SINAIS DE FOGO – A DIATRIBE DO BISPO JANOTA – por Soares Novais

 

Foto: João Lopes Cardoso/Voz Portucalense

(*) Ficção histórica de um dos mais prolixos cronistas, no século XIX, da cidade do Porto, “Um Motim Há Cem Anos” narra a famosa revolta dos taberneiros. Em 1757 o Porto foi palco de duas revoltas populares contra a Companhia Geral de Agricultura e das Vinhas do Alto Douro, instituída em 1756 por Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal. O descontentamento motivado pela formação desta companhia monopolista não só se fez sentir entre os agentes ligados à produção e comercialização de vinho do Porto, nomeadamente os comerciantes ingleses e seus colaboradores, mas também entre os numerosos taberneiros, tanoeiros e pequenos armazenistas da cidade.

 

Fonte: https://sigarra.up.pt

 

 

Leave a Reply