UMA HISTÓRIA PARALELA ÀS HISTÓRIAS DA SENHORA CLINTON: AS AMIZADES DE BILL CLINTON – UMA MINI-SÉRIE SOBRE BILL CLINTON – 1. MAIS SURPRESAS: O FBI INVESTIGA SOBRE O PERDÃO DE PRESIDENCIAL DE BILL CLINTON A MARC RICH – por JESSICA TAYLOR – O FBI LIBERTA DOCUMENTOS, por RACHAEL REVESZ

Map_of_USA_with_state_names_svg

npr-home

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

Jessica Taylor

Jessica Taylor

 

 

Mais surpresas: o FBI investiga sobre o perdão de presidencial de Bill Clinton a Marc Rich

himself

O perdão do presidente Bill Clinton do financista fugitivo Marc Rich, quando ele estava a sair da Casa Branca em 2001 desencadeou uma investigação federal sobre esta decisão.

Paul J. Richards/AFP/Getty Images

 

Apenas a uma semana do dia da eleição presidencial , o FBI apresenta uma versão um pouco intrigante de informações relacionadas com um perdão polêmico de Bill Clinton feito no seu último dia na Casa Branca, há quase 16 anos.

marc-rich-i

James Comey  – Paul J. Richards/AFP/Getty Images

THE TWO-WAY – FBI Head Under Fire For Clinton Email Scrutiny Days Before Election

Na terça-feira, o FBI publicou documentos relacionados com o perdão do ex-presidente Bill Clinton a Marc Rich, um antigo gestor de Hedge Funds que tinha sido indiciado por várias acusações de evasão fiscal, fraude e extorsão.

A campanha de Hillary Clinton imediatamente questionou as informações do FBI que vieram de uma conta de Twitter do FBI que estava dormente há mais de um ano até este último domingo. Os novos documentos aparecem poucos dias depois do Diretor do FBI James Comey ter informado que o FBI estava a rever e-mails novos, possivelmente relacionados com o servidor privado da antiga Secretária de Estado. O porta-voz de Clinton Brian Fallon chamou-lhe uma decisão “estranha”

 

Absent a FOIA litigation deadline, this is odd.
Will FBI be posting docs on Trump’s housing discrimination in ’70s?https://twitter.com/PeterWStevenson/status/793505168759386112 

Em um comunicado na terça-feira à noite, o FBI disse que os arquivos foram parte de uma rotina de revisão de informação que havia sido solicitada várias vezes sob a liberdade do ato de informações- Freedom of Information Act (FOIA).

“A FBI’s Records Management Division recebe milhares de pedidos de FOIA anualmente, que são processadas pela ordem de entrada, e o primeiro a entrar é pois o primeiro a sair First in-First out (FIFO). Por lei, os materiais FOIA que foram solicitados três ou mais vezes são colocados eletronicamente na sala de leitura pública do FBI logo que eles sejam processados. Pelo procedimento padrão de FOIA, estes materiais tornam-se disponíveis para serem libertos e foram colocados automática e eletronicamente na sala de leitura pública do FBI em conformidade com a lei e com estabelecidos procedimentos. .”

ignoramos

Marc Rich tinha fugido para a Suíça quando enfrentou acusações de fraude fiscal e evasão o que remonta à década de 1980. O perdão de 2001 do presidente Bill Clinton concedido aquando deixou o cargo de Presidente, no seu último dia, foi muito controverso.

Guido Roeoesli /AFP/Getty imagens

As 129 páginas do inquérito de 2001 foram fortemente expurgadas. Na época do perdão, Rich era um fugitivo internacional que havia fugido para a Suíça. A sua ex-mulher tinha feito donativos para o Comitê Nacional Democrata, para a biblioteca presidencial de Clinton e para a campanha de Hillary Clinton ao Senado de Nova York, o que levantou suspeitas sobre o perdão. A investigação federal foi encerrada em 2005 sem nenhuma acusação e Rich morreu em 2013.

O chefe da equipa de Bill Clinton, quando ocupante da Casa Branca, John Podesta, é agora Presidente da campanha da sua esposa. Ele testemunhou perante o Congresso que os ajudantes da Casa Branca tinham incitado Clinton a não conceder o perdão presidencial a Marc Rich. Eric Holder antigo procurador-geral de Obama era , então, um procurador-geral adjunto e aconselhava Clinton sobre os perdões presidenciais.

Há também uma conexão entre Comey e Marc Rich. Como noticia e Bloomberg, Comey foi o promotor do caso contra Marc Rich de 1987 até 1993 e em seguida também assumiu a investigação sobre o perdão do Presidente Clinton, em 2002, quando ele era o Procurador de Manhattan. Numa carta de 2008, Comey escreveu que tinha ficado “surpreendido” com o perdão de Rich.

No domingo, o FBI também deu informação em oito páginas de documentos relacionados com o falecido pai do candidato Republicano Donald Trump, Fred. Estas páginas referiam-se a um caso de imposto em que uma vez testemunhou e em vários negócios sobre bens imobiliários.

 Follow

FBI Records Vault 

✔@FBIRecordsVault

Fred C. Trump: Fred C. Trump (1905-1999) was a real estate developer and philanthropist. This release consists of… https://vault.fbi.gov/fred-c.-trump 

 

Jessica Taylor, Political Reporter, More Surprises: FBI Releases Files On Bill Clinton’s Pardon Of Marc Rich, texto disponível em:

http://www.npr.org/2016/11/01/500297580/more-surprises-fbi-releases-files-on-bill-clintons-pardon-of-marc-rich

 

***

independent-logo

O FBI liberta documentos

 

Rachael Revesz, jornal Independent

 

O FBI liberta documentos de 2001 resultantes de uma investigação sobre o perdão presidencial concedido por Bill Clinton a Marc Rich acusado de evasão fiscal.

O relatório de 129 páginas, censuradas, foram agora publicadas como resultado lançadas como resultado de um pedido realizado ao abrigo da liberdade de informação, apenas a uma semana antes da eleição para a Presidência.

 A investigação sobre a decisão polémica do Presidente Clinton de perdoar Marc Rich foi concluída em 2005.

Uma semana antes da eleição, o Federal Bureau of Investigation (FBI) lançou mais de 100 páginas de documentos relativos a uma investigação já concluída e que foi feita em torno da decisão polémica de Clinton perdoar a Marc Rich acusado de evasão fiscal há já mais de uma década. .

Através do twitter, o FBI libertou o relatório de 129 páginas editadas estando largamente expurgadas e que estão relacionadas com a investigação de 2001 sobre Marc Rich, um antigo gestor de fundos especulativos que toinha sido condenado por fuga de impostos e que foi perdoado pelo Presidente Clinton no seu último dia de Presidência .

O caso foi arquivado em 2005 e não houve acusações contra o Presidente Clinton.

Um funcionário do FBI disse à CNN que a publicação na terça-feira foi em resposta a uma solicitação de libertação de informações.

A informação foi divulgada automaticamente através de um twitter feed quando estava pronta para ser do conhecimento público.

O twitter em questão, @FBIRecordsVault, também libertou informações sobre e-mails de Hillary Clinton e sobre pai do senhor Trump, Fred Trump. Antes de domingo último, ou seja tinha havido um twitter em outubro de 2015.

A decisão levantou fortes críticas do Secretariado de imprensa de Clinton, Brian Fallon, e este questionou se o FBI também lançaria antigos documentos relativos ao seu rival, Donald Trump.

 

 Follow

Brian Fallon 

✔@brianefallon

Absent a FOIA litigation deadline, this is odd.
Will FBI be posting docs on Trump’s housing discrimination in ’70s?https://twitter.com/PeterWStevenson/status/793505168759386112 …

5:39 PM – 1 Nov 2016

O facto de se disponibilizarem ao público estes dados a uma semana antes da eleição adicionou combustível ao fogo dos Democratas tanto quanto o FBI e o seu atual diretor, James Comey, está a ser tático com a divulgação das informações.

A atualização dá-se poucos dias depois de Comey ter anunciado que estava a avançar na investigação relativamente aos novos e-mails encontrados, emails estes que foram “pertinentes” para a investigação agora encerrada de Clinton e do alegado uso indevido do  seu servidor pessoal de e-mail quando ela era Secretária de Estado.

 Follow

FBI Records Vault 

✔@FBIRecordsVault

William J. Clinton Foundation: This initial release consists of material from the FBI’s files related to the Will… https://vault.fbi.gov/william-j.-clinton-foundation …

4:00 PM – 1 Nov 2016

A campanha de Clinton apelou para mais transparência e para eliminar todo e qualquer traço de controvérsia, enquanto os republicanos, incluindo Trump e Paul Ryan, Presidente da Câmara dos Representantes felicitaram Comey por “corrigir o erro” de deixar Bill Clinton fora de qualquer suspeita, em julho.

Comey, um republicano, foi criticado por ter dado donativos para a campanha em 2008 e 2012 dos candidatos republicanos, John McCain e Mitt Romney.

O Presidente Obama disse através do Secretário de imprensa Josh Earnest esta semana que Comey era um homem de “princípios” e de “integridade” aprovado para o cargo com o apoio bipartidário e que a sua visão positiva sobre o diretor não tinha mudado.

Josh Ernest disse que nunca poderia ‘defender ou criticar” a decisão de Comey de anunciar que havia potencial para abrir uma nova investigação sobre os e-mails de Hillary Clinton na semana passada, quatro meses depois do inquérito ter sido dado como concluído.

O Diretor do FBI, Comey, investigou Marc Rich quando ele era um fugitivo a viver na Suíça, o que o levou a ser nomeado para o cargo de Procurador-Geral de Nova York. Rich morreu em 2013.

 

Rachael Revesz,  New York @RachaelRevesz, FBI releases documents from 2001 investigation into Bill Clinton pardoning late tax evader Marc Rich. Texto disponível em:

http://www.independent.co.uk/news/world/americas/bill-clinton-data-dump-marc-rich-fbi-2001-2005-hedge-fund-trader-tax-evasion-james-comey-a7392231.html

 

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: