A SITUAÇÃO DA CAIXA ECONÓMICA E DO MONTEPIO: análise das contas do período 2015-1º sem.2018 e a necessidade de salvar o Montepio – INFORMAÇÃO 5/2018 AOS ASSOCIADOS DO MONTEPIO – por EUGÉNIO ROSA

 

i

A SITUAÇÃO DA CAIXA ECONÓMICA E DO MONTEPIO: análise das contas do período 2015-1º sem.2018  e a necessidade de salvar o Montepio

 

INFORMAÇÃO 5/2018 AOS ASSOCIADOS DO MONTEPIO

 

I – ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS DA CEMG ENTRE 2015-2018: a redução por Carlos Tavares dos resultados líquidos de 30 milhões € em 2017 apresentados por Félix Morgado para apenas 7,8 milhões € é uma ajuda para os resultados em 2018   

No quadro 1 reuniram-se os dados das rubricas mais importantes das Demonstrações de Resultados consolidadas da CEMG referente ao período 2015-1º semestre de 2018.

Comecemos pela análise da evolução da Margem Financeira entre 2015 e 2018, e forma como foi obtida.

 

1. A Margem Financeira que vinha aumentando desde 2015 com a administração de Félix Morgado, diminuiu entre o 1º sem.2017 e o 1º sem.2018 com Carlos Tavares, e continua a ser conseguida fundamentalmente à custa da redução dos juros pagos aos depositantes e não devido ao aumento do negócio bancário que continuou a cair

 

 

2. O aumento importante da receita de comissões no 1º sem.2018 à custa dos depositantes

 

 

3. A diminuição do “produto bancário core” e do Produto bancário no 1º sem.2018

 

 

4. A redução significativa dos custos operacionais à custa dos trabalhadores e o agravamento do “cost-to-income”, medida de eficiência

 

 

5. A “redução” das imparidades, e os Resultados líquidos no 1º sem.2018 conseguidos à custa do FINIBANCO Angola cujos dividendos dificilmente serão transferidos para Portugal e de imparidades transferidas de 2018 para 2017

 

 

6. Os rácios de solvabilidade e de liquidez, o rácio de ativos improdutivos (NPE) que continua demasiadamente elevado, e a situação dos trabalhadores da CEMG

 

 

II – ANÁLISE DAS PRINCIPAIS CONTAS DOS BALANÇOS CONSOLIDADOS DA CEMG NO PERIODO 2015/1º Sem.2018: a continuação da queda do crédito

 

No quadro 2 reuniram-se os dados das contas mais importantes dos Balanços consolidados da CEMG-Montepio referentes aos anos de 2015, 2016, 1º sem.2017, 2017 e 1º Sem.2018. Eles dão um retrato sintético da situação da CEMG no fim de cada um dos períodos considerados, e da evolução verificada entre eles.

 

Uma análise detalhada dos dados constantes do quadro 2 permite tirar mais algumas conclusões importantes para os quais se chama a atenção (constam dos pontos seguintes).

 

1. A carteira de crédito concedido pela Caixa Económica continua a diminuir apesar da CEMG continuar a ter uma elevada liquidez

 

 

2. A redução dos Capitais Próprios da CEMG e dos Capitais atribuíveis ao acionista durante a administração de Carlos Tavares

 

 

III – O “BURACO NEGRO” A NÍVEL DE INFORMAÇÃO DA SITUAÇÃO VERDADEIRA DA AMMG E O NÃO CUMPRIMENTO DAS PROMESSAS/PREVISÕES POR TOMÁS CORREIA

 

Eugénio Rosa – economista – edr2@netcabo.pt 30-9-2018

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: