Tempos de pandemia, de disfuncionamento da justiça, de disfuncionamento dos mercados, de apostas selvagens em Wall Street – 3. ARCHEGOS E AS APOSTAS SELVAGENS DE WALL STREET: 3A – OS PRODUTOS DERIVADOS: 7. O que fez explodir o fundo de cobertura dos EUA e como é que este facto pode afetar os mercados. Por Chiranjivi Chakraborty

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

 

3A. Os produtos derivados – 7. O que fez explodir o fundo de cobertura dos EUA e como é que este facto pode afetar os mercados 

 

 Por Chiranjivi Chakraborty

Publicado por  em 30 de Março de 2021 (ver aqui ou aqui)

 

As acções do Credit Suisse e do Nomura sofreram uma queda superior a 13 por cento na segunda-feira

 

MUMBAI: A turbulência na Archegos Capital Management, dirigida pelo antigo gestor de fundos de cobertura Bill Hwang, enviou ondas de choque através dos mercados financeiros de Singapura a Nova Iorque.

O escritório familiar sediado em Nova Iorque foi reportado como estando por detrás das transações de blocos “sem precedentes” que tiveram lugar na sexta-feira nos mercados dos EUA. Bancos de investimento como o Goldman Sachs e o Morgan Stanley despejaram mais de 20 mil milhões de dólares em posições de ações em nome do fundo de Bill Hwang numa série de transações de blocos que causaram trepidação entre os operadores em bolsa.

O risco de contágio devido à explosão do escritório familiar está a preocupar os investidores após os seus grandes corretores, tais como o Nomura Holdings e o Credit Suisse terem dado avisos sobre os seus rendimentos no início da segunda-feira, devido a uma enorme perda potencial de um fundo com sede nos EUA, que foi reportado como sendo propriedade de Bill Hwang. As ações do Credit Suisse e do Nomura sofreram uma queda de mais de 13 por cento na segunda-feira.

  1. O que despoletou as negociações massivas em bloco da Goldman Sachs?

Na sexta-feira, os operadores profissionais em bolsa em Nova Iorque foram abalados por rumores de que a Goldman Sachs efetuava transações de blocos no valor de mais de 10 mil milhões de dólares em ações de algumas das maiores ações de entretenimento e Recibos de Depósito Americano de empresas chinesas.

As transações em bloco são assuntos de rotina no mercado, e como tal, não levantam provocam um levantar de sobrancelhas. No entanto, neste caso, os tamanhos das ordens individuais do mercado eram tão grandes que os operadores em bolsa sentiam o cheiro de um rato. As ações em que as vendas em bloco ocorreram entraram em colapso, com alguns a verem perdas de mais de 40% na sexta-feira.

  1. Quem foi o vendedor por detrás da chamada de margem de 10 mil milhões de dólares?

A Bloomberg News e o New York Times no fim-de-semana em separado relataram que as grandes transações de blocos realizadas pela Goldman Sachs e Morgan Stanley na sexta-feira foram em nome da Archegos Capital. Verificou-se que a Goldman Sachs e a Morgan Stanley, que se encontravam entre os principais corretores da Archegos, estavam de facto a despejar as posições do fundo da Hwang no mercado devido a uma chamada de margem.

  1. O que é uma chamada de margem?

Uma chamada de margem é um evento em que o corretor de um indivíduo é obrigado a liquidar as posições de um cliente no caso de o cliente não ser capaz de fornecer dinheiro adicional para cobrir as margens do seu negócio alavancado.

  1. Quem é Bill Hwang?

Bill Hwang é um antigo gestor de fundos de cobertura que trabalhou para a ilustre empresa de investimento Tiger Management. Os antecedentes de Hwang são acidentados. Em 2012, ele entrou num acordo com a Securities Exchange Commission, na sequência de acusações de ter obtido lucros ilícitos com as suas transações de ações de bancos chineses que o levaram a pagar uma multa de 44 milhões de dólares juntamente com outro colega.

Após o colapso do seu fundo de cobertura, Hwang iniciou um escritório familiar sob o nome da Archegos Capital com apostas baseadas em alavancagem nas ações de crescimento tecnológico dos EUA e nos ADRs chineses [títulos de certificados de depósito americanos]. A Bloomberg relatou que a estratégia de Hwang de longo-curto prazo significou que ele tomou grandes posições em algumas das maiores ações cotadas nos EUA através de contratos de derivados privados que lhe permitiram assumir uma exposição que foi várias vezes superior ao seu capital inicial

  1. O que correu mal na Archegos?

Os contratos de derivados por medida que Hwang utilizou na Archegos Capital para melhorar as suas posições no mercado tinham estado no epicentro da crise financeira de 2008-09, e no entanto os principais corretores de Hwang, tais como Nomura, Credit Suisse e Goldman não viram qualquer mal em alargar essas margens a um indivíduo acusado de fraude.

Mas a orientação do mercado, não há muito tempo, pode ter ido contra as posições alavancadas de Hwang no mercado, resultando em perdas nos valores de mercado. Uma vez que Hwang teve de fornecer margem para cobrir a alavancagem, as perdas resultaram em que os seus corretores exigiram mais dinheiro. Os participantes no mercado disseram que enquanto os corretores principais de Hwang tinham colaborado no fornecimento de alavancagem à Archegos Capital, é possível que a Goldman e a Morgan Stanley tenham saído da fileira e optado por recuperar o seu capital através do dumping das posições da Archegos Capital no mercado.

  1. Será que a queda da Archegos irá desencadear um contágio a nível global?

Embora até agora os mercados de ações tenham conseguido aguentar o colapso da Archegos, os avisos sobre rendimentos emitidos pela Nomura e Credit Suisse estão a suscitar preocupações de um contágio mais amplo. A Goldman Sachs terá dito aos seus investidores que as perdas decorrentes da sua exposição a Archegos são imateriais.

Os participantes no mercado estão mais preocupados com o efeito de segunda ordem do episódio, uma vez que acreditam que este desencadeia um aperto dos requisitos de margem a nível global por parte dos bancos de investimento, o que pode desencadear uma desalavancagem nos mercados que têm registado um elevado nível de margem financiada nos últimos meses.

Os bancos de investimento podem começar a compilar listas de outros fundos de cobertura que podem ter assumido uma grande exposição baseada em alavancagem e tentar minimizar a ameaça para o seu balanço, diminuindo a alavancagem fornecida por eles aos fundos de cobertura até que a tempestade Archegos passe.

A desalavancagem por fundos de cobertura pode ser uma notícia sóbria das ações de mercados emergentes, uma vez que pode reduzir as entradas ou pior, desencadear saídas à medida que os fundos procuram reduzir a exposição ao risco no mercado. Combine isso com a força do dólar americano, que de qualquer forma pressiona as operações ditas de portagem (os carry trades [1]) e os efeitos deste episódio podem ser desastrosos.

 

 

Nota

[1] N.T. Carry trade, estratégia de negociação que envolve contrair empréstimos a uma taxa de juro baixa e investir num activo que proporcione uma taxa de retorno mais elevada. Um carry trade é tipicamente baseado no empréstimo numa moeda de baixa taxa de juro e na conversão da quantia emprestada noutra moeda.

______________________

O autor: Chiranjivi Chakraborty repórter de Economic Times. Correspondente da Cogencis Information Services Ltd. De 2016 a 2020. Licenciado em Economia pela Universidade de Delhi e pós graduado em Jornalismo pelo Indian Institute of Mass Communication de Nova Deli.

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply