WYSTAN HUGH AUDEN, por RACHEL GUTIÉRREZ – FUNERAL BLUES, com a tradução de NELSON ASCHER

220px-AudenVanVechten1939
(1907 – 1973)

 

Wystan Hugh Auden

 

Hoje, dia 21 de fevereiro, festejamos o aniversário de  W.H.Auden, nascido em York, na Inglaterra, em 1907, poeta que  descende intelectualmente de Shakespeare e de Pope, mas também de T.S.Eliot e de Ezra Pound. Mestre na utilização de versos quase coloquiais, Auden costuma atingir altos níveis de lirismo e beleza clássica.  Irônico, chega às vezes à sátira sem jamais perder o contato com a extraordinária grandeza de sua sensibilidade.

Tendo assumido o homossexualismo que reconheceu precocemente e nunca escondeu, também “não fez dele ostentação”, como diz um de seus tradutores brasileiros, José Paulo Paes. Em 1935, casou-se por procuração com a filha de Thomas Mann, Erika Mann, para que ela obtivesse um passaporte britânico a fim de fugir do nazismo. Três anos depois, Auden mudou-se para a América do Norte, onde, de acordo com alguns críticos, escreveu seus poemas mais importantes. Joseph Brodsky, o poeta e crítico russo, que décadas mais tarde também se refugiaria nos Estados Unidos e que dedicou a ele textos antológicos, o considerou uma das maiores mentes do século XX.

O poeta de York morreu numa pequena cidade perto de Viena, em 29 de setembro de 1973.

E eu ouso dizer que um dos mais belos poemas de amor da língua inglesa é o seu famoso Funeral Blues, que o filme Quatro Casamentos e um Funeral se encarregou de popularizar.  Faço questão de reproduzi-lo aqui, acompanhado pela tradução primorosa do brasileiro Nelson Ascher.

Funeral Blues

 

 Blues Fúnebre

 

 

 

 

 

Leave a Reply