EDITORIAL – O COMBOIO FRANCO-ALEMÃO

logo editorial

Os ministros dos negócios estrangeiros da Alemanha e França, Frank-Walter  Steinmeier e Jean-Marc Ayrault produziram em 26 de Junho passado um documento conjunto em que reconhecem haver uma erosão do projecto europeu e que é necessária concentração nos aspectos essenciais e ir ao encontro das expectativas concretas dos cidadãos. Fazem propostas no âmbito da segurança, do tratamento dos migrantes e refugiados e relativamente ao fortalecimento do crescimento económico. O texto pode ser lido em inglês na Rede Voltaire clicando no segundo link abaixo, e em português neste blogue, clicando nos links a seguir.

Na informação da Reuters, a que podemos aceder pelo primeiro link, é frisado que o texto começou a ser preparado antes do referendo britânico de 23 de Junho. Não será, entretanto, descabido levantar a hipótese de que a situação do Reino Unido ajudou à reflexão e ao reconhecimento de que se deve atender às expectativas dos cidadãos. É uma diferença importante em relação à atitude que se pode resumir na frase “a democracia não pode pôr em causa os tratados”, atitude essa que tem sido defendida por Jean-Claude Juncker e pela burocracia “europeia”, sob o alto patrocínio do governo alemão.  E tudo indica que é preciso ir mais longe na interpretação deste documento. Levantam fortes dúvidas as intenções nele declaradas quanto a intervenções noutros países. Recordam-se os péssimos resultados a que conduziram as frequentes intervenções havidas no passado, feitas regra geral com  intenções que não as invocadas oficialmente, e que fortemente contribuíram para agravar os sofrimentos das populações desses países intervencionados.

A formação de forças armadas europeias, um tema já antigo, como vai ser? Dentro ou fora da NATO? Serviços secretos, instituições independentes, quem  são eles? Mas é preciso ver mais. Não é preciso recorrer a uma leitura subliminal para tirar a conclusão de que os dois ministros dos negócios estrangeiros das duas principais potências europeias, para além do Reino Unido, que sempre deu abertamente prioridade à ligação aos Estados Unidos, nos estão a dizer que pretendem desenvolver políticas próprias, dentro e fora da União Europeia. Se outro país europeu quiser que os siga. Atrás deles.

Propomos que cliquem nos links seguintes:

http://www.reuters.com/article/us-britain-eu-germany-france-idUSKCN0ZC0BQ

http://www.voltairenet.org/article192564.html

https://aviagemdosargonautas.net/2016/08/20/requiem-para-uma-uniao-europeia-ja-moribunda-reflexoes-em-torno-do-brexit-da-ue-e-da-globalizacao-22-uma-europa-forte-num-mundo-de-incertezas-por-jean-marc-ayrault-e-frank-walt/

https://aviagemdosargonautas.net/2016/08/21/requiem-para-uma-uniao-europeia-ja-moribunda-reflexoes-em-torno-do-brexit-da-ue-e-da-globalizacao-22-uma-europa-forte-num-mundo-de-incertezas-por-jean-marc-ayrault-e-frank-walt-2/

https://aviagemdosargonautas.net/2016/08/22/requiem-para-uma-uniao-europeia-ja-moribunda-reflexoes-em-torno-do-brexit-da-ue-e-da-globalizacao-22-uma-europa-forte-num-mundo-de-incertezas-por-jean-marc-ayrault-e-frank-walt-3/

https://aviagemdosargonautas.net/2016/08/23/requiem-para-uma-uniao-europeia-ja-moribunda-reflexoes-em-torno-do-brexit-da-ue-e-da-globalizacao-22-uma-europa-forte-num-mundo-de-incertezas-por-jean-marc-ayrault-e-frank-walt-4/

Leave a Reply