Por Terras do Alentejo, por António Gomes Marques

Será que Warren Buffett leu Lénine? - por António Gomes Marques

         Tenho paixão pelo meu país, por este Portugal à beira-mar plantado, com uma costa de grande beleza, de Norte a Sul, onde brilham as suas praias escandalosamente tratadas, de uma forma geral, pelo desenvolvimento turístico, o que nem sempre significa criação de riqueza para o país. Mas o interior do país não é menos belo e menos rico em Património.

         No passado mês de Março, eu e a Célia, a minha mulher, fomos até à zona de Cuba-Vidigueira. Ficámos no Monte do Mato do Homem, perto da Vidigueira e da Vila de Frades, a conhecida «Catedral dos Vinhos de Talha».

         Que silêncio! E acordar ao som do canto da rola, levando-me à minha infância na aldeia, que maravilha!

        Naturalmente, não faltou a boa comida, que se iniciou em Évora num dos seus restaurantes de referência e que o «núcleo duro familiar» —os quatro avós, os pais e a neta— muito gosta de frequentar, o Dom Joaquim. Depois foi correr outras «capelinhas», como a Taberna da Tia Jacinta, na Vidigueira —onde se come bem (petiscos) por metade do preço dos outros locais—, ou uma das catedrais do vinho de talha, a Adega da Casa de Monte Pedral, em Cuba (v. fotografia abaixo) —ah, aquela «sopa de feijão»!—, ficando sem saber qual a que mais louvar. De salientar que nesta Adega de Cuba tive a agradável surpresa de receber uma oferta: uma garrafa de litro de vinho tinto da Vidigueira, produzido pela Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, «Vinho dos Sócios», que não pode comprar-se em lugar algum dado destinar-se aos sócios da Cooperativa e que eu me preparo para abrir numa ocasião especial. Um gesto que não esquecerei!

Por Terras do Alentejo 1

         Também os vinhos alentejanos não podiam deixar de merecer a nossa atenção, calhando (quase) em caminho uma visita a uma das Herdades produtoras de vinho alentejano que consumo e de que muito gosto, lembrando o recente prémio do «Melhor Vinho Branco do Mundo», da Herdade da Ervideira, não tendo havido tempo para avisar o meu amigo e antigo companheiro na Caixa Geral de Depósitos António Lança, o da Herdade Grande, que visitaremos de novo numa próxima visita à zona, produtor de alguns dos grandes vinhos alentejanos. Felizmente, há outros produtores de grandes vinhos no Alentejo.

         Enfim, foi uma fartura de boas comidas —destacando o que para mim é uma iguaria: o presunto alentejano!— e bons vinhos, mas também a possibilidade de poder usufruir da reconfortante paisagem alentejana, trazendo mais um pouco de vigor para enfrentar a má gestão a que, sobretudo politicamente, o país é sujeito e, consequentemente, os portugueses.

         Mas uma surpresa nos aguardava: a Igreja Matriz de S. Vicente de Cuba!

            Quantas vezes estive em Cuba, é algo que não sei dizer, mas só agora tive oportunidade de visitar esta igreja-museu, oportunidade que uma publicação que li no Monte onde pernoitámos me proporcionou.

         A construção da Igreja teve início em 1572, mas que, ao detectarem-se problemas estruturais na sua construção, houve necessidade de construir contrafortes suficientemente robustos, o que aconteceu em 1617.

«O templo compõe-se de torres, nave e ousia, a que se adossam lateralmente a sacristia e alguns anexos. A frontaria, de empena triangular, rasgada por um portal e por um janelão simples, é ladeada por duas torres formadas por corpos prismáticos escalonados, rasgadas por sineiras em arco pleno e rematadas por coruchéus enquadrados por pináculos.

         No interior, o templo apresenta as paredes integralmente forradas com azulejos seiscentistas, de diferentes padrões, em que se inserem alguns painéis figurativos. À entrada, sob o coro, encontram-se várias sepulturas, uma delas com a pedra de armas dos Salgueiros Barahonas. O arco triunfal é ladeado por dois retábulos de talha dourada, um de estilo neoclássico, o outro rococó. Na capela-mor, coberta por cúpula, admira-se um retábulo de talha dourada joanina. Na sacristia subsistem vestígios de antigos frescos.» (1)

Por Terras do Alentejo 2

Por Terras do Alentejo 3

         O interior da igreja foi para nós um deslumbramento, com as paredes cobertas por azulejos e painéis figurativos, santorais. Para além da surpresa, tivemos a vantagem de sermos acompanhados por um dos responsáveis pela conservação deste deslumbrante museu, o Dr. Nuno Sota, o qual, para além da licenciatura em Filosofia, fez ainda História de Arte e Teologia, disponibilizando o seu muito saber e amor por este Património aos visitantes da Igreja Matriz, explicando com minúcia tudo quanto os nossos olhos podem ali observar, nomeadamente cada um dos painéis figurativos, mostrando um conhecimento profundo da história da Religião.

         Veja-se este deslumbrante frontal no altar-mor:

Por Terras do Alentejo 4

         Após ouvirmos a brilhante e pormenorizada explicação do Dr. Nuno Sota, tivemos ainda a oportunidade de visitar a sala do Tesouro da Igreja Matriz de S. Vicente de Cuba, com peças de pintura, estatuária, ourivesaria, artes decorativas, dos séculos XVII e XVIII, de que anexamos uma fotografia:

         Na despedida de uma visita que estava planeada para 30 minutos e que nos ocupou por quase 2h30, deixámos um desafio ao Dr. Nuno Sota.: a criação de uma brochura com toda a explicação que ele nos havia dado, com a certeza de que constituiria/constituirá um excelente serviço a Cuba, à Diocese de Beja e a Portugal, verificando eu, na consequente conversa, que a ideia já germina há muito na cabeça deste notável Conservador —não sei se tem esta função atribuída e se lhe pagam como tal, mas deviam—, mas falta-lhe o adequado financiamento. Mas, afinal, para que serve o Ministério da Cultura?

Portela (de Sacavém), 2019-04-03

NOTAS

1 – in: Almeida, Álvaro Duarte e Belo, Duarte (Coordenação) – Portugal Património – Guia – Inventário, volume IX Beja – Faro, pág. 35, Círculo de Leitores, Março de 2008

2 – Para mais informações consultar:

https://www.cm-cuba.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=86&Itemid=11 www.monumentos.gov.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=5478

e

https://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Matriz_de_São_Vicente_de_Cuba

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: