Posts Tagged: rui rio

SINAIS DE FOGO – UM “BOTAS” DE GRAVATA AZUL – por Soares Novais

  Agora, confirmado que está o óbito há muito anunciado do feitor Passos, a Quinta do Laranjal vive dias de grande agitação. E, segundo consta, há já candidatos ao lugar do falecido. Todavia, os dois que foram referenciados no testamento

SINAIS DE FOGO – UM “BOTAS” DE GRAVATA AZUL – por Soares Novais

  Agora, confirmado que está o óbito há muito anunciado do feitor Passos, a Quinta do Laranjal vive dias de grande agitação. E, segundo consta, há já candidatos ao lugar do falecido. Todavia, os dois que foram referenciados no testamento

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (186)

RAUL BRANDÃO VEIO JANTAR CONNOSCO Na passada segunda-feira, 12 de Junho deste venturoso ano de 2017, pouco passava das 20h30, teve início, na Tasca do Bairro, o nosso local costumeiro para estas aventuras, o jantar convívio cujo convidado de honra

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (186)

RAUL BRANDÃO VEIO JANTAR CONNOSCO Na passada segunda-feira, 12 de Junho deste venturoso ano de 2017, pouco passava das 20h30, teve início, na Tasca do Bairro, o nosso local costumeiro para estas aventuras, o jantar convívio cujo convidado de honra

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (155)

ASSIM A MODOS COMO QUE DE UMA CARTA ABERTA SE TRATE   Já lá vão mais de nove anos (4 de Julho de 2007), que, pela primeira vez, decidi escrever uma carta aberta a alguém importante. Publiquei-a num jornal da

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (155)

ASSIM A MODOS COMO QUE DE UMA CARTA ABERTA SE TRATE   Já lá vão mais de nove anos (4 de Julho de 2007), que, pela primeira vez, decidi escrever uma carta aberta a alguém importante. Publiquei-a num jornal da

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 07/06 a 13/06/2015 A venda da TAP (contrato de promessa de compra e venda! cujo clausulado desconheço) é a notícia nacional de maior relevo esta semana. Nas semanas anteriores publiquei notícias sobre o desenvolvimento do processo,

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 07/06 a 13/06/2015 A venda da TAP (contrato de promessa de compra e venda! cujo clausulado desconheço) é a notícia nacional de maior relevo esta semana. Nas semanas anteriores publiquei notícias sobre o desenvolvimento do processo,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (72)

PORTO, O QUE FOI, O QUE É E O QUE IRÁ SER   Nos últimos três anos a cidade foi distinguida duas vezes (não poderia ter sido mais) como o melhor destino turístico europeu. O ano de 2014 foi um

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (72)

PORTO, O QUE FOI, O QUE É E O QUE IRÁ SER   Nos últimos três anos a cidade foi distinguida duas vezes (não poderia ter sido mais) como o melhor destino turístico europeu. O ano de 2014 foi um

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (39)

SOU BAIRRISTA O amor à cidade do Porto, não se explica, sente-se. Mas, só percebe o que se sente, quem cá vem, quem nos visita, e nos olha com “olhos de ver”. Às vezes, muitas vezes, dá-me uma coisa assim.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (39)

SOU BAIRRISTA O amor à cidade do Porto, não se explica, sente-se. Mas, só percebe o que se sente, quem cá vem, quem nos visita, e nos olha com “olhos de ver”. Às vezes, muitas vezes, dá-me uma coisa assim.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (35)

COM A MUDANÇA DOS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES NOVAS DA NOSSA CIDADE Há coisas que estão, mesmo, a mudar, no Porto. Já vamos (os que assim o entenderem, gostarem, e forem bons nesse assunto) poder pintar paredes com murais alusivos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (35)

COM A MUDANÇA DOS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES NOVAS DA NOSSA CIDADE Há coisas que estão, mesmo, a mudar, no Porto. Já vamos (os que assim o entenderem, gostarem, e forem bons nesse assunto) poder pintar paredes com murais alusivos

UMA CARTA DO PORTO – por José Magalhães (5)

O OUTONO . A chegada do Outono trouxe consigo uma série de regressos: o regresso da chuva, dos dias mais frios, das trovoadas, o regresso das mantas espalhadas no sofá e das lareiras acesas e o regresso dos vendedores de

UMA CARTA DO PORTO – por José Magalhães (5)

O OUTONO . A chegada do Outono trouxe consigo uma série de regressos: o regresso da chuva, dos dias mais frios, das trovoadas, o regresso das mantas espalhadas no sofá e das lareiras acesas e o regresso dos vendedores de

FICAMOS A SABER QUE JOSÉ SARAMAGO NADA TEM A VER COM O PORTO

Já aqui nos temos referido à prepotência toponímica a que as autarquias se permitem. Não concordamos que em Almada haja (ou tenha havido) placas toponímicas com a foice e o martelo e com o nome de militantes pecepistas; é escandaloso

FICAMOS A SABER QUE JOSÉ SARAMAGO NADA TEM A VER COM O PORTO

Já aqui nos temos referido à prepotência toponímica a que as autarquias se permitem. Não concordamos que em Almada haja (ou tenha havido) placas toponímicas com a foice e o martelo e com o nome de militantes pecepistas; é escandaloso