EDITORIAL – 5 de OUTUBRO – HOJE É O ANIVERSÁRIO DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA – por João Machado

 

A ideia ou melhor dito, a impressão com que fiquei do feriado do 5 de Outubro, desde a minha infância (já lá vai tanto tempo!), foi de que se tratava de uma data importante, sem dúvida, mas que não se sabia explicar bem a razão dessa importância. A referência aos acontecimentos da altura ficava sempre ensombrada pela recordação do assassinato, dois anos antes, do rei D. Carlos e do príncipe herdeiro, Luís de Orleães e Bragança. A rainha D. Amélia tentando repelir os regicidas com o ramo de flores vinha-me mais à cabeça do que a situação da educação do povo português na altura, com mais de dois terços de analfabetos, emigrando maciçamente para o Brasil e outras paragens, sofrendo o surto de peste bubónica no Porto em 1899, e muitos outros aspectos negativos. O ultimato britânico de 1890 foi, é verdade, sempre referido como um sintoma das políticas erradas da altura, e da inevitabilidade da ocorrência de mudanças profundas em Portugal.

Mas depois vinham as narrativas sobre a instabilidade e insegurança dominantes nos anos que decorreram até ao 28 de Maio de 1926, que desembocaram na ditadura. Com esta, mas só em 1952, ao que me lembro, o 5 de Outubro deixou de ser o feriado dedicado aos Heróis da República, e passou a sê-lo à Implantação da República. Parece que o doutor Oliveira Salazar nunca terá posto em dúvida o regime republicano (agradecem-se contributos que possam ajudar a esclarecer este assunto). Já o governo Passos/Portas deixou de considerar o 5 de Outubro como feriado nacional obrigatório, entre 2013 e 2015.

O governo Passos/Portas terá sido assim o único a pôr em causa a importância deste feriado. Mas tenho para mim que a sua importância tem sido subestimada pela maioria dos portugueses. Quando a república foi proclamada no nosso país, na Europa apenas a França, a Suíça e San Marino eram já repúblicas. Não custa a crer que a repercussão lá fora do nosso 5 de Outubro tivesse sido grande. Mas tem havido muita gente a fazer a comparação entre o nosso país e as monarquias do norte da Europa, e a atribuir ao sistema monárquico os louros das vantagens relativas de que que usufruem em relação a nós. Claro que fogem a referir o fosso que se cavou entre esses países e Portugal, a partir da segunda metade do século XVI, e que esse fosso é que está na origem das grandes disparidades existentes no século XX. Contudo se tem havido melhorias, ainda que relativas, nos últimos anos, apesar da infeliz adesão à União Europeia, onde fomos cair sob o domínio de uma oligarquia internacional-financeira, deve-se isso sobretudo à implantação do regime democrático em 25 de Abril de 1974, que veio dar continuidade, com inevitáveis adaptações, como as relativas às ex-colónias, aos ideais democráticos visados no 5 de Outubro de 1910.

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: