Atrocidades alemãs – por Panagiotis Grigoriou I

Falareconomia1

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

 

Atrocidades  alemãs 

Panagiotis Grigoriou

Na sequência de  um problema técnico (?) sobre o blog de Panagiotis Grigoriou, Okeanews publica o seu último  texto esperando que tudo se  normalize sobre  greekcrisis.fr.

1

Atrocidades alemãs

 

Este país deve certamente mais aos seus  poetas que aos seus credores. “A Liberdade ou a morte”. Estamos em  guerra contra as elites mafiosas  s da Alemanha neo-imperial. A Europa compreende, a França sem margem de manobra, está ao estreita, o mundo observa.  Milhares de milhões voláteis  são gastos para manter neste momento artificialmente a cotação da  moeda alemão (euro), não obstante oficialmente estarmos perante um enorme  o silêncio. O café grego de esta manhã bebe-se amargo e o euro está no marco.

2

Schäuble, Caroceiro da Europa , Quotidien des Rédacteurs, le 12 juillet

 

“O governo devia estar  consciente desde Janeiro,   que   indo negociar à Bruxelas, se encontraria frente-a-frente com  verdadeiros cães políticos.  E em frente dos cães SYRIZA deveria ter preparado  o povo para a  guerra”, observa Costas Arvanítis (rádio 105,5 – SYRIZA), é claro. Os cães e outro comparsas do totalitarismo financeiro , com Schäuble à  cabeça, exigem e impõem o fim do que subsiste da soberania da Grécia. Entre as suas armas de destruição maciças, a transferência para o  Luxemburgo da sede do TAIPED (Agência de privatização e de gestão criada pela Troika ), “pondo assim sob  fiança” 50 à 80 mil milhões  de  activos da Grécia [nota: parece haver um retrocesso dos credores sobre este ponto].

Este mesmo TAIPED que SYRIZA ia suprimir imediatamente   logo que chegasse ao poder, de acordo com que ouvi  uma semana antes das eleições de Janeiro, aquando da apresentação do livro de Nadia Valaváni (atualmente ministro delegado par as Finanças). Efectivamente… a liberdade e efectivamente… a morte.

Na segunda-feira de manhã, os meios de comunicação social anunciavam que, apesar de tudo,  “estaria à vista um acordo a”. E então? O país real faz das tripas coração . Tempos graves, tragédias humanas como desde os tempos de  Antígona.

3

Um talho grego. Athènes, 2015

 

Credenciais.  Entre os atrocidades da elite alemã (em suma  da elite mundialista ), e necessariamente na desordem, há a exigência de fazer adoptar as primeiras medidas de austeridade pelo Parlamento grego na quarta-feira, como por exemplo revogar toda a  (tímida) legislação de caracter social que o governo já tinha aprovado desde Janeiro. Muito precisamente, os agressores do nosso país e da nossa sociedade, exigem a supressão DE TODAS AS Convenções colectivas bem como “a liberalização” total dos despedimentos.

4

Nstruções na fllotilha e. Methana, le 13 juillet

“É o fim de toda uma  estratégia para SYRIZA. O memorando III é muito precisamente criado e afinado para atingir  duramente  as classes médias e populares e a  democracia  enquanto tal. Por conseguinte no caso de adopção de um tal acordo, é então a ruptura da relação entre a sociedade grega e SYRIZA. Rapidamente, SYRIZA refará as suas contas, no plano  interno . Primeiro, as declarações de alguns (o ministro Stathákis) proferidas nas televisões  privadas  sistemicamente antropófagas de direita… entre nós, as quais exigem a demissão dos ministros e deputados que sejam suspeitos de votarem  “NÃO” .  No caso de uma crise maior, é necessário retornar às regras fundamentais e assim decidir em Comité central e não diferentemente. SYRIZA está ebulição, a nível local e regional, nós discutimos,  porque é necessário nunca esquecer que nos Estatutos e  o regulamento interno de SYRIZA, está  escrito preto sobre branco: SYRIZA é um partido para o qual os  principais interesses da maioria do povo  e do  mundo do trabalho devem ser sempre e sem falha defendidos. Então, para onde vamos ? ”, declara Davanelos, membro do Comité central SYRIZA à Costas Arvanítis (105,5, no dia  13 de Julho).

Recordo aos leitores o blog que no tempo em que    SYRIZA se encontrava  ainda na oposição, o actual ministro Stathákis era (abertamente) o único quadro do partido que caucionava a referida “Cooperação Greco-Alemã ”, uma estrutura neocolonial  posta em funcionamento  aquando da desastrosa… governança de Yórgos Papandréou. Desde, conhecemos… e suportamos o personagem de Hans-Joachim Fuchtel, o vice-ministro do governo alemão encarregado  dos assuntos gregos  e inicialmente baseado em Salónica, trabalhando abertamente a favor dos  Cães  do  IV Reich e sobretudo a favor dos interesses das empresas alemãs. SYRIZA/ANEL ao poder, o Procônsul do Merkelismo tinha arrumado as suas bagagens estávamos  em Janeiro, muito distante no tempo de uma história que   fez correr muita tinta. Por conseguinte na minha pobre e  humilde paralelismo a … Direita no seio de SYRIZA, encarna tanto o papel de uma… sólida quinta coluna, e esta opinião não resulta, de modo nenhum,  do complotismo porque  pessoalmente disponho das  minhas próprias  fontes.

A Europa europeísta  já não existe. Na segunda-feira de manhã, dia do acordo… finalmente concluído, é o que se ouve em directo, os Gregos têm os traços no rosto bem vincados  e um ar bem grave. Discussão que puxa discussão, cigarro após cigarro e café após café, as discussões inflamam-se. “No que é que nos vamos  tornar? Os nossos salários, as nossas reformas? Os nossos filhos? Acabarão, todos eles, por deixar o nosso  país. É a morgue…”

(continua)

Leave a Reply