PORTUGAL NÃO TEM CALÇADA PARA O RACISMO por Luísa Lobão Moniz

Ouvir dizer que Portugal é um país racista faz doer a nossa existência, enquanto seres humanos que lutam pelas liberdades e pelos direitos individuais e colectivos.

“A negação, a persistência na desvalorização do fenómeno conduzem ao desastre e à radicalização de posições”, alertou a ministrada Justiça

Falar em racismo é falar da exploração do homem pelo homem, é querer fazer de todas as diferenças existentes nas sociedades os motivos para uma luta sangrenta, é considerar que há grupos de humanos superiores a outros, é subtrair a liberdade, a dignidade, a igualdade de tratamento ao nível social, económico, cultural, é querer exercer o poder para a maioria de um determinado grupo étnico em desfavor de outros grupos que, por serem minoritários, têm apenas o dever de servir, de ser maltratado, de ser subserviente beneficiando, apenas, dos desperdícios alimentares, habitacionais, culturais, dos pálidos raios de Sol que a maioria goza, apenas têm o dever de ter um corpo e a força suficiente para se manter de pé para criar mais-valias aos seus donos.

A maioria, representada no Parlamento, faz leis baseadas na noção da sua superioridade, da sua satisfação pessoal e colectiva. E quantas vezes, apenas e bastante, a vontade psicológica de se sentir confortável…de ostentar o Poder sobre os sem-voz, num mundo em que ser diferente é sinal de que é quase impossível a ascensão social.

Mas sim, é possível a ascensão social, basta ver em termos percentuais a quantidade de jovens que frequentam a Universidade, de jovens que dominam as novas tecnologias, de jovens com emprego, nem que seja temporário, de jovens que se passeiam ou trabalham em empresas fora de Portugal engrossando o número de óptimos cientistas, enfermeiros especializados, de empregados nos supermercados com habilitações académicas superiores às exigidas para o cargo.

Em 2019 os portugueses estão mais satisfeitos com a vida, apesar do número absurdamente elevado de gentes que não votam porque não acreditam nas mudanças, de gentes desmotivadas para o conhecimento, para o espírito crítico, para a leitura.

O racismo consiste na desigualdade social e na discriminação com base em percepções sociais baseadas em diferenças biológicas entre os povos.

O preconceito racial é qualquer forma de expressão que discrimina uma etnia ou cultura por considerá-la inferior ou menos capaz.

 Há tantos racismos quantas as situações de desigualdade várias.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: