“BURNOUT”- TEATRO NO INSTITUTO FRANCÊS, 24 E 25 DE JULHO, às 22 horas.

O Instituto Francês apresenta, nos dias 24 e 25 de Julho, às 22 horas, duas representações, inéditas em Portugal, do texto de Alexandra Badea, Burnout, uma reflexão sobre o esgotamento e a dependência do trabalho.

10150627_695341693853198_904666421863555997_n

“Burnout parte de  um discurso político sobre o valor do trabalho. Jogando com o efeito de lista, o texto coloca em cena duas personagens apanhadas na rede da sua monomania. Burnout é uma forma de dependência do trabalho que pode levar à morte na sequência de uma síndrome de esgotamento profissional.

Burnout é um relato das neuroses do indivíduo imerso numa sociedade cada vez mais focada na eficácia e no desempenho. Burnout é um encontro entre um avaliador de recursos humanos e uma jovem  quadro que quer trabalhar mais para ganhar mais. O texto é constrído com base na repetição de slogans publicitários e políticos, onde a linguagem perde a sua consistência, onde tudo é destruturado até a exaustão. Burnout é um texto que surpreende o impacto devastador do político sobre o íntimo.

Este espectáculo interactivo de teatro, em francês e português (legendas), por uma jovem Companhia de teatro, partirá em digressão pelo resto do país no início da temporada, em Setembro, após duas representações únicas no IFP em Lisboa.

A autora Alexandra BADEA honrar-nos-á com a sua presença na quinta-feira dia 24 e reponderá às perguntas do público no final da representação.

Autora
Alexandra Badea vem da Roménia. Tal como os representantes de um teatro apátrida, ela trabalha em França e na Roménia como encenadora. Mas, a sua vida itinerante procura expressar-se de forma diferente: pela escrita. Se ela escolheu escrever diretamente em francês, é porque a França é um dos seus lugares de combate. Alexandra Badea faz parte, de entre a geração mais jovem, de todos aqueles e aq
uelas que procuram o lugar, que se lhes adapte melhor. Uma nova geração nascida de uma Europa que cresce e toma forma. Com as dores que conhecemos. O seu olhar sobre a nossa sociedade tem a particularidade de realçar as incoerências e inépcias com um humor mordaz.

 Companhia CH4

Adaptação: Marc Xavier, jovem artista que apresenta, para esta adaptação, o seu trabalho de fim de  Mestrado.
Actores: Laura Frederico e Mickaël Gaspar

Projecto: Angela Rocha Dos Santos. Som: Manuel Leal

 

 

 

 

Leave a Reply