‘Ele está a perder o j_ _ _ _’: Os conselheiros de Trump estão cada vez mais preocupados com o seu estado mental depois de dias de comportamento errático. Por Sonam Sheth

Espuma dos dias

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Publicado por Business Insider em 7 de setembro de 2019 (ver aqui)

17 'Ele está a perder o j 1

Presidente Donald Trump. Reuters

 

  • Os assessores e confidentes do Presidente Donald Trump estão cada vez mais preocupados com o seu estado mental depois de dias de comportamento errático e explosões violentas.
  • “Ninguém mais sabe o que esperar dele”, disse ao Insider um ex-funcionário da Casa Branca, que falou com a condição de anonimato para discutir conversas internas sobre o presidente. “O seu humor muda de um minuto para o outro com base em alguma manchete ou tweet, e a próxima coisa que você percebe é que toda a agenda dele é atirada pela janela porque ele está perdendo o seu j—-“.
  • Trump passou os últimos dias obcecado com a sua falsa alegação de que o Alabama ia ser atingido pelo furacão Dorian. Ele também teve tempo para lançar ataques àqueles vistos como seus inimigos, como a atriz Debra Messing, o ex-diretor do FBI James Comey, e os meios de comunicação chamados “LameStream”.
  • “Ele está a deteriorar-se bem à vista de todos,” disse ao Insider na 6ª feira um estratega republicano que tem frequente contacto com a Casa Branca.
  • Mas uma pessoa que estava próxima da equipa jurídica de Trump durante a investigação russa disse ao Insider que as suas declarações públicas “não são nada comparadas com o que ele é à porta fechada”. Ele é como um touro a ver a cor vermelha. Não há como chegar até ele e você pode beijar os seus planos para o dia de despedida porque você está basicamente preso a cuidar de uma criança de quatro anos agora”.

Os assessores e confidentes do Presidente Donald Trump estão cada vez mais preocupados com o seu estado mental após dias de comportamento errático, explosões violentas e fixações bizarras.

“Ninguém mais sabe o que esperar dele”, disse ao Insider um ex-funcionário da Casa Branca, que falou com a condição de anonimato para discutir conversas internas sobre o presidente. “O seu humor muda de um minuto para o outro com base em alguma manchete ou tweet, e a próxima coisa que você percebe é que toda a agenda dele é atirada pela janela porque ele está a perder o j—-“.

Os conselheiros do presidente estão particularmente preocupados com a sua recusa obstinada em reconhecer que um tweet que ele enviou no fim-de-semana afirmando que o Alabama ia ser atingido pelo furacão Dorian era falso. Eles acreditam que sua frustração é agravada pelo stresse sobre a eleição de 2020 e a recente desaceleração da economia.

“As pessoas estão acostumadas que o presidente diga coisas que não são verdadeiras, mas essas coisas do Alabama são outra história”, disse o ex-oficial. “Este episódio foi o presidente enviando informações manifestamente falsas sobre uma situação de emergência nacional enquanto ela se desenrolava.”

A última explosão de Trump sobre o assunto veio na sexta-feira de manhã, quando ele criticou os media por terem verificado os factos sobre o caso.

“Os media das notícias falsas estavam fixados no facto de que eu disse corretamente, no início do furacão Dorian, que além da Flórida e outros estados, o Alabama também pode ser tocado ou atingido,” tweetou o presidente. “Eles enlouqueceram, com a esperança de que eu tivesse cometido um erro (o que eu não fiz). Confira os mapas….”

Trump continuou a queixar-se de que “este disparate nunca aconteceu a outro presidente. Quatro dias de relatórios corruptos, ainda sem um pedido de desculpas. Mas há muitas coisas sobre as quais os media das notícias falsas não me pediram desculpas, como a caça às bruxas, ou a SpyGate! Os media ditos LameStream e o seu parceiro … democrata devem começar a jogar corretamente. Seria muito melhor para o nosso país!”

Na noite de 6ª feira, Trump tinha colocado 15 tweets e cinco mapas sobre Alabama e o furacão para tentar provar que os seu tweet original estava correto, apesar de ter sido publicamente reprovado pelo Serviço Nacional de Meteorologia. Ele também mostrou aos repórteres um mapa alterado do percurso do furacão para sustentar as suas afirmações, uma atuação que pode até ser ilegal segundo a lei federal.

“Ele está a deteriorar-se a olhos vistos,” disse ao Insider na 6ª feira um estratega republicano que está em contacto frequente com a Casa Branca.

Perguntado porque motivo o presidente estava obcecado com o Alabama em vez dos estados que serão realmente afetados pela tempestade, o estrategista brincou, “você deveria perguntar a um psiquiatra sobre isso, eu não tenho certeza de que estou qualificado para comentar”.

Trump frequentemente transmite as suas queixas publicamente, seja no Twitter ou enquanto fala com repórteres, o que significa que o mundo tem uma janela sem precedentes para o fluxo de consciência do presidente.

Por exemplo, no fim-de-semana do Dia do Trabalho, quando o furacão Dorian atacou as Bahamas e chegou ao continente americano, Trump fez intervalos entre o golfe para disparar mais de 120 tweets.

Além das atualizações sobre o furacão Dorian e dos elogios da Fox News à sua presidência, os alvos dos tweets de Trump incluiam:

  • O ex-diretor do FBI James Comey.
  • Quatro deputadas democratas caloiras de cor conhecidas como “O Esquadrão”
  • O presidente da AFL-CIO Richard Trumka.
  • “O colunista fracassado do New York Times Paul Krugman.”
  • “Amazon Washington Post.”
  • Os media “LameStream.”
  • A atriz e ativista liberal Debra Messing.

 

‘ Ele é como um touro a ver a cor vermelha’

Messing provocou a ira de ambos os lados das alas da Casa Branca quando ela postou um tweet na semana passada pedindo uma lista pública de doadores do Trump que irão participar de uma angariação de fundos para ele em Beverly Hills, Califórnia.

O tweet da atriz “Vontade e Graça” recebeu uma resposta dura da co-anfitriã do “The View” Whoopi Goldberg, que a comparou ao McCarthismo dos anos 50.

Trump tinha Messing na mente ainda na quinta-feira, quando ele se referiu aos comentários de Goldberg e tweetou, “Má ‘atriz’ Debra a trapalhona está em água quente. Ela quer criar uma “lista negra” de apoiantes de Trump, e está a ser acusada de McCarthismo.”

O presidente também se agarrou a outro tweet de Messing no qual ela elogiou um sinal em frente a uma igreja do Alabama, implicando que os eleitores negros que apoiam Trump estão mentalmente doentes. Messing mais tarde pediu desculpa por “imprudentemente” ter compartilhado o sinal e acrescentou que o seu uso do termo “mentalmente doente” era “errado e ofensivo”.

Trump chamou Messing de “racista por causa das coisas terríveis que ela disse sobre negros e doenças mentais” e acrescentou que se a atriz Roseanne Barr – uma ávida apoiadora de Trump – tivesse dito a mesma coisa, ela teria sido demitida.

Barr foi despedida da sua sitcom no ano passado por fazer comentários racistas sobre um assistente do ex-presidente Barack Obama. “A NBC vai permitir que um racista do estilo McCarthy continue? escreveu Trump, referindo-se a Messing.

A atriz respondeu ligando a uma peça do New Yorker esta semana detalhando o comportamento selvagem de Trump ao longo do último mês.

Ela acrescentou que espera que “a família dele lhe dê a ajuda de que ele precisa. Triste”.

Anthony Scaramucci, o ex-diretor de comunicações da Casa Branca, também pesou sobre o estado de espírito de Trump na sexta-feira.

“Penso que o presidente está em grave declínio mental, e não estou a dizer isso agora, porque sou um adversário político ou porque o repudiei, estou a dizer isso objetivamente apenas olhando para o que está a acontecer”, disse Scaramucci no Fórum Global de Toronto.

Esta não é a primeira vez que foram levantadas perguntas sobre o estado mental de Trump e a sua aptidão para a presidência. Na verdade, a estabilidade mental de Trump é um tema regular de discussão na Casa Branca.

Isto foi confirmado pelo autor anónimo de um famigerado editorial de 2018 do New York Times, que disse que os assessores de Trump rotineiramente ignoram ou rejeitam as suas ordens para o bem do país. “Fogo e Fúria: Dentro da Casa Branca Trump”, de Michael Wolff, e “Medo: Trump na Casa Branca” detalharam casos semelhantes.

E o antigo conselheiro especial Robert Mueller também descobriu que os inúmeros esforços de Trump para obstruir a investigação russa foram em grande parte infrutíferos apenas porque os seus subordinados se recusaram a cumprir as suas diretivas.

Uma pessoa que próxima da equipa jurídica de Trump durante a investigação russa disse ao Insider que as suas declarações públicas “não são nada comparadas com o que ele é à porta fechada”.

“Ele é como um touro a ver o vermelho”, acrescentou esta pessoa. “Não há como chegar até ele e você pode dizer adeus aos seus planos para o dia porque você está basicamente preso a cuidar de um garoto de quatro anos agora.”

________________-

A autora: Sonam Sheth Sonam Sheth é repórter de notícias da Business Insider. Ela cursou a Rutgers University e formou-se em Economia com especialização em Ciência Política. Ela escreveu anteriormente para a CNBC antes de se juntar à equipe de notícias do BI.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: