COMO DAR OUVIDOS ÀS VOZES QUE SE LEVANTAM por Luísa Lobão Moniz

25 de Abril de 1974 deu origem a que a população portuguesa saísse à rua, pacificamente, para demonstrar o seu repúdio relativamente às condições em que trabalhavam.

O protesto mais visível foi a diminuição do horário do trabalho para as 8 horas diárias.

Tudo começou nos E.U.A., e como não há fronteiras para o pensamento os protestos contra os patrões atravessaram muitos países que adoptaram o Dia 1 de Maio como o Dia do Trabalhador.

Muitas ruas cheias de pessoas que usaram a voz como arma contra os opressores, contra as condições de trabalho, contra horários demasiado longos, contra a exploração do Homem pelo Homem foram o quadro vivo de uma sociedade não democrática.

Muitas bastonadas, prisões, derramamento de sangue e até a morte se encontravam para calar a voz a uma realidade que a sociedade começava a condenar.

O Dia 1 de Maio é feriado como reconhecimento dos trabalhadores que tiveram a convicção e a coragem para enfrentarem uma luta tão desigual: de um lado da barricada estavam os patrões que queriam pagar o menos possível, do outro lado da barricada estão os trabalhadores que arremessaram palavras contra as forças da repressão, de um lado o poder de despedir, do outro lado o poder de dizer “basta!”

Depois de muitas lutas a relação entre patrão e empregado foi-se modificando. Os patrões começaram a “dar” alguns privilégios aos trabalhadores, não preocupados com o bem-estar, mas porque perceberam que assim os trabalhadores podiam produzir mais.

Nos nossos dias há locais de trabalho com imensas comodidades: poltronas ou sofás espalhados pelo escritório para poderem descansar ou mesmo trabalhar com o computador, mas num espaço mais informal; refeitório para que não percam tempo no almoço, assim podem continuar a trabalhar…; local para praticarem exercícios físicos libertando a adrenalina e, mais uma vez, para que produzam mais…

Tudo é feito para aumentar a produção.

Tal é a falta de tempo livre que, há uns anos, imensos trabalhadores japoneses se suicidaram no mesmo local de trabalho “não posso mais!”

Há países, sobejamente conhecidos, que exploram as crianças para fazerem bolas de futebol, para trabalharem em minas, para trabalharem em pequenas fábricas…

O Dia 1 de Maio é feriado porque muitos homens e mulheres souberam usar a voz em sua defesa, não tiveram medo de morrer na rua com uma bala no corpo, não tiveram medo de ficarem com o corpo marcado das bastonadas.

O espantoso é que muitas das lutas dos trabalhadores sejam ainda pelas mesmas razões dos trabalhadores de Chicago, nos finais do século XIX.

Assim se iniciaram as mudanças das condições laborais.

Que direitos irão ser aprovados e respeitados.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: