princípio a sua fase de desenvolvimento caminha noutro sentido…  os filhos são seres em crescimento com a vida nas suas mãos, estão a aprender como se mexerem dentro dela.

Tem o quarto todo desarrumado, a mãe é uma exagerada!

Mas ele sabe onde estão as coisas e o quarto é seu.

Não devia ter feito a tatuagem sem dizer nada.

Para quê, ele fazia-a na mesma, todos os amigos já fizeram.

Enquanto isto se passa todo o organismo está em ebulição, toda a parte psicológica está a sustentar o que diz e faz, mas ninguém olha para mim.

Por vezes pensa se estará a fazer tudo errado e então apetece-lhe ficar sozinho ou no computador a falar com os amigos, não precisa de os ver…

Por pensar em computador,  em casa é uma guerra constante com os pais porque, dizem que está demasiado tempo sentado ao computador, que vai ficar obeso porque passa o dia sentado, não faz exercício físico.

Dizem que a net é perigosa, como se ele não soubesse, na escola já tiveram algumas sessões sobre isso, mas quem quer continuar a marcar encontros com pessoas desconhecidas marca na mesma, às vezes falam com pessoas que não conhecem e até desabafam com elas…

Paremos para pensar e veremos que durante o tempo que estamos com os adolescentes são mais as “coisas más” que dizemos do que as “coisas boas”

Parece que os adolescentes estão contra os adultos Porque olhamos para eles como se fossem uma ameaça para o nosso bem estar.

Ao jantar, em que estão todos juntos, não aproveitam o tempo para saberemos o que fizeram durante o dia, o que pensam sobre as notícias que vêem nos jornais e nos telejornais, a não ser quando foi o campeonato de futebol…

Quando vão olhar para o filho adolescente pelos comportamentos positivos?

O filho adolescente precisa de ser reconhecido pela positiva, para não ter medo do outro, para ter auto estima, para estar seguro naquilo que faz.

Quando aprendem  os pais  a olhar para o filho adolescente como uma pessoa que busca a verdade da vida e, por isso, por vezes é irreverente e procura os amigos que bebem bebidas alcoólicas em excesso ou que se drogam e, assim, vão dando sentido à vida.

O reconhecimento da adolescência surgiu com a transformação das estruturas sociais que permitiram que os jovens (adolescentes) fossem retirados do mercado de trabalho para frequentarem a escola. A sociedade precisava de pessoas melhor qualificadas para o crescimento económico.

 

 

Leave a Reply