Crise financeira no horizonte. Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise: 1. Os Dados do Problema – 1.6. O que é que Biden e Yellen vão fazer em relação ao caso GameStop. Por Stefano Graziozi

Logo tipo de WallStreetBets, um sítio subreddit, área de interesse criada pelos utilizadores onde são organizadas discussões na Reddit, um site de agregação de notícias sociais, classificação de conteúdos web e de discussão.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise

 

1. Os Dados do Problema

1.6. O que é que Biden e Yellen vão fazer em relação ao caso GameStop

 Por Stefano Graziozi

Publicado por em 02/02/2021 (original aqui)

 

 

Porque é que o caso GameStop representa um conflito de interesses para a administração Biden. Todos os detalhes no artigo de Stefano Graziosi para La Verità

 

Conflito de interesses à vista para a administração Biden?

O caso Gamestop está a abalar a política americana. A aplicação de negociação Robinhood restringiu as transações, depois de muitos pequenos investidores terem adquirido títulos de uma empresa em declínio (Gamestop) transtornando os planos aos fundos de cobertura que tinham apostado no seu declínio.

A decisão provocou controvérsia. E, como dito acima, também se vislumbra um problema para o presidente.

Uma das empresas mais afetadas pelo que aconteceu foi a Melvin Capital que – há alguns dias – foi salva por dois fundos de cobertura, Citadel e Point72, através de um pagamento de quase 3 mil milhões de dólares.

E há quem tenha especulado que a Citadel pode ter tido uma palavra a dizer no aperto de Robinhood. Um argumento que o fundo de cobertura de Chicago negou, embora se deva lembrar que a Citadel é o principal criador de mercado utilizado por Robinhood.

Então, onde se encaixa a administração Biden? Tem algo a ver com isto porque – como relatado pelo Politico – a nova Secretária do Tesouro, Janet Yellen, recebeu no passado da Citadel mais de 800.000 dólares como compensação por algumas conferências. A mesma Yellen que, como relatado pela Casa Branca na quarta-feira, está a “monitorizar” a questão Gamestop.

Pergunta: É normal que uma senhora com tais ligações a uma pessoa envolvida nesta questão seja delegada para “acompanhar” essa mesma questão em nome do governo dos EUA? Para não mencionar que muitos dos apoiantes de Joe Biden eram a favor da reforma de Wall Street.

Uma posição algo estranha, dado que nos últimos dois anos Yellen recebeu 7,2 milhões de dólares em compensação por conferências organizadas por grandes atores financeiros (incluindo Goldman Sachs e Barclays). As intenções reformistas sobre esta base são difíceis crer que se concretizarão.

Dito isto, devemos também evitar a banalização. O que os pequenos investidores fizeram no caso Gamestop decorre de uma dinâmica que se instala cada vez mais no mundo financeiro americano: devido aos preços muito elevados dos grandes gigantes, que excluem efetivamente os investidores individuais, estes últimos viraram-se primeiro para plataformas que permitem o fracionamento das ações e depois saltaram para as chamadas ações de um cêntimo. Coordenarem-se com a Reddit é, no entanto, um salto muito perigoso.

As limitações introduzidas por Robinhood podem também ser explicadas pelo receio de uma intervenção da SEC. De facto, deve dizer-se que a medida tem por objetivo impedir uma possível manipulação do mercado (um caso contra o qual a lei americana é notoriamente severa).

Charles Whitehead, professor na Faculdade de Direito Cornell, declarou por exemplo ao website Vox que – relativamente ao tema da manipulação – a conduta dos pequenos investidores no caso Gamestop situa-se numa “zona cinzenta”. Isto quer dizer que algumas posições que têm sido tomadas ultimamente são um pouco demagógicas. É o caso, por exemplo, da Congressista Dem Alexandria Ocasio-Cortez, que se pronunciou contra os hedge funds e pediu “uma audição, se necessário”.

No entanto, a legislação que regula as atividades destes fundos é tudo menos branda e baseia-se num extenso conjunto de regras. E a prática da venda a descoberto (a venda de títulos não diretamente propriedade do vendedor) é regulada pela chamada Regulation sho, através da Securities and Exchange Commission (SEC).

É portanto curioso que até Elon Musk se tenha encontrado a criticar a venda a descoberto no Twitter, dado que ele próprio durante anos tem vendido carros que não possuía de facto. Em vez de disparos demagógicos baratos, o que talvez seja necessário é outra coisa: certamente manter a guarda contra os grandes fundos de cobertura de risco mas – ao mesmo tempo – estudar como regular fenómenos de investimento “de baixo para cima “, tais como o caso Gamestop.

 

__________________

O autor: Stefano Graziozi colabora para La Verità (desde 2016), Panorama (desde 2019), Formiche.net (desde 2018), Focus Storia (desde 2016), Istituto Affari Internazionale (desde 2017), glistatigenerali.com (desde 2015). Leitor de Ciência Política na Fondazione RUI. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Pisa e mestre em Filosofia pela Universidade Católica del Sacro Cuore.

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply