Posts Tagged: arte

LAREDO ASSOCIAÇÃO CULTURAL – MENSAGEM

    A dádiva mais preciosa é a tua atenção, lendo esta mensagem e reparando no que procuramos criar e partilhar. Saber que contámos com isso já é um estímulo importante, que agradecemos. Somos Laredo Associação Cultural – relatório de

LAREDO ASSOCIAÇÃO CULTURAL – MENSAGEM

    A dádiva mais preciosa é a tua atenção, lendo esta mensagem e reparando no que procuramos criar e partilhar. Saber que contámos com isso já é um estímulo importante, que agradecemos. Somos Laredo Associação Cultural – relatório de

REFLEXÃO, por ADÃO CRUZ – ARTE E PINTURA – UM TEXTO de ISRAEL COHEN

  (Recentemente falecido, o meu grande amigo e colega cardiologista Israel Cohen, também pintor e amante da arte, enviou-me este texto em 2007. Em jeito de homenagem aqui o publico)   Reflexão   Tenho visto, lido e reflectido alguma coisa

REFLEXÃO, por ADÃO CRUZ – ARTE E PINTURA – UM TEXTO de ISRAEL COHEN

  (Recentemente falecido, o meu grande amigo e colega cardiologista Israel Cohen, também pintor e amante da arte, enviou-me este texto em 2007. Em jeito de homenagem aqui o publico)   Reflexão   Tenho visto, lido e reflectido alguma coisa

ARTE E FOLCLORE – O QUE PENSO – por Adão Cruz

É muito difícil saber o que é a Arte. Duvido de quem diz que sabe o que é a Arte. A Arte não tem definição que nos satisfaça, e penso que nunca se saberá, verdadeiramente, o que é a Arte.

ARTE E FOLCLORE – O QUE PENSO – por Adão Cruz

É muito difícil saber o que é a Arte. Duvido de quem diz que sabe o que é a Arte. A Arte não tem definição que nos satisfaça, e penso que nunca se saberá, verdadeiramente, o que é a Arte.

CARTA DE VENEZA – A ARTE PELA INCLUSÃO SOCIAL – por VANESSA CASTAGNA

Em vésperas de Bienal, na cidade já se nota a presença de profissionais ligados às artes, ocupados, nesta fase, na instalação dos pavilhões e das exposições que serão inauguradas a 13 de maio. Nos últimos dias chamou a atenção a

CARTA DE VENEZA – A ARTE PELA INCLUSÃO SOCIAL – por VANESSA CASTAGNA

Em vésperas de Bienal, na cidade já se nota a presença de profissionais ligados às artes, ocupados, nesta fase, na instalação dos pavilhões e das exposições que serão inauguradas a 13 de maio. Nos últimos dias chamou a atenção a

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO – A Arte é necessária? – 3 – por Carlos Loures

  Como disse no início, conheci Dorindo Carvalho em 1971. A empresa editorial em que em Março desse ano entrei, partilhava as instalações com aquela de que Dorindo era responsável gráfico. Estabelecemos amizade, e apercebi-me do rigor gráfico das suas

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO – A Arte é necessária? – 3 – por Carlos Loures

  Como disse no início, conheci Dorindo Carvalho em 1971. A empresa editorial em que em Março desse ano entrei, partilhava as instalações com aquela de que Dorindo era responsável gráfico. Estabelecemos amizade, e apercebi-me do rigor gráfico das suas

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO – A ARTE É NECESSÁRIA? (2) – por Carlos Loures

Em O Cárcere e o Prado Luminoso, uma pequena colectânea (Salamandra, Lisboa, 1990), dizia no poema de abertura, ironizando sobre a inutilidade da poesia: «Não é comestível/raramente diverte, antes pelo contrário,/ ou é exercício de melancolia/ ou é incompreensível; /desperta

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO – A ARTE É NECESSÁRIA? (2) – por Carlos Loures

Em O Cárcere e o Prado Luminoso, uma pequena colectânea (Salamandra, Lisboa, 1990), dizia no poema de abertura, ironizando sobre a inutilidade da poesia: «Não é comestível/raramente diverte, antes pelo contrário,/ ou é exercício de melancolia/ ou é incompreensível; /desperta

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO -A ARTE É NECESSÁRIA?-1- por Carlos Loures

Há uns anos, num outro blogue, provoquei com a pergunta «a arte é necessária?» um interessante debate. Como homenagem ao Dorindo Carvalho, que conheci em 1971 e cuja pintura muito aprecio, ponho de novo a questão – a arte é

TRIBUTO A DORINDO CARVALHO -A ARTE É NECESSÁRIA?-1- por Carlos Loures

Há uns anos, num outro blogue, provoquei com a pergunta «a arte é necessária?» um interessante debate. Como homenagem ao Dorindo Carvalho, que conheci em 1971 e cuja pintura muito aprecio, ponho de novo a questão – a arte é

MUSEU DO NEO-REALISMO – NEWSLETTER de ABRIL de 2016

O Vice-Presidente da Câmara Municipal Fernando Paulo Ferreira Gabinete de Comunicação e Imagem     Tel.: 263 285 626 Fax:  263 284 814 Email: neorealismo@cm-vfxira.pt

MUSEU DO NEO-REALISMO – NEWSLETTER de ABRIL de 2016

O Vice-Presidente da Câmara Municipal Fernando Paulo Ferreira Gabinete de Comunicação e Imagem     Tel.: 263 285 626 Fax:  263 284 814 Email: neorealismo@cm-vfxira.pt

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (23)

INODORO de ORO Estão as retretes na ordem do dia. A mais recente notícia  vem-nos da Ucrânia, onde manifestantes, os mesmo que se supõe terem derrubado a estátua de Lenine em Kiev, colocaram no lugar desta uma sanita de ouro.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (23)

INODORO de ORO Estão as retretes na ordem do dia. A mais recente notícia  vem-nos da Ucrânia, onde manifestantes, os mesmo que se supõe terem derrubado a estátua de Lenine em Kiev, colocaram no lugar desta uma sanita de ouro.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (10)

MEMÓRIAS Há comentários que fazem despertar em nós certas lembranças, escondidas em gavetas e fechadas à chave nos confins das nossas memórias. Assim foi o que me aconteceu aqui há atrasado, com um comentário à minha carta nº 9. As

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (10)

MEMÓRIAS Há comentários que fazem despertar em nós certas lembranças, escondidas em gavetas e fechadas à chave nos confins das nossas memórias. Assim foi o que me aconteceu aqui há atrasado, com um comentário à minha carta nº 9. As

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (8)

O Porto tem todas as razões para ser bairrista e regionalista. . O Porto tem todas as razões para ser bairrista e regionalista. Não de um modo negativo onde o meu é melhor do que o teu, mas de uma

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (8)

O Porto tem todas as razões para ser bairrista e regionalista. . O Porto tem todas as razões para ser bairrista e regionalista. Não de um modo negativo onde o meu é melhor do que o teu, mas de uma