15. Caderno de notas de um etnólogo na Grécia – O céu dos trabalhadores

Falareconomia1

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

 

Caderno de notas de um etnólogo na Grécia, uma análise social diária da crise grega

Original File Name: 2015011416.jpg

15. Caderno de notas de um etnólogo na Grécia –  O céu dos trabalhadores

Original File Name: 2015031011.jpg

Os Gregos olham atentamente para os   seus jornais, como olham também e para o céu   improvável. Voltam a ganhar o gosto pela  política… e, finalmente, o desgosto  por ela, por esta  última geopolítica da dita  Europa. O país negocia, o seu  calendário político  volta  a ser, salvo pequenas diferenças, o dos encontros de tipo… europeu. O suspense atinge então  o paroxismo … de Eurogrupo em Eurogrupo. “ Isto não é vida ”, dizem-se  a este  propósitos dois homens, em frente dos jornais diários  que lêem com atenção e que o quiosque dali  expõe  num escaparate.

 

Original File Name: 2015031012.jpg

Quiosque. Atenas, Março 2015

O nosso governo do tempo de agora anuncia nesta  terça-feira (10 de Março) que… a conta das reformas  estará, enfim correta, tratando-se  do Eurogrupo da véspera. Algumas medidas mais,  mas sob a iniciativa da Grécia segundo nos diz  Yanis Varoufákis, explica-se  pelo governo, e sobretudo… sobretudo, a aceitação do programa SYRIZA enfim, para fazer face à crise  humanitária.

De resto, num primeiro momento, durante a noite de segunda-feira (9 de Março), uma nova notícia tinha sido difundida  pelos meios de comunicação social, relatando uma disputa verbal  que se teria verificado  entre Yanis Varoufákis e Wolfgang Schäuble, na  noite do Eurogrupo. O ministro das Finanças alemão e do Eurogrupo unificado… através das vítimas dos genocídios económicos correntes e futuros, teria retorquido  na frente (é suposto) do homólogo grego, que as medidas destinadas a lutar contra a crise humanitária são unilaterais porque não quantificadas  e que,  consequentemente, deveriam ser suspensas  (semanário, “To Pontíki).

Yanis Varoufákis então teria replicado que estas medidas estão,  bem pelo contrário, no coração  do programa de emergência na Grécia, e que não são dispendiosas. Esta notícia foi desmentida seguidamente, não obstante, o semanário “To Pontíki” a manter  e, sobretudo, o mesmo Yanis Varoufákis, entrevistado pelas necessidades de  um documentário que a primeira cadeia da televisão alemão ARD difundiu, explica que todos os empréstimos atribuídos à Grécia, resultam então do crime contra a humanidade, provocando naturalmente reacções em certos meios de comunicação social e em certos círculos políticos alemães.

Original File Name: 2015031014.jpg

Atenas, Março 2015

A muito  triste e também muito  incómoda verdade, é que Alexis Tsípras ir-se-á encontrar   esta semana (de acordo com os meios de comunicação social gregos) com Jean-Claude Junker, precisamente para dialogar com ele … a respeito da política urgentemente humanitária na Grécia. Porque com efeito há fumo e há  fogo; de acordo com um comunicado do Centro médico Solidário de Ellinikón (perto de Atenas), a Comissão Europeia acaba de ter  um gesto sem precedentes, excluindo a Grécia dos relatórios relativos ao exame do Programa (“Annual Growth Survey” – AGS), permitindo ajustar as políticas contra a pobreza, efectuadas pelos Estados-Membros da União Europeia e a própria Comissão. A razão avançada oficialmente, é que “este relatório sobre a Grécia, será publicado mais tarde, porque será  feito na sequência das conclusões então incluídas, do último Eurogrupo, entre 20 e  24 de Fevereiro de 2015”.

Este programa, designadamente este, refere-se à luta contra a pobreza (incluindo a que atinge as crianças) e as conclusões dos relatórios em questão  permitem aos Estados-Membros e à  Comissão Europeia seguirem em conjunto  as suas acções, no que diz respeito à sua aplicação. Torna-se  evidente, precisa então o comunicado do Centro médico Solidário de Ellinikón, que “a decisão de excluir a Grécia deste programa é simplesmente cruel, já que o nosso país conhece a mais grave  crise humanitária desde a Segunda Guerra mundial”.

“Porquê  então certos membros da Comissão Europeia estarem então a  querer castigar  a Grécia, enquanto o mínimo a fazer neste momento, seria explorar os canais através dos quais  a população grega tão  brutalmente atingida  por cinco anos de austeridade, obterá, enfim,  a ajuda humanitária tornada tão  necessária?” “Recordamos à Comissão Europeia que mais de 6 milhões dos nossos cidadãos  estão  praticamente a   viver  abaixo do limiar de pobreza. Pensará ela enfim ajudar estas pessoas  mais do que andar a ajudar  os bancos? Esta crise, está agora  praticamente a roçar  o genocídio. E não pode ser tratada… pela espectativa  “das conclusões das negociações no  Eurogrupo. É isto, portanto,   o sentido da solidariedade por parte dos países da UE, os nossos parceiros?”

Original File Name: 2015031013.jpg

Sede de campanha eleitoral SYRIZA para as eleições. Local de novo para alugar . Atenas, Março, 2015

A crise humanitária está sempre aí; antes,  como depois das  eleições de Janeiro passado. Recentemente, fui a uma das salas do Centro médico Solidário de Ellinikón para entregar três pacotes de medicamentos que amigos do blog Greek Crisis… sem estarem à espera da  Comissão Europeia, me tinham entretanto enviado do seu país, a França,  num gesto muito bonito e comovente . Tenho a agradecer-lhes  uma vez mais, em  nome sobretudo dos habitantes da Grécia… sem cobertura Saúde (25% da população), e devido à … política de genocídio económico lento mas certo, situação contra a qual se debate o novo governo grego..
O dispensário estava então a abarrotar de gente … de olhares humanos vazios e mudos, era então um dia de Fevereiro, sob o sol de Ática.  Recentemente ainda, em companhia do vizinho Chrístos, tivemos de avançar para perto de um novo …  sem-abrigo do bairro  que  estava  estendido  sobre o passeio, em  frente de uma loja fechada, para verificarmos  a sua respiração e o seu estado… letárgico vital. Tínhamos pensado, por momentos,  que o pobre talvez tivesse  expirado. Do mesmo modo, no bairro, apercebo-me de certos reformados (mulheres e homens), os quais (ainda vestidos… à maneira aparente da nossa civilização), esgaravatam os caixotes de lixo  logo que a noite cai,  ou se não for nessa altura,  fazem-no de manhã, pela princípio da amanhã, muito cedo.  Grécia… planeta de Zeus!

Original File Name: 2015031015.jpg

Estado de sítio.  Imprensa grega de 9 Março.

É então e ainda assim, que a Grécia sofre esta nova forma de estado de sítio, aquando de cada Eurogrupo, situacionismo estabelecido e que já nem mesmo sequer escapa mais à imprensa de matriz neoliberal.

Os Gregos, quanto a eles, esperam então bastante estoicamente, digo eu neste momento,   porque pensam  que este governo pelo menos negocia, o que nos acontece  pela primeira vez,  e isso não passa desapercebido. Ainda que, a política SYRIZA/ANEL não esteja  (de momento?) à altura dos compromissos e das urgências.
Com efeito, a opinião grega pensa  que talvez  este estrangulamento… adicional do país, pelos carrascos  do campo concentracionário  europeísta , assim tão  vantajoso para as  elites alemãs que Wolfgang Schäuble representa como se sabe, estaria  então ligado às ameaças que pesam doravante sobre os muito suculentos contratos… coloniais, dos quais as empresas alemãs são os principais  beneficiários e ao mesmo título, famosos corruptores: subornos, escândalos políticos, evasão fiscal, violação das regras em matéria de ambiente, armazenamento ilegal de produtos químicos altamente tóxicos… importados na Grécia desde a Grande Alemanha sob falsos rótulos, e passo….

Assim neste momento, como o sublinha o sítio amigo Okeanews, dez anos depois da descoberta do escândalo, os juízes gregos, finalmente tomaram  a decisão de enviar  64 suspeitos para tribunal  relativamente  a pagamentos de subornos praticados pelo gigante alemão SIEMENS. Entre os 64 suspeitos, 13 são cidadãos alemães, quadros da sociedade mãe. De acordo com a decisão dos juízes, SIEMENS teria pago  um valor  estimado  de 70 milhões de euros para conseguir  um contrato e para digitalizar a rede de telecomunicações pública grega da época, OTE. O contrato “Convenção 8002” tinha sido assinado em 1997. Entre os suspeitos, está o antigo  homem forte de SIEMENS, Mihális Christoforákos, que infelizmente  fugiu para a Alemanha e que as autoridades alemãs se tinham  recusado a extraditá-lo  para a Grécia, a pedido das autoridades gregas, (na sequência do artigo em  Okeanews).

Original File Name: 2015031016.jpg

MíkisTheodorákisno exílio : 1947-1948. Espectáculo comemorativo em  Atenas, Março  2015

De repente, a Grécia de SYRIZA/ANEL… tem melhor memória que os memorandistas patenteados, desde Papandréou e até Samarás. E para não esquecer o passado, ou o desastroso presente, Manólis Glézos, concedendo  uma entrevista ao diário cipriota “Simeriní”, afirma sem rodeios: “O que  a Alemanha não conseguiu  fazer na  época pelas armas, ou seja,  criar uma Europa alemã, está a  fazê-lo hoje em dia com o seu  poder económico  e a ajuda dos EUA e os outros vencedores da 2.ª  guerra mundial – soviéticos excluídos, naturalmente, nem seria necessário dizê-lo.  A guerra fria deu aos EUA e à  sua criação, a NATO,  a possibilidade de impor a sua vontade na  Europa. E o fruto desta vontade, é a Alemanha actual. ”, (ver em  Okeanews o artigo completo).
Realmente, estamos em guerra. Uma guerra nova, ponte estreita imposta entre os conflitos do século precedente e os do nosso século  e, sobretudo, com  o que está em  gestação. Contra os países, contra a Democracia e a soberania, contra os direitos e mais,  contra os trabalhadores e os outros desempregados… decididamente subalternos. As elites quereriam bem exterminá-los e ao que  parece mais rapidamente do que o previsto, e  torna-se então evidente  para todos os que… (se) conservam em estado de pensar, e consequentemente, de se  revoltarem .

Original File Name: 2015031017.jpg

O despedimento de Eleni. Supermercado  AB, Atenas,  10 Março.

Os exemplos não faltam. Eleni é ao mesmo tempo uma vítima e uma rebelde nesta guerra, guerra de  geometria muito variável. Facto  muito raro, nas prateleiras  do supermercado AB, pertencendo essencialmente à casa belga Delhaize, os folhetos sobre o despedimento de Eleni eram postos na  terça-feira de manhã (10 de Março) sobre as  prateleiras, dando conta de que Eleni foi como que uma  empregada e seguidamente despedida pela direcção, depois de   15 anos de trabalho a meio tempo!  Despedida porquê? Porque  tinha reclamado a aplicação da legislação sobre a pausa de dez minutos; suprimida pela direcção.
De acordo com o texto informativo, que os clientes liam então num silêncio sepulcral,  “a empresa AB, recicla como se diz  os seus assalariados  com o objectivo de reduzir os seus custos, no que se refere a salários, contribuições e prémios, impondo nos locais de trabalho condições típicas de trabalho forçado , reduzindo os direitos dos assalariados, impondo  ritmos insuportáveis, o terror e humilhações. Mais precisamente, os assalariados mais antigos eram os especialmente visados  porque têm mais direitos que os  trabalhadores  mais recentemente admitidos.  Os antigos assalariados, por conseguinte, são empurrados para pedirem a demissão com o objectivo de os substituirem. Com efeito, estes são substituídos pelos mais novos, sem direitos (o memorando passou por aqui) e muito mal pagos, já que os seus magros salários são financiados pelos programas ditos de ajuda da UE, enquanto o ANPE financia então as contribuições do empregador. Na realidade, estes empregados oferecem praticamente TRABALHO GRATUITO, e isto  muito cinicamente porque tudo isto é feito  em nome… da luta contra o desemprego. Além disso, a empresa AB-Delhaize tem o atrevimento de oferecer um reembolso de 10% aos clientes que preferem a partir de agora  fazer as suas compras ao Domingo , no momento em que os direitos dos trabalhadores  são escarnecidos e os seus salários são consideravelmente reduzidos. Belo  mundo então… este, o dos  patrões !”

Original File Name: 2015031018.jpg

Folhetos à entrada do super-mercado AB. Atenas, 10 de Março.

Eleni, processou  a empresa AB , enquanto os sindicatos ou sobretudo  os colectivos, anunciam uma quinzena de acções durante este mês de Março de 2015. Outros pequenos folhetos sob os caddys, anunciavam tanto a cor de tempo que fazia: “Horários ditos  flexíveis e trabalho não pago. Aqui está  o verdadeiro terrorismo” e “o memorando não é pois uma imagem de televisão ”.

Muito precisamente, Wolfgang Schäuble exige do governo grego que este  volte  atrás sobre as suas intenções políticas, aceitando e  engolindo todas as cobras… do memorando assinado pelos governos precedentes (este último,… já riscara as convenções nacionais e colectivas, já destruíra  os direitos dos assalariados  e imposto o trabalho dominical, designadamente).

Na terça-feira 10 de Março no entanto, o ministro do Trabalho e da Solidariedade social, Panos Skourlétis (SYRIZA), anunciou o regresso próximo das convenções colectivas, bem como a anulação das leis do memorando. Estas últimas, de acordo com o ministro, são mesmo contrárias aos regulamentos europeus, é mesmo para se  dizer!

Para Yórgos Katroúgalos, o ministro da Reforma administrativa: “O que muda,  é que não sofremos mais”, entrevista atribuída ao jornal “Liberation”.

No país dos numerosos seres adéspotas (animais sem dono), Eleni, não lê o francês, e no entanto, ela olha como pode para os  nossos jornais, como olha  ainda para o seu céu improvável. Geopolítica da referida a Europa, a dos países… e a dos trabalhadores.

Original File Name: 2015031019.jpg

Animais sem dono mas…tratados. Atenas, 10 Março.

1 Comment

  1. Get testimonials from the clients you already worked with, about your work and experiences.

    The trends in this industry change and new developments take place only when Google comes
    up with some novel feature that ends up breaking every site’s SEO and compels them to consider a change in their current content presentation in order to do well.
    Your baseline will tell you where your company began so
    you can measure positive or negative ROI (return on your investment).

    Eventbrite is an online party-planning tool with KISS
    (Keep It Simple Stupid) design so it is usually a top rated choice among event planners (organizers).

Leave a Reply