OBAMA VISTO DO INTERIOR. OBAMA FACE À EVOLUÇÃO DA REPARTIÇÃO DO RENDIMENTO – IVª Parte A GRANDE MENTIRA DOS TEMPOS MODERNOS – por LES LEOPOLD

02

Selecção, tradução e introdução por Júlio Marques Mota

Map_of_USA_with_state_names_svg

Obama visto do interior, Obama face à evolução da repartição do rendimento

 

IVª Parte  A GRANDE MENTIRA DOS TEMPOS MODERNOS

 

Les Leopold, Big Lie: America Doesn’t Have #1 Richest Middle-Class in the World: We’re Ranked 27th! | Alternet

<!– –>

Alternet.org, 18 de Junho de 2013

Parte I

Les Leopold

Author, “How to Make a Million Dollars an Hour” (Wiley 2013)

Obama - interior - XXV

Big Lie: America Doesn’t Have #1 Richest Middle-Class in the World… We’re Ranked 27th!

A grande mentira : a América não tem a classe média  mais rica no mundo… Nós estamos em  27 º lugar !

(Posted: 06/28/2013 9:53 am EDT Updated: 08/28/2013 5:12 am EDT)

 

A América é o país o mais rico na terra. Nós temos o mais elevado número de milionários, a maioria de multimilionários e os nossos cidadãos mais ricos terão acumulado  mais riquezas à escala global  do que qualquer outro grupo no mundo. Nós temos mesmo gestores de hedge funds que ganham tanto numa  hora quanto a família média ganha em 21 anos! É o que nos dizem.

Esta opulência é suposta  vir a extravasar  dos mais ricos e melhorar as condições de vida  dos americanos todos os dias. Pelo menos é o que as marionetas que nos apregoam as virtudes dos mercados globalmente livres repetidamente nos prometem.

Infelizmente, é uma mentira, um das maiores mentiras já pregada  ao  povo americano.

A nossa  classe média está a cair cada vez mais  em comparação com o resto do mundo. Ouvimos dizer que a América tem a mais importante classe média do mundo, que somos o número um à  escala planetária. Bem, quando se trata de riqueza da classe média, nós somos apenas o 27º país .

O elemento de comparação mais revelador é riqueza mediana (por adulto). Esta descreve a quantidade de riqueza acumulada pela pessoa precisamente no centro, no meio da distribuição de riqueza..–cinquenta por cento da população adulta tem mais riqueza que o valor mediano encontrado, enquanto 50% tem menos riqueza . Não se tem melhor indicador  para estar no meio do que este .

A riqueza é medida pela soma total de todos nossos activos (casas, contas bancárias, assim como valor das acções e das obrigações, etc.) menos as nossas responsabilidades (empréstimos  a amortizar e outros débitos). Ele é   o melhor indicador que temos para medir a prosperidade individual e familiar . Enquanto a acumulação sem-fim  de riqueza poderá  levar à  destruição do planeta, também é verdade que a riqueza igualmente fornece a segurança básica, especialmente num  país como o nosso  onde os programas sociais são de valor diminuto face às necessidades  da população. A riqueza permite-nos sobreviver  a períodos de agitação económica. A riqueza permite que as nossas crianças acedam à Universidade sem incorrer em endividamentos esmagadores, ou que se possa obter ajuda para poder comprar a nossa primeira casa. Como  Bill Holiday canta, “Deus abençoa a criança que tem os seus próprios meios. »

Bem, esta é uma música triste. Como o gráfico  abaixo nos mostra, há outros 26 países com uma riqueza mediana mais alta do que a nossa, (e a redução relativa da riqueza mediana dos E.U. não torna a  nossa economia mais sustentável.)

Obama - interior - XXVI

Porquê?

Aqui está  o esboço de uma lista de razões :

  1. Nós verdadeiramente não temos cuidados médicos universais. Nós pagamos mais e ainda temos resultados mais pobres em termos de saúde do que todos os restantes países industrializados. Se uma doença séria nos atinge, nós podemos igualmente tornarmo-nos pobres.

2.  As leis laborais fracas minam os Sindicatos  e dão às  grandes empresas   mais poder para manterem em baixa os salários e os benefícios sociais.  Os sindicatos e as suas centrais  representam agora menos de 7 por cento de todos os trabalhadores do sector privado, o mais baixo valor registado desde sempre .

  1. O nosso salário mínimo é patético, especialmente em comparação com outras nações desenvolvidas. (Nós somos a 13ª nação nesta matéria ). Ninguém pode viver decentemente com $7,25 por hora. O nosso nível salário mínimo, um nível de pobreza,  coloca uma pressão à baixa sobre os salários de todos os trabalhadores em geral.  Também quando nós fixamos vitórias importantes por obter o direito a sermos pagos durante alguns dias de doença,   muitas outras  nações desenvolvidas fornecem um mês de férias pagas garantidas assim como o direito ao pagamento de muitos dias de falta ao trabalho por doença.

  2. Wall Street está fora do controle. Uma vez que a desregulação começou há já 30 anos, o dinheiro tem estado a jorrar para os mais ricos tanto quanto Wall Street está  livre de encontrar para encontrar e aplicar cada vez mais e mais maneiras não-éticas de nos vigarizarem.

  3. O ensino superior põe os novos filhos perante elevados níveis de endividamento. Na maioria dos outros países o ensino superior é praticamente de matrículas muito baixas ou quase nulas.  Os estudantes endividados não irão provavelmente  acumular nenhum nível de riqueza nos tempos mais imediatos.

  4. É muito difícil alguém conseguir melhorar a sua situação de vida se esse alguém está na prisão, frequentemente por acusações de delitos ligados às drogas  que nem sequer existem em muitas outras nações desenvolvidas. De facto, nós temos a maior taxa de população presa e isto relativamente ao mundo inteiro, e nós temos a mais elevada percentagem  de  minorias encarceradas. “ Nas principais cidades em todo o país, 80 por cento dos jovens  afro-americanos têm agora registos criminais.” (Veja-se  Alexander, Michelle (2010), The New Jim Crow: Mass Incarceration in the Age of Colorblindness. New York, The New Press. p. 7, assim  citado na  Wikipedia.)

  5. As nossas estruturas de imposto favorecem os ricos e as suas grandes empresas que já deixaram de pagar o que deveriam. Estes enviam dinheiro para paraísos fiscais no exterior , criam e utilizam falhas na lei, e procuram sempre estarem seguros que a base da maioria da sua riqueza – as mais-valias resultantes do seu capital – são tributadas às mais baixas taxas. Entretanto, a restante população é pressionada  para pagar  a diferença ou alternativamente passar a sofrer a degradação dos serviços públicos.

  6. Os ricos dominam a política. Em mais nenhuma parte no mundo desenvolvido são os ricos e as suas grandes empresas capazes de comprar eleições com uma  tal impunidade como aqui.

  7. As grandes somas de dinheiro dominam os meios de comunicação social. A verdadeira história de como estamos a ser roubados nunca lhes é explicada pelas noticias que nos fornecem e fica pois escondida e, por todos os grandes meios de comunicação social, numa nuvem de bancos suíços cujas práticas  nunca estes media nos  explicam.

  8. A América incentiva a globalização da produção de modo que os trabalhadores nos Estados Unidos estejam em concorrência constante com os trabalhadores de mais baixos salários pelo mundo inteiro assim como com as tecnologias fortemente automatizadas.

(continua)

________

Ver original em:

http://www.alternet.org/economy/americas-middle-class-27th-richest

 

1 Comment

Leave a Reply