Posts Tagged: 1º de maio

SÓ ASSIM TE VALE A PENA por Luísa Lobão Moniz

E no dia 25 de Abril de 2016 comemoraram-se os 42 anos da Revolução dos Cravos. A 25 de Abril de 1974 prometia-se e exigia-se o mais básico da existência humana consignado nos Direitos Humanos. Habitação, Saúde, Educação, Trabalho, Liberdade

SÓ ASSIM TE VALE A PENA por Luísa Lobão Moniz

E no dia 25 de Abril de 2016 comemoraram-se os 42 anos da Revolução dos Cravos. A 25 de Abril de 1974 prometia-se e exigia-se o mais básico da existência humana consignado nos Direitos Humanos. Habitação, Saúde, Educação, Trabalho, Liberdade

A UMAR NO 1.º DE MAIO 2016 – PONTO DE ENCONTRO FEMINISTA – LISBOA E FUNCHAL

Caras/os amigas/os, No próximo Domingo, 1.º de Maio, a UMAR estará, como sempre, na rua em defesa dos direitos das trabalhadoras, contra a precariedade, desemprego, discriminação e violência laboral, como o assédio sexual.   Este ano em Lisboa, a UMAR está

A UMAR NO 1.º DE MAIO 2016 – PONTO DE ENCONTRO FEMINISTA – LISBOA E FUNCHAL

Caras/os amigas/os, No próximo Domingo, 1.º de Maio, a UMAR estará, como sempre, na rua em defesa dos direitos das trabalhadoras, contra a precariedade, desemprego, discriminação e violência laboral, como o assédio sexual.   Este ano em Lisboa, a UMAR está

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – DIA 1 DE MAIO ESTAMOS NA RUA EM LISBOA, PRECFEST, E NO PORTO, #ISTOTEMDEMUDAR

  No próximo dia 1 de Maio a Associação de Combate à Precariedade vai estar na rua, em Lisboa e no Porto, com vários movimentos e colectivos, em mobilizações contra o trabalho precário e desemprego. Em Lisboa iremos juntar-nos no

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – DIA 1 DE MAIO ESTAMOS NA RUA EM LISBOA, PRECFEST, E NO PORTO, #ISTOTEMDEMUDAR

  No próximo dia 1 de Maio a Associação de Combate à Precariedade vai estar na rua, em Lisboa e no Porto, com vários movimentos e colectivos, em mobilizações contra o trabalho precário e desemprego. Em Lisboa iremos juntar-nos no

CRÓNICA DE DOMINGO – DIA DO TRABALHADOR É TODOS OS DIAS – por José Goulão

No próximo ano passam 130 anos sobre o sacrifício dos mártires de Chicago em HaymarketSquare, no primeiro de Maio de 1886. O que pensaria a maioria dos jovens de hoje – e dos não jovens, já agora – se por

CRÓNICA DE DOMINGO – DIA DO TRABALHADOR É TODOS OS DIAS – por José Goulão

No próximo ano passam 130 anos sobre o sacrifício dos mártires de Chicago em HaymarketSquare, no primeiro de Maio de 1886. O que pensaria a maioria dos jovens de hoje – e dos não jovens, já agora – se por

CARTA DE LISBOA – 1º de Maio desbotado – por Pedro Godinho

  O 1º de Maio perdeu a cor vermelha, desbotou. Continua a haver manifestações, slogans e bandeiras vermelhas.  Mas falta-lhe força, fulgor. Claro, os sindicatos não são revolucionários, não é de esperar que o sejam quando procuram maximizar benefícios para os

CARTA DE LISBOA – 1º de Maio desbotado – por Pedro Godinho

  O 1º de Maio perdeu a cor vermelha, desbotou. Continua a haver manifestações, slogans e bandeiras vermelhas.  Mas falta-lhe força, fulgor. Claro, os sindicatos não são revolucionários, não é de esperar que o sejam quando procuram maximizar benefícios para os

PRAÇA DA REVOLTA – DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR – 1 – por José Brandão

ppp Este artigo do argonauta e historiador José Brandão foi anteriormente publicado no blogue Estrolabio, no 1º de Maio de 2011; pela sua qualidade e pela clareza com que expõe as razões pelas quais o dia de hoje é comemorado

PRAÇA DA REVOLTA – DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR – 1 – por José Brandão

ppp Este artigo do argonauta e historiador José Brandão foi anteriormente publicado no blogue Estrolabio, no 1º de Maio de 2011; pela sua qualidade e pela clareza com que expõe as razões pelas quais o dia de hoje é comemorado

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (35)

COM A MUDANÇA DOS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES NOVAS DA NOSSA CIDADE Há coisas que estão, mesmo, a mudar, no Porto. Já vamos (os que assim o entenderem, gostarem, e forem bons nesse assunto) poder pintar paredes com murais alusivos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (35)

COM A MUDANÇA DOS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES NOVAS DA NOSSA CIDADE Há coisas que estão, mesmo, a mudar, no Porto. Já vamos (os que assim o entenderem, gostarem, e forem bons nesse assunto) poder pintar paredes com murais alusivos

PRIMEIRO DE MAIO – por João Machado

      O Primeiro de Maio   Vão pela rua larga, a dar a curva Um homem alto, uma mulher baixa Uma linda rapariga, que a vista não turva Uma senhora gorda, o braço nela encaixa   Lado a

PRIMEIRO DE MAIO – por João Machado

      O Primeiro de Maio   Vão pela rua larga, a dar a curva Um homem alto, uma mulher baixa Uma linda rapariga, que a vista não turva Uma senhora gorda, o braço nela encaixa   Lado a