A Guerra na Ucrânia — “O momento do ataque ao gasoduto”. Por Joe Lauria

Seleção e tradução de Francisco Tavares

3 m de leitura

O momento do ataque ao gasoduto

 Por Joe Lauria

Publicado por  em 28 de Setembro de 2022 (original aqui)

 

Os Estados Unidos já tinham forçado a Alemanha a encerrar o Nord Stream 2, mas há sinais de que o fim da guerra da Ucrânia o teria posto de novo em linha, escreve Joe Lauria.

 

Biden a apelar ao derrube de Putin, em Varsóvia em Março. (Gabinete do Presidente)

 

O Presidente Joe Biden, com o Chanceler alemão Olaf Scholz ao seu lado, prometeu numa conferência de imprensa da Casa Branca, no início de Fevereiro, que os EUA poderiam “fechar” o gasoduto germano-russo Nord Stream 2 no Mar Báltico se a Rússia invadisse a Ucrânia.

Um repórter perguntou a Biden: “Mas como o fará, exactamente, uma vez que…o projecto está sob o controlo da Alemanha”? disse Biden: “Prometo-vos que seremos capazes de o fazer”.

Quando a Rússia invadiu efectivamente a Ucrânia em 24 de Fevereiro, Washington conseguiu que Berlim suspendesse o projecto de gasoduto que estava prestes a entrar em funcionamento, apesar de não ser do interesse da Alemanha.

O gasoduto tem permanecido fechado desde então. Por que razão então alguém atacou o gasoduto na segunda-feira, libertando o gás que continha para o Mar Báltico? Enquanto a guerra continuar, os Estados Unidos têm o que querem em relação ao gasoduto.

Evidentemente, o receio em Washington é que a guerra possa não continuar durante o tempo que desejar. Em 4 de Fevereiro, vinte dias antes da invasão, argumentei que os EUA estavam a montar uma armadilha à Rússia e precisavam que ela invadisse a Ucrânia a fim de desencadear uma guerra de informação, económica e por procuração com o objectivo último de mudança de regime em Moscovo. Tudo isto foi confirmado até 27 de Março.

Desde então, os EUA e a Grã-Bretanha fizeram tudo o que estava ao seu alcance para manter a guerra, e as sanções económicas em vigor. Mas essas sanções contra a Rússia estão a devastar a economia europeia, fazendo subir os preços da energia e fechando as empresas. Os europeus comuns enfrentam um Inverno em que poderão não ter condições para aquecer as suas casas.

Isto levou à crescente agitação popular e à pressão sobre os governos europeus para pôr fim à guerra, levantar as sanções e salvar as suas economias. Acabar a guerra e levantar as sanções levaria à reabertura do Nord Stream 2 (e à reparação da turbina do Nord Stream 1, que também foi atacado).

Sítio do ataque ao Nord Stream 2 (Ministério de Defesa da Dinamarca)

 

Oferta de retomada dos envios

Há três semanas, o Presidente Vladimir Putin disse numa conferência de imprensa em Samarkand que a Rússia estava pronta a retomar o fornecimento de gás natural à Alemanha se a Alemanha levantasse as suas sanções económicas contra a Rússia. Putin disse:

Afinal, se eles precisam [de gás] urgentemente, se as coisas estão tão más, basta ir em frente e levantar as sanções contra o Nord Stream 2, com os seus 55 mil milhões de metros cúbicos por ano – tudo o que eles têm de fazer é premir o botão e eles vão fazê-lo funcionar. Mas escolheram desligá-lo eles próprios; não podem reparar um gasoduto e impuseram sanções contra o novo Nord Stream 2 e não o vão abrir. Seremos nós os culpados por isto? Deixem-nos pensar bem sobre quem é o culpado e que nenhum deles nos culpe pelos seus próprios erros. A Gazprom e a Rússia sempre cumpriram e cumprirão todas as obrigações previstas nos nossos acordos e contratos, sem nunca falharem“.

Portanto, a oferta existe para devolver o fornecimento normal de gás à Europa, se as sanções forem levantadas. Tendo a guerra passado à sua fase mais perigosa, há uma urgência crescente em parar a guerra, incluindo conversações sobre um processo de paz liderado pela Arábia Saudita em que a Ucrânia cederia território à Rússia em troca de paz.

Se crescer o impulso para um acordo de paz de qualquer tipo, arruinaria os planos a longo prazo de Washington para enfraquecer a Rússia. Significaria a reabertura do Nord Stream 2, o que ajudaria a Alemanha e a Rússia, mas esmagaria os objectivos dos EUA de mudança de regime e de tornar a Europa dependente da energia dos EUA.

“Prometo-vos que seremos capazes” de encerrar o Nord Stream 2, prometeu Biden. Mas como fariam os EUA isso se a Alemanha se dispusesse a reabri-lo?

____________

O autor: Joe Lauria é editor chefe do Consortium News e antigo correspondente da ONU para o Wall Street Journal, o Boston Globe e numerosos outros jornais, incluindo The Montreal Gazette e The Star of Johannesburg. Foi repórter de investigação do Sunday Times de Londres, repórter financeiro da Bloomberg News e começou o seu trabalho profissional como freelancer de 19 anos para o New York Times.

 

 

Leave a Reply