Posts Tagged: turismo

CARTA DE VENEZA – VENEZA, COM GENTILEZA – por Vanessa Castagna

Como o verão começou e a situação está mesmo escaldante, com a cidade abarrotada para além dos limites, vale a pena informar que finalmente vão ser tomadas medidas e que de forma sistemática se passará a aplicar coimas a quem

CARTA DE VENEZA – VENEZA, COM GENTILEZA – por Vanessa Castagna

Como o verão começou e a situação está mesmo escaldante, com a cidade abarrotada para além dos limites, vale a pena informar que finalmente vão ser tomadas medidas e que de forma sistemática se passará a aplicar coimas a quem

CARTA DE VENEZA – ÊXODOS MODERNOS – por Vanessa Castagna

O aproximar-se do verão tem acentuado o mal-estar geral perante fluxos turísticos cada vez menos sustentáveis e, ao mesmo tempo, considerados indispensáveis para a sobrevivência económica de Veneza. Neste paradoxo, o suposto remédio parece antes um sorrateiro veneno que vai

CARTA DE VENEZA – ÊXODOS MODERNOS – por Vanessa Castagna

O aproximar-se do verão tem acentuado o mal-estar geral perante fluxos turísticos cada vez menos sustentáveis e, ao mesmo tempo, considerados indispensáveis para a sobrevivência económica de Veneza. Neste paradoxo, o suposto remédio parece antes um sorrateiro veneno que vai

CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – ALFAMA

      “Vão-se embora pra morrer mais cedo”. Quem o dizia era uma velha senhora, antiga e revoltada habitante de Alfama, ontem, num programa da TSF. Referia-se ao fenómeno que acontece em Alfama onde uma percentagem de moradores antigos,

CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – ALFAMA

      “Vão-se embora pra morrer mais cedo”. Quem o dizia era uma velha senhora, antiga e revoltada habitante de Alfama, ontem, num programa da TSF. Referia-se ao fenómeno que acontece em Alfama onde uma percentagem de moradores antigos,

CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – TURISMO

  Como pode haver algum Governo em quem a gente vote e confie, que autorize (ajude, propicie, contemple, permita) coisas destas? Para quê votar – pergunta uma data de gente, essencialmente a que se permite ser pobre e viver há

CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – TURISMO

  Como pode haver algum Governo em quem a gente vote e confie, que autorize (ajude, propicie, contemple, permita) coisas destas? Para quê votar – pergunta uma data de gente, essencialmente a que se permite ser pobre e viver há

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (165)

Espaldão da Ervilha / Espaldão Militar / Reduto Militar / Forte da Ervilha Convém começar por explicar o que é um espaldão. Em arquitectura militar, um espaldão é um anteparo de uma trincheira ou fortificação, que serve para proteger a

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (165)

Espaldão da Ervilha / Espaldão Militar / Reduto Militar / Forte da Ervilha Convém começar por explicar o que é um espaldão. Em arquitectura militar, um espaldão é um anteparo de uma trincheira ou fortificação, que serve para proteger a

DIÁSPORA. PARÍS LUMINOSA, por Moisés Cayetano Rosado

París estaba como siempre. Magnífica y llena, luminosa y festiva, variada, rica, bullendo de personas y colores. Puntual en sus transportes colectivos, que milimetran el espacio y te llevan a cualquier lugar, apenas caminando por los pasadizos subterráneos, apareciendo sorprendidos

DIÁSPORA. PARÍS LUMINOSA, por Moisés Cayetano Rosado

París estaba como siempre. Magnífica y llena, luminosa y festiva, variada, rica, bullendo de personas y colores. Puntual en sus transportes colectivos, que milimetran el espacio y te llevan a cualquier lugar, apenas caminando por los pasadizos subterráneos, apareciendo sorprendidos

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (149)

            Porto Welcome Center é a maior loja de turismo do Mundo   PASSAPORTE PORTO  

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (149)

            Porto Welcome Center é a maior loja de turismo do Mundo   PASSAPORTE PORTO  

CARTA DE VENEZA – QUEM PRECISA DE REGRAS? – por Vanessa Castagna

    É destes dias a notícia de que a ilha tailandesa de Koh Tachai, com uma capacidade natural para cerca de 70 pessoas mas diariamente invadida por mais de 1.000, vai fechar portas ao turismo de massas que está

CARTA DE VENEZA – QUEM PRECISA DE REGRAS? – por Vanessa Castagna

    É destes dias a notícia de que a ilha tailandesa de Koh Tachai, com uma capacidade natural para cerca de 70 pessoas mas diariamente invadida por mais de 1.000, vai fechar portas ao turismo de massas que está

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – TURISMO: DESTINO OBRIGATÓRIO? – BYE BYE BARCELONA – OFICINA: VAMOS DIZER UM POEMA DE MÁRIO DIONÍSIO – A PALETA E O MUNDO – CINEMA: NOVA IORQUE 1997

Sábado, 14 de Maio, 16h O turismo tem aumentado de uma maneira nunca antes vista – mais visitantes, mais «oferta turística». Parece-nos necessário conversar sobre as transformações que se têm sentido em Lisboa e, também, em muitas outras cidades. Não

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – TURISMO: DESTINO OBRIGATÓRIO? – BYE BYE BARCELONA – OFICINA: VAMOS DIZER UM POEMA DE MÁRIO DIONÍSIO – A PALETA E O MUNDO – CINEMA: NOVA IORQUE 1997

Sábado, 14 de Maio, 16h O turismo tem aumentado de uma maneira nunca antes vista – mais visitantes, mais «oferta turística». Parece-nos necessário conversar sobre as transformações que se têm sentido em Lisboa e, também, em muitas outras cidades. Não

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – O PORTO ESTÁ NA MODA?

3 de Maio de 2016 O Porto está na moda? | Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis Todos acompanhámos, atentos, os prémios que a cidade do Porto foi acumulando na área do turismo nos últimos anos. Da ribeira

ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – O PORTO ESTÁ NA MODA?

3 de Maio de 2016 O Porto está na moda? | Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis Todos acompanhámos, atentos, os prémios que a cidade do Porto foi acumulando na área do turismo nos últimos anos. Da ribeira

BISCATES – O TURISMO TEM PÉS DE BARRO – por Carlos de Matos Gomes

  Passando e não passeando por Lisboa, pelo Porto e pelo Algarve, lendo ou ouvindo as notícias, é grande a satisfação nesta Páscoa por estarem as cidades e as serras, as terras e as praias apinhadas de multidões de turistas

BISCATES – O TURISMO TEM PÉS DE BARRO – por Carlos de Matos Gomes

  Passando e não passeando por Lisboa, pelo Porto e pelo Algarve, lendo ou ouvindo as notícias, é grande a satisfação nesta Páscoa por estarem as cidades e as serras, as terras e as praias apinhadas de multidões de turistas

CARTA DE VENEZA – TRÂNSITO AQUÁTICO – por Vanessa Castagna

Faltam poucos dias para a grande conferência de 25 de fevereiro em que se dará o primeiro encontro da nova administração da Câmara Municipal sobre a difícil questão do trânsito aquático, tendo em vista a aprovação de um novo Plano

CARTA DE VENEZA – TRÂNSITO AQUÁTICO – por Vanessa Castagna

Faltam poucos dias para a grande conferência de 25 de fevereiro em que se dará o primeiro encontro da nova administração da Câmara Municipal sobre a difícil questão do trânsito aquático, tendo em vista a aprovação de um novo Plano

CARTA DE VENEZA – TURISTAS E VIAJANTES – por Vanessa Castagna

O Carnaval ainda não terminou e promete reservar ainda horas de grande animação para a cidade e as dezenas de milhares de visitadores mais ou menos aficionados que invadiram nesta temporada o dédalo de ruelas que vão desembocar na Praça

CARTA DE VENEZA – TURISTAS E VIAJANTES – por Vanessa Castagna

O Carnaval ainda não terminou e promete reservar ainda horas de grande animação para a cidade e as dezenas de milhares de visitadores mais ou menos aficionados que invadiram nesta temporada o dédalo de ruelas que vão desembocar na Praça

CARTA DE VENEZA – VENEZA É LAGUNA – por Vanessa Castagna

É este um slogan que circula com força cada vez maior entre os venezianos mais empenhados na salvaguarda da sua cidade, ostentado em bandeiras penduradas às janelas de casas e palácios, mas é também o título de uma pequena obra

CARTA DE VENEZA – VENEZA É LAGUNA – por Vanessa Castagna

É este um slogan que circula com força cada vez maior entre os venezianos mais empenhados na salvaguarda da sua cidade, ostentado em bandeiras penduradas às janelas de casas e palácios, mas é também o título de uma pequena obra