BREYTEN BREYTENBACH, UM RESISTENTE AO APARTHEID, EM LISBOA, NUMA CONFERÊNCIA e NO TEATRO – DIA 3 DE SETEMBRO

No dia 3 de Setembro, na sala 5.2, da Faculdade de Letras da Faculdade de Lisboa, das 15h às 17h, vai haver uma conversa com Breyten Breytenbach, escritor e pintor .

Como opositor do regime de apartheid, refugiou-se em Paris, nos anos 60. Numa viagem clandestina à África do Sul, em 1975, foi preso e condenado a sete anos de prisão por alta traição.

10646763_310016805843894_1071850289504801747_n

A sua obra The True Confessions of an Albino Terrorist descreve aspectos deste período da sua vida. Foi libertado em 1982, depois de uma campanha internacional. Retornou a Paris e tornou-se cidadão francês.

O seu trabalho inclui numerosos volumes de novelas, poesia e ensaios.

No dia da conferência, na anterior e no seguinte, uma peça será apresentada, no Teatro do Bairro, às 21h e 10m. A encenação é de Rogério de Carvalho que se interroga:

«Como dizer este texto de Breytenbach? Como manifestar a carga poética que o livro transporta? Que tipo de realidade dramática se pode construir? Exclamativa (tragédia)? Narrativa? Afirmativa? A questão do Teatro como Arte tem sido sempre encontrar os meios justos para dizer e traduzir o que vivemos: o que tem lugar não se pode dizer com a língua que se fala vulgarmente – é necessário encontrar outras modalidades de palavras para dizer o que nos acontece coletivamente. E esta é a razão fundamental para a escolha de “As Confissões Verdadeiras de um Terrorista Albino” de Breyten Breytenbach.»

A produção é do Teatro GRIOT e do Programa Gulbenkian Próximo Futuro.

 

 

Leave a Reply