OBAMA DO EXTERIOR – AVISO AO MUNDO: WASHINGTON, A SUA NATO E OS SEUS VASSALOS EUROPEUS SÃO LOUCOS – por PAUL CRAIG ROBERTS

02

 

Selecção, tradução e introdução por Júlio Marques Mota

Map_of_USA_with_state_names_svg

Introdução

Aqui vos envio uma peça em três partes, a mais violenta das peças que terei feito até agora, ou pelo menos a que mais me entristeceu de todas elas, porque com elas dou como apagada muita da esperança que politicamente me animou face à crise europeia, mesmo sabendo que a esperança nunca deve morrer. Trata-se de três peças a que simbolicamente chamo de  Obama do exterior, escrita por Paul Craig Roberts,  Obama do interior, escrita por Greg Palast e Obama e a repartição do rendimento nos Estados Unidos. Trata-se de textos que expressam, e de que maneira, as várias facetas de um terrível engano com Obama. Obama, o homem que nos ofereceu o direito à esperança, face à cobardia e à corrupção dos líderes europeus, é também o homem que nos pisou  esse mesmo direito. Vergonhosamente, diga-se e repita-se. E dessa esperança somos hoje todos nós   órfãos e a pagar por isso mesmo um preço elevado. Uma das facturas pode ser já apresentada a pagamento em 4 de Novembro com as eleições intercalares onde a direita pura e dura “corre o risco” de conseguir a maioria nas duas Câmaras!

Pode parecer estranho tudo o que neles é dito mas, por exemplo,  sobre Obama e   a sua defesa dos Direitos do Homem –  pelo que é talvez mais conhecido e por isso recebeu o prémio Nobel da Paz, não pelo que tinha feito, não tinha feito NADA, mas pelo que prometia –  relembro aqui um acontecimento que se verificou em Itália, contado hoje por diversas individualidades de respeito neste país  e não só. Aparece igualmente descrito no texto O desastre italiano publicado neste blog.  Como assinala Perry Anderson, The Italian Disaster, London Review of Books:

“ Em 5 de Abril,  [ Napolitano]  concedeu o perdão presidencial ao  coronel americano Joseph Romano, condenado à revelia a sete anos pela  sua participação no rapto em Milão de um sacerdote egípcio, que foi então metido num  um avião militar americano e enviado para o  Cairo onde esteve sujeito a   meses de tortura nas mãos da polícia de Mubarak. Constitucionalmente, um perdão presidencial só pode ser concedido por  razões   ‘humanitárias’, e nunca por razões políticas.  Romano nem sequer tinha passado   um dia na prisão, tendo fugido do país. Mas Obama tinha pessoalmente pedido que essa “ bagatela” fosse  negligenciada  e Napolitano não hesitou, como muitas vezes antes, em desrespeitar  a Constituição, explicando que “tinha  perdoado a Romano ‘ para obviar a uma situação de evidente delicadeza para com um país amigo’. O suserano tinha mudado e daí também os crimes. A sua atitude para com um poder mais forte é que não.” E os fatos cor-de-laranja usados em Guantánamo aparecem agora também  impostos pelos fanáticos jihadistas no Médio-Oriente!

***

Aviso ao mundo:  Washington, a sua NATO  e os seus vassalos europeus são loucos

Paul Craig Roberts, Warning to the World: Washington and its NATO & EU Vassals are Insane

PaulCraigRoberts.org, 2 de Setembro de 2014

Parte I

Herbert E. Meyer, um maluco que era um assistente especial do director da CIA durante um certo período na Administração de Reagan, escreveu um  artigo apelando ao  assassinato do Presidente russo Putin. Se temos de  ” o tirar para fora   do Kremlin mas primeiramente com um buraco de bala atrás da cabeça, todos nós ficaríamos  contentes .”

http://www.americanthinker.com/2014/08/how_to_solve_the_putin_problem.html

Como o louco Meyer ilustra , a loucura que Washington tem lançado  sobre o mundo não tem limites . José Manual Barroso, instalado na qualidade de Presidente da Comissão Europeia  como a marionete de Washington, deturpou a  sua recente e confidencial conversa telefónica com o Presidente Putin da Rússia, dizendo aos  meios de comunicação que Putin tinha-lhe expresso  uma ameaça: “Se eu quiser, posso conquistar Kiev em duas semanas.”

Claramente, Putin não emitiu uma tal ameaça. Uma tal ameaça seria inconsistente com a abordagem de não provocação praticada por  Putin em face à ameaça estratégica que Washington e os seus fantoches da OTAN tem estado sucessivamente a fazer para com a Rússia através da situação na  Ucrânia. O representante permanente da Rússia para a UE, Vladimir Chizhov, disse que se a mentira do Barroso  não é desmentida então a Rússia tornará  pública a gravação completa da conversa.

Qualquer pessoa familiarizada com a disparidade entre as forças armadas ucranianas  e russas  sabe muito bem que isso poderia ser feito pelos  militares russos  em 14 horas, não em 14 dias, para conquistar toda a  Ucrânia. Basta lembrar  o que aconteceu com o exército da Geórgia treinado e equipado  pelos americanos e israelitas, quando Washington  estabeleceu as suas estúpidas marionetes  georgianas na Ossétia do Sul. O exército georgiano treinado pelos americanos e pelos  israelitas entrou em colapso sob o contra-ataque russo em 5 horas.

A mentira que o fantoche Barroso às ordens de Washington disse não é de forma alguma afirmação de   uma pessoa séria. Mas onde é que na Europa há uma pessoa séria no poder? Em lado  nenhum. As poucas  na Europa existem  estão todas fora do poder. Considere-se  o secretário-geral da OTAN, Anders Rasmussen. Foi  primeiro-ministro da Dinamarca e sentiu que poderia para lá da Dinamarca servir como um  fantoche de Washington. Como primeiro-ministro ele apoiou fortemente  a  invasão ilegal do Iraque  por Washington, declarando que “nós sabemos que Saddam Hussein tem armas de destruição em massa”. Claro, o tolo não sabia nada disso, e porque é que lhe seria  importante que  o Iraque, em particular,  tivesse tais armas. Muitos países têm armas de destruição em massa.

De acordo com a regra de que quem serve Washington deve ser promovido,  o nome  Rasmussen  foi então valorizado.

O problema é que, ao  promover  tolos sem princípios,  estes fazem com que o mundo corra riscos para eles melhorarem  a sua própria carreira . Rasmussen colocou agora a totalidade da Europa Ocidental e Oriental em risco de uma verdadeira aniquilação. Rasmussen anunciou a criação de uma força a servir de ponta de lança para numa guerra  relâmpago ser capaz de atacar a  Rússia. O que esta marionete de Washington chama de “plano de acção rápido ” justifica-se como uma resposta para o “comportamento agressivo da Rússia na Ucrânia.”

A força de ataque relâmpago de Rasmussen (lightening spearhead force)  iria ser exterminada tal como cada uma das capitais europeias.  Que tipo de idiota provoca uma superpotência nuclear desta forma?

Rasmussen  reafirma   “o comportamento agressivo da Rússia” mas não tem nenhuma prova do que afirma. A Rússia tem permanecido em actividades  secundárias enquanto o governo do fantoches  de Washington em Kiev bombardeou  habitações civis, hospitais, escolas e divulga  constantemente  um conjunto  de   mentiras contra a Rússia. A Rússia recusou  os pedidos das províncias orientais  e do sul agora independentes de Ucrânia, e antigos territórios   russos de se juntaram e fazerem parte da  Rússia. Como os leitores sabem, eu considero a decisão de Putin como um erro, mas os acontecimentos  poderão  provar-me que sou que estou errado e então tudo Ok comigo. Por agora, o facto é que cada acto do comportamento agressivo é o resultado do apoio dos E.U. e da UE aos nazis de Kiev. E são as milícias nazis ucranianas que estão a atacar  civis nos antigos territórios russos  de Ucrânia oriental e do sul. Um número de unidades militares ucranianas regulares desertaram para as  repúblicas independentes.

Sim, nazis. A Ucrânia ocidental é a casa da divisão ucraniana dos SS que lutou  pelos ideais de Hitler e a seu lado. Hoje as milícias organizadas pelo Right Sector e por outras organizações políticas de direita vestem as insígnias nazis das divisões ucranianas dos SS de então. Estas são  as pessoas   que Washington e a UE apoiam. Se os nazis ucranianos pudessem ganhar contra Rússia, o que não podem, estes voltar-se-iam  para  Ocidente , tal  como o  movimento  ISIS financiado por Washington o  tem feito,  movimento este  que Washington desencadeou na  Líbia e na  Síria. Agora o ISIS está a refazer  o Médio Oriente, e contra o qual  Washington aparece como estando impotente.

William Binney, um antigo alto-oficial na US National Security Agency ( Agência de Segurança Nacional dos E.U)   e colegas dos serviços do CIA e dos serviços secretos militares  escreveram à  chanceler alemã Merkel a quem  recomendaram  para  ter cuidado com as mentiras de Obama na próximo cimeira de OTAN em Gales. Os oficiais de informações dos  E.U. recomendam a Merkel  que se lembre das “armas de destruição maciça” do  Iraque e que não fique desiludida  outra vez, desta vez no conflito com Rússia.

http://www.zerohedge.com/news/2014-09-01/ex-nsa-director-us-intelligence-veterans-write-open-letter-merkel-avoid-all-out-ukra

A questão a levantar é então:  o que é que faz  Merkel, o que é que  Merkel representa? Washington ou a Alemanha? Até agora Merkel tem representado Washington, não os interesses comerciais alemães, não as  pessoas  alemães  e não os interesses da Alemanha como um país. Ainda agora deu-se  um  protesto em Dresden onde uma multidão impediu  o discurso de Merkel com gritos do “kriegstreiber” (belicista), de  “mentirosa, de mentirosa,” e de  “nenhuma guerra com a Rússia.”

https://www.youtube.com/watch?v=-wSMhGE_Mpk

Aquando do meu doutoramento, o meu director de tese, que se tornou um alto funcionário do Pentágono afecto à tarefa de pôr um termo à guerra do Vietname, em resposta à minha pergunta sobre a forma como Washington sempre teve êxito em se impor aos Europeus em tudo aquilo que queria, ele respondeu-me: “o dinheiro, damos-lhes dinheiro”. “A ajuda estrangeira” perguntei eu? “Não, damos aos líderes políticos europeus malas cheias de dinheiro (“bag fulls of money”)  “. Eles estão à venda, nós comprámo-los. E vêm trazer-nos o que queremos”. E talvez isto explique  a fortuna $50 milhões que Tony Blair terá ganho num só  ano fora do governo .”

(continua)

________

Ver o original em:

http://www.paulcraigroberts.org/2014/09/02/warning-world-washington-nato-eu-vassals-insane-paul-craig-roberts-2/

1 Comment

Leave a Reply