MARIA EUGÉNIA CUNHAL, por SOARES NOVAIS

get_img

MARIA EUGÉNIA CUNHAL (1927-2015)

Maria Eugénia Cunhal (Lisboa, 1927/10 de Dezembro de 2015) foi professora de inglês, jornalista, escritora, pintora, poeta, tradutora, sendo responsável pela primeira tradução portuguesa dos contos de Tchekov – Os Tzibukine (1963).

“Silêncio de Vidro” (1962),  “História de Um Condenado à Morte (1983), “As Mãos E O Gesto (2000), “Relva Verde Para Cláudio” (2003) e “Escrita de Esferográfica”  (2008) são os títulos dos seus livros.  Entre 1947 e 1951, sob o pseudónimo de “Maria André”, publicou vários poemas na revista Vértice.

Os poemas, contos e crónicas de Maria Eugénia Cunhal dão-nos a conhecer a sua forma de olhar o mundo: solidária, comovida, terna.

Neles, nos poemas, contos e crónicas, os personagens são gente comum. Gente como nós. Neles não há lugar para “os filhos da mãe”.

Maria Eugénia Cunhal

Leave a Reply