EDITORIAL – TRUMP NO SEU LABIRINTO

Poucos duvidarão de que Donald Trump desde há muito que aspirava chegar à presidência do seu país. Embora no arranque da campanha eleitoral ele não aparecesse como um dos favoritos, com inegável persistência, ultrapassou uma série de candidatos do partido republicano, alguns deles à partida supostamente melhor colocados do que ele, para atingirem a final, e acabou por derrotar Hillary Clinton. Também esta parecia reunir mais probabilidades para alcançar a vitória final, reuniu mesmo mais votos que Trump no total geral, mas o sistema eleitoral americano, com os  grandes eleitores, eleitos pelos pequenos eleitores (os cidadãos), a tomarem a decisão final, fez com que fosse este a alcançar a presidência.

Não será descabido recordar que Hillary Clinton, também ela, estava longe de ser uma candidata imbatível, mesmo tendo em conta  a enorme experiência. Basta recordar a celeuma ocorrida no partido democrático quando ela foi escolhida para disputar a eleição final em detrimento de Bernie Sanders, que as sondagens indicavam como em melhor posição para derrotar Trump. Para além desta questão, Hillary Clinton foi penalizada pelo caso dos e-mails, por ter afirmado que metade dos adeptos de Trump eram deploráveis (clicar no primeiro link abaixo), e sobretudo por não mostrar no seu programa qualquer intenção de introduzir modificações significativas no sistema político-social norte-americano, nem uma preocupação clara com as classes trabalhadoras e os mais desfavorecidos. Trump, por seu lado, fez promessas de que  faria mudanças, chegado ao poder. Promessas demagógicas é verdade, mas que lhe deram votos. Poderão ver um exemplo sobre isto, relendo Warren ou l?Amérique désenchantée – Comment une petite ville de l’Ohio a basculé d’Obama á Trump, de Marie-Adélaïde Scigacz, cuja tradução saiu em A Viagem dos Argonautas em 27, 28 e 29 de Janeiro do corrente ano (ver segundo, terceiro e quarto links abaixo). As referências à expulsão de imigrantes, construção de muros nas fronteiras, introdução de barreiras aduaneiras, reduções de impostos, restrições aos muçulmanos, abolição das reformas de Obama na saúde, de exigências aos países aliados de aumentarem as suas contribuições, etc, embora de conteúdo e orientação muito díspares, apareceram à mistura com declarações sobre a restauração da grandeza da América e outras semelhantes, fazendo muita gente acreditar na possibilidade de mudanças. Entretanto, se logo após a tomada de posse de Trump houve quem aparecesse a falar em euforia económica, algumas notícias mais recentes parecem indicar o contrário (clicar nos quinto e sexto link abaixo).

Entretanto a questão das alterações climáticas, muito pouco abordada durante a campanha eleitoral, continua a ser tratada sobranceiramente. Por Trump e não só. Apesar das catástrofes ditas naturais que têm assolado os Estados Unidos e toda a zona das Caraíbas, com resultados devastadores. Há dias o furacão Maria fustigou as Caraíbas com grande intensidade, incluindo Porto Rico, território sob administração americana com mais de 3 milhões de habitantes, onde provocou pelo menos 13 mortes. Donald Trump referindo-se às dificuldades que tem havido na organização de socorros, referiu que uma das dificuldades seria constituída pela grande dívida do território à banca . Talvez devido ao reconhecimento da enorme inoportunidade desta declaração, está a proceder a alterações na legislação e marcou uma visita para a semana ao território.

Na política internacional o panorama parece ainda mais complicado. É sabido que os líderes das grandes potências, quando a política interna lhes corre mal, tendem a arriscar mais na política internacional. Os duelos verbais com Kim Jong-Un, que também não parece primar pela contenção, entrecortados com lançamentos de mísseis, manobras militares, explosões atómicas, constituem um sintoma muito claro de que Trump parece querer seguir por aí, como todos os riscos inerentes. Também é verdade que também conseguiu aumentar as vendas de armas na região. Os sinais de uma reaproximação entre a China e Rússia derivam claramente das expectativas (más) que o actual presidente norte-americano tem criado. Os “aliados fiéis” dos Estados Unidos sentem-se mais à vontade, como o demonstra a guerra que a Arábia Saudita desencadeou no Iémen.  E Mariano Rajoy recebeu a solidariedade de Trump nas suas intenções de impedir a realização do referendo na Catalunha. O presidente norte-americano declarou-se abertamente a favor de uma Espanha unida (“I’m for united Spain”, diz-nos a CBS News. “I really think the people of Catalonia would stay with Spain,” terá dito depois – ver último link).

Propomos que cliquem nos links abaixo:

http://www.reforma.com/aplicaciones/articulo/default.aspx?Id=936722&Fuente=MD

https://aviagemdosargonautas.net/2017/01/27/warren-ou-a-america-desencantada-como-e-que-uma-pequena-cidade-do-ohio-passou-de-obama-para-trump-texto-e-fotografias-de-marie-adelaide-scigacz/

https://aviagemdosargonautas.net/2017/01/28/warren-ou-a-america-desencantada-como-e-que-uma-pequena-cidade-do-ohio-passou-de-obama-para-trump-texto-e-fotografias-de-marie-adelaide-scigacz-ii/

https://aviagemdosargonautas.net/2017/01/29/warren-ou-a-america-desencantada-como-e-que-uma-pequena-cidade-do-ohio-passou-de-obama-para-trump-texto-e-fotografias-de-marie-adelaide-scigacz-iii/

https://tradingeconomics.com/united-states/unemployment-rate

https://www.bloomberg.com/view/articles/2017-09-28/trump-s-trade-bashing-hurts-the-u-s

https://www.commondreams.org/views/2017/09/25/abuses-history

https://theintercept.com/2017/05/18/trump-culpou-a-arabia-saudita-pelo-11-de-setembro-e-e-para-la-sua-primeira-viagem-como-presidente/

https://www.newyorker.com/news/amy-davidson-sorkin/the-distance-between-donald-trump-and-puerto-rico

http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37826604

https://www.publico.pt/2017/09/27/mundo/noticia/e-possivel-alguem-ser-mais-trumpista-do-que-trump-sim-e-acabou-de-ganhar-no-alabama-1786907

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/48064/Porto+rico+pede+ajuda+urgente+dos+eua+apos+furacao+maria.shtml?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Boletim_OM_27_09

https://www.msn.com/pt-pt/noticias/mundo/furac%c3%a3o-maria-enfraquece-segue-para-leste-e-afasta-se-dos-eua/ar-AAszlET

https://oglobo.globo.com/mundo/trump-flexibiliza-lei-que-acelera-ajuda-porto-rico-oito-dias-apos-furacao-21884080

https://zap.aeiou.pt/trump-segue-os-passos-nixon-usa-teoria-do-louco-coreia-do-norte-175064

https://www.cbsnews.com/news/president-trump-spanish-pm-mariano-rajoy-news-conference-live-updates/

 

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: